segunda-feira, 22 de março de 2010

Porquês e Afins: Peitos e Bundas

Aew cambaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaada!

Então... as coisas não saíram bem do jeito que eu queria mas isso não é motivo para deixar de postar, não? De forma resumida, passei meu fim de semana sem Internet, bem como não estava em casa - diferentemente do que previ que faria - sendo assim, não tive como fazer o post antes, então, com o atraso de dois dias praticamente, aqui está.

Esse post será um pouco diferente dos que já fiz. Normalmente não posto coisas baseadas em sentimentos nem personalidade própria... resumindo: não costumo filosofar sobre “o que as pessoas tem por dentro”, não aqui no blog pelo menos. Pelo menos até agora...

Talvez o post de hoje seja mais curto (beeem mais curto) do que os que normalmente escrevo, mas não deixa de fazer parte do blog... e não estranhem se não entenderem algo, mesmo depois da explicação.

Pensando bem... acho que realmente farei novas categorias aqui no blog: a sobre inutilidades que falei nesse post e outra para esse tipo de post que farei hoje: os devaneios, maluquices, pensamentos e “filosofações” sobre tudo e nada ao mesmo tempo. E, é o que farei.

“Pera. Você realmente quer que agente acredite nessa sua “filosofia” barata digna da Sorte de Hoje do Orkut?!”

1 - Minha “filosofia” não é barata.

2 - Minha “filosofia” não é do Orkut.

3 – Minha “filosofia” não é digna de absolutamente NADA.

Também não esperem que os posts desta última categoria supracitada tenham sentido, coerência, nexo e/ou lucidez. Leiam como se fosse a tabela de uma caixa de sucrilhos, ok?

Simbora!


O assunto que quero abordar hoje é um assunto do qual já falei nesse post: o porque da admiração de peitos e bundas especificamente.

Digo... não tenho nada contra tal escolha, afinal, são partes ótimas e necessárias para a vida dos seres humanos: sem as nádegas, nosso orifício anal seria desprovido de proteção, acumulando assim sujeira e consequentemente doenças e infecções.

Já os peitos são a parte do corpo que provém alimento para toda a espécie (ao menos em teoria...), permitindo assim que nos proliferássemos e fodessemos o mundo. Lindo não?

Se formos analisar do ponto de vista biológico, ambas as partes, peitos e bunda, são compostas por músculos, gordura, pele e demais partes necessárias à vida (veias, artérias, etc). Os músculos, como vocês bem devem saber, são responsáveis pela sustentação e movimento de suas respectivas partes do corpo. Já viram aquelas mulheres que conseguem mover os peitos?



É exatamente isso, bem como o pompoarismo age nos países baixos.
Do ponto de vista histórico, desde a idade das pedras (mais pro final de tal era, creio eu), para nossos predecessores, mulheres gordas (sim, verdade. Pense duas vezes antes de zuar alguma gorda agora.) eram vistas como símbolo de força e fertilidade. As formas grandes representavam que a mulher era mais preparada para gerar herdeiros. Claro, afinal, numa época na qual uma preguiça tinha 3 metros de tamanho:

Era bem fácil de ter um aborto natural. Ou morrer.

Em algum momento da história, o homem decidiu escolher algo, na mulher, para “reverenciar”, bem como para separar “gostosas” das “PULTAKEÔPARIL!” (ou os grunhidos correspondentes):

Eu não estou insinuando nada...

Surge assim as musas inspiradoras:

Sinceramente? Nunca pensei que mostraria peitos assim aqui no blog...

Seja para inspirar épicos literários ou para fazer infelizes criarem “músicas”:



O que me incomoda de tempos em tempos é o “quando” e o “porque”.

Quando, nem precisa ser um ano específico, mas quando, em que era, em que milênio surgiu tal fixação? Será que um neandertal, pensando em nada, viu uma borboleta voando e teve proferiu (em grunhidos, aqui traduzidos): “Já sei!!! Vou forçar todos os outros homens do mundo a ovacionar peitos e bundas - nomes que eu dei para aquelas partes do corpo - e assim darei às mulheres o poder de transformar guerreiros em babuínos sem coordenação motora!”?

