sábado, 15 de maio de 2010

Futebol, Raça e Leite com Chocolate

Aew cambaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaadaaaaaaaaaaaa!!!

Fiquei fora por duas semanas, mas como dá para notar, voltei. É, eu sei que é chato, mas a vida é assim. Bem, se você quer saber o porque não houve posts na semana passada, veja a explicação aqui. Entre quinta-feira e hoje (sábado) li tudo que é blog, site, portal e o caralho a quatro, o que justifica eu começar o post agora (às 16:02 h).

Enfim, após ler, ouvir, instalar, digitar e explicar tudo que precisava ser lido, ouvido, instalado, digitado e explicado (ainda falta coisas a serem atualizadas), posso me dedicar às duas tarefas que tenho no momento: escrever este post e o post pro Bacon Frito o qual já estou devendo há uma semana.

Mas chega de enrolação, vamos ao post. Bem, meu sábado começou de forma incrivelmente decepcionante e é isso que me motiva a escrever este post: o futebol.

Vamulá!!!


Fútiból

"O futebol (do inglês association football ou simplesmente football) é um esporte de equipe jogado entre dois times de 11 jogadores cada um e um árbitro que se ocupa da correta aplicação das normas. É considerado o esporte mais popular do mundo, pois cerca de 270 milhões de pessoas participam das suas várias competições. É jogado num campo retangular gramado, com um gol em cada lado do campo. O objetivo do jogo é deslocar uma bola através do campo para colocá-la dentro do gol adversário, ação que se denomina gol. A equipe que marca mais gols ao término da partida é a vencedora."

Isso é o que a Wikipedia diz (com a correta grafia do português brasileiro).

Mas vamos à minha definição de futebol: futebol é um esporte jogado com qualquer coisa que possa ser chutada, no qual um número variante de jogadores é dividido em dois times, sem nenhum árbitro (normalmente o árbitro não faz muita diferença mesmo...) para encher o saco. É jogado em qualquer lugar. O objetivo do jogo é deslocar a "bola" pelo "campo" e colocá-la dentro do "gol" adversário, ação que se denomina gol. A equipe que marca mais gols ao término da partida é a vencedora.

Não é novidade para ninguém que o futebol (ou soccer) é o esporte mais famoso do mundo, o mais visto, o mais jogado, enfim, é a Trakinas do mundo esportivo.

Nunca gostei de bolacha (sou de São Paulo porra, "bixcoito" é coizdigay!) de morango... nem Nescau, Ovomaltine, Palate, Toddy ou qualquer outro de morango. Sei lá, tem gosto ruim. E depois, se é "achocolatado" TEM QUE TER GOSTO DE CHOCOLATE porra!!! Não de corante rosa!!! Mas de todos, o mais escroto, tosco, ruim, com gosto de sola de sapato é esse aqui:

Porra Nestle, puta bola fora esse Nesquik morango!!! Caralho, a Warner Brothers devia processar a Nestle por terem copiado o Pernalonga!!! E ainda pior, POR QUE TEM QUE SER UM COELHO?!?!?!?! PORRA, NINGUÉM TIRA LEITE DE COELHO CARALHO!!!!!

...

Ou tira... sei lá...

Depois desse desabafo, voltemos à nossa programação normal.

Todos sabem o que é e como é o futebol, afinal, não é um esporte complicado de se entender. Na verdade, uma das melhores características do futebol é a "acessibilidade": você só precisa de algo chutável para jogar. Não importa se é o telefone sem fio ou uma bola Adidas, desde que seja jogado com os pés e alguém grite "gol" quando acerta o local pré-determinado do "gol", é futebol.

Na verdade, a melhor definição para o futebol é "gol".


O campo

O campo de futebol é sem sobra de dúvidas algo importante (porém dispensável...) no futebol. Não só no futebol, mas na política e na música, como por exemplo o Wembley Stadium:

Onde rolou o show que eu fui.