E por que exatamente tais partes corporais? Eu entendo que “são partes boas pra pegar”, mas nada (até onde se sabe) nos (leia aqui como “nós homens”) forçou a olhar para seios e proferir a infame comparação: “Olha esses air-bags!”. Nada nos forçou a olhar para a bunda e deixar escapar: “Que ABUNDÂNCIA!”.

To passando dos limites hoje...

Confesso: às vezes tenho nojo de mim mesmo.

Quero dizer, porque raios resolvemos nos ater a partes específicas do corpo, deixando o resto praticamente de lado (sei que não é bem assim, mas falo disso depois)? Em que momento da história decidimos colocar tais partes do corpo num patamar acima?

Motivos para isso são vários: de todo o corpo feminino, são as que ficam mais proeminentes, com ou sem roupa (seria muito maldoso da minha parte comentar “tá... nem em todas é proeminente”?). Também são as partes mais fáceis de serem vistas (e apalpadas). Além disso representam status social, além de mostrarem poder econômico.



Mas é simplesmente inaceitável para mim aceitar que alguém acordou um dia de manhã, uma fogueira (não tinha lâmpadas na época) piscou acima de sua cabeça e nesse momento de consciência aumentada, resolveu que prestaríamos toda a nossa atenção a observar as mesmas 3 partes do corpo feminino. Do mesmo modo que me recuso terminantemente a aceitar que tais partes passariam ser motivo de admiração sem um motivo decente. Me recuso a aceitar que tal fato aconteceu por algo tão estúpido como por exemplo “ah, vai ser assim porque a gostosa que eu gosto tem peitos do tamanho de pernis de javalis!”.

Recuso-me a aceitar que o ser humano alterou tanto sua vida e a de seus futuros familiares por serem babacas sem capacidade de um mínimo de raciocínio. Sei que é ignorância da minha parte achar isso uma vez que nossos ancestrais mastigavam madeira achando serem pedaços de osso, mas não posso concordar com tal possibilidade.

Aceito tranquilamente que a humanidade tenha se tornado sedentária por algo como “Pultz! Aqui não tem bananas, vamos para onde tem!”, mas não suporto a idéia de que resolvemos louvar partes do corpo - algo que não é eterno – por algo como “Vixe... é mais macio bater na bunda das mulheres do que no nariz!” (entendam como quiser...).

No post das medidas perfeitas (parte 1 e parte 2) já falei bastante sobre os motivos que levam à isso, as consequências, etc., mas nesse mesmo post (não lembro em qual dos dois) falei que não levaria para o lado individual da coisa. Se você ainda não entendeu, esta nova categoria é exatamente para fazer o contrário: sempre que surgir um assunto decente (ou não...) um post chato e bobo igual a este aqui será feito.

Ainda que superficialmente, se formos analisar cada pessoa em si, seria mais difícil condená-la por algo que ela tenha feito/causado. Ao passo em que não temos como saber (pelo menos não ainda) quem foi que deu início a adoração do corpo, não podemos fazer muita coisa além de pensar e imaginar o como, o quando, o porque.

Enquanto focamos nossas atenções em peito e bunda, perdemos outras partes do corpo:

Pernas

Pausa aqui. As pernas de Daniela Mercury estão definitivamente no Top 5 da minha vida. Mas só as pernas salvam também...


Olhos

Tá certo que a Elizabeth Taylor TODA é boa, mas quer olhos mais bonitos que o dela?!


Pés

Já falei que homens gostam de pés antes, mas não custa dar uma reforçada, não?


Abdômen

Assim é divertido.

Assim não.


Sei que não é 100% de preferência por seios e nádegas e que as partes do corpo (bem como várias outras) que falei acima tem sim atenção, seja por parte dos homens seja por parte das mulheres (mas conhenhamos, eu não ia por um bando de marmanjo aqui né?).

Apesar de a bunda ser preferência nacional (coisa que vem mudando nos últimos anos...), existe sim espaço para a admiração das demais partes do corpo. Claro, a diferença é esmagadora, mas existe. No final, o que importa é o gosto de cada um: tem gente que tem e tem gente que não tem.

Voltando ao tópico inicial do post, porque peito e bunda? Escolhemos tais partes baseados em que? Quais foram os argumentos? Quais foram as motivações?

Poderia ter sido qualquer outra parte do corpo: o lóbulo da orelha, por exemplo.

"Mas o lóbulo da orelha não é sexy!"

Porra, 70 anos atrás "sexy" era "não ter cintura", hoje as gordinhas estão tomando o espaço que era das modelos esqueléticas de 15 anos atrás. A definição de beleza, o ideal (como falei nos posts "Medidas Perfeitas"), mudou incontáveis vezes ao longo da história moderna, e ainda mais se formos pegar os últimos 2010 anos.

O ideal de beleza no antigo Egito é completamente diferente do ideal do norte da Itália no começo do século XIV e ambos esses ideais são completamente diferentes do ideal dos morros das favelas do Rio de Janeiro.

Disso tudo, o que importa, o motivo central deste post, é que nunca acharemos uma resposta convincente para o "porque" e para o "quando". Temos de aceitar isso, é um dos mistérios da vida. Teremos de conviver com isso.


Minha conclusão:

Agora que parei para pensar, "Minha conclusão:" deve ser o termo que mais uso aqui no blog...

Resumão: em algum momento da história, nós, a humanidade, fizemos uma escolha que mudaria nossa vida: passamos a priorizar a beleza física, e isso bem antes dos gregos. Talvez logo em seguida, talvez milhares de anos depois, elegemos, nas mulheres, peitos e bunda como "alvo" principal, como "nave mãe" de todo o corpo. No caso dos homens, esse posto ficou para o júnior.
A partir dessa escolha, chegamos aos tempos de hoje: adorando seios de 97 cm e bundas de 104 cm.

Alí em cima, falei do órgão reprodutor masculino, e pode ter surgido a pergunta (ou similar): "Mas é a buceta, onde que fica?"

Tem duas respostas:

1 - Fica entre as pernas.

2 - Como falei durante o post, seios e bunda são as partes mais proeminentes do corpo da mulher, as que mais chamam atenção. Como a vagina não sofre ereção (deveríamos agradecer por isso), diferentemente do pênis (ainda tem acento nisso?), uma roupa cobre facilmente o órgão reprodutor femino, e isso faz com que peitos e bundas ganham o destaque.

De qualquer forma, tal escolha (bem como muitas outras, por mais insignificantes que possam parecer) afetou completamente a vida da humanidade. Você consegue imaginar propagandas de cerveja sem mulheres de biquini? Consegue imaginar um funk sem que as "dançarias" estejam de costas para a platéia?

Pois é.

"Pô! Você fez esse post de merda aqui e nem botô uma foto de peito e bunda decente!!!"

Verdade, em parte isso é bom, não quero chamar atenção para um post com as imagens, mas sim com o conteúdo do post. Não faço posts grandes à-toa sabem?

Mas serei bonzinho, devido ao atraso do post:

Esporte, que é bom pro coração.

Mas essa é pra matar mesmo.

Estou quebrando todos os meus protocolos hoje... acreditem que tive mais dificuldade em achar essas fotos "comportadas" do que teria se fosse transformar o blog num blog "de material adulto"?

...

Tá bom, mas só uma:

Felizes agora?

Ótimo.

Para finalizar: logo no começo do post falei que queria saber a resposta para as perguntas "porque?" e "quando?". Para ser sincero, o motivo para querer isso é a mais pura e simples curiosidade aliada a uma grande vontade de entender o mundo (é o que tentarei fazer nessa nova coluna).

Para ser mais sincero ainda, não sei se estaria pronto para saber a resposta, mesmo se pudesse... há verdades que ficam melhores se forem deixadas de lado.

Para tornar essa coluna mais diferente das outras (pode ser que nesse post de estréia vocês ainda não tenham sacado como ela funcionará, mas irão sacar depois de alguns posts), farei uma observação sobre o tema do post:

"NUNCA confiem em bojo."

Mais uma vez, me desculpem do atraso... imprevistos acontecem.

...

Por que estou me desculpando? Morram vocês!!!

See ya!
Related Posts with Thumbnails

0 comentários: Aquela ,Ein ,Ein!, Eu, blog ,opinião ,internet, 1 ,2 ,3 ,4 ,5 ,6 ,7 ,8 ,9 ,0 ,top ,x ,coisas ,vê ,isso ,links ,semana ,post , contos ,de ,duendes ,até ,quando ,acordes , aviso ,acorde ,vícios ,matinais ,porquês ,e ,afins ,vida

Postar um comentário