As medidas de um campo de futebol oficial são essas:

Eu nunca entendi essa história de variação no tamanho oficial, isso fode toda a lógica de ser "tamanho oficial".

Mas o mundo não é tão lindo como pode parecer, e é exatamente por isso que 99% (não, não estou exagerando) das partidas de futebol são jogadas em campos assim:

E olha que comparado com alguns esse está ótimo.

Basicamente, a função do campo é demarcar duas coisas: o gol e os limites do campo. Há vários tipos de campo de futebol: com grama, com grama sintética, com areia, no chão sólido (futebol de salão, por exemplo) e os tipos mais comuns, como o com lama, com terra batida, com grama morta, com cimento, com asfalto, com paralelepípedo, com cascalho e com piso de aterro sanitário.

O Ministério da Saúdo adverte: os gases soltos pelo trator são prajudicias à saúde.

O chão, o piso do campo é de grande importância durante um jogo. E nem é preciso esforço para provar isso: jogue na grama, num salão e na praia e você irá notar a grande diferença entre eles. De nada adianta jogar bem com uma chuteira com travas, meião, caneleiras e tudo mais na grama e nem conseguir levantar a bola na areia (eu não consigo jogar bem em nenhum tipo de campo, logo posso cornetar o quanto quiser).

De qualquer forma, o mais importante em relação ao chão é a homogeneidade do mesmo: ou é inteiro plano ou é um campo de escavações. Ou tem grama em todo o campo ou não tem grama em lugar nenhum. Ou tem quero-quero ou não tem. Ou tem gol dos dois lados ou não tem. Ou os dois gols tem rede ou nenhum deles tem. Meio a meio é inaceitável.

Creio que a coisa mais legal em relação aos campos de futebol são os improvisos. Digo, estádios oficiais são incrivelmente legais, como a Allianz Arena:

Mas nada substitui a demarcação do gol com aquele rider antigo:

Ou com cones (quebrados, claro), blocos de cimento, árvores, posts, canos d'água, tinta no chão, enfim, qualquer merda que tiver por perto. Não tem jeito mais legal (e roubado...) de se jogar futebol. Por melhor que seja ter um campo oficial em casa, seria disperdício ter aquele campo. Num caso assim só há duas possibilidades: sua casa vai estar SEMPRE cheia de vagabundos querendo jogar OU você vai jogar sozinho porque todos te acham um filhindo de papai cuzão que não deixa a galera jogar.

Quero dizer, não é divertido chutar asfalto (acredite, eu sei), mas eu prefiro que o gol seja entre a traseira de um carro e uma árvore do que isso:

Porra cara, não sei vocês, mas quando eu chuto (e acerto a bola), o chute vai com força (mesmo que sem mira), e se é um gol como esse da foto acima, não importa se pega na trave ou na rede, o gol voa! E se já é chato ir pegar a bola, ir pegar a bola e o gol é um saco. Isso se a rede não estourar.

Ou seja, as traves, a rede, enfim, o gol como um todo tem que ser algo "8 ou 80" (tô parecendo minha mãe agora): ou muito ruim, como um par de chinelos, ou muito foda, ou seja com traves de ferro, uma boa rede e que pare em pé, mesmo sendo acertada pela bola. Coisas meia-boca como o mini gol da foto e fita adesiva colorida na parede (né não, Alex?!) não servem.

Em relação às laterais, linhas de escanteio, meio campo, grande e pequena área, isso tudo pode ser deixado de lado. Não me olhe assim, você sabe que é verdade. Num jogo extra-oficial, "lateral" é praticamente inexistente, escanteio é praticamente uma falta como outra qualquer, o meio campo tem sua função tranferida para o goleiro e a grande e a pequena área também não existem, bem como a marcação de pênalti, uma vez que o cobrador vai fazer todo o possível para ficar o mais próximo possível do gol.

De forma geral, o campo é importante apenas como o espaço do jogo. Boa parte dele (quase todas as linhas de marcação, tamanho, piso, inclinação, traves, etc) é dispensável. Obviamente jogar num campo que tem tudo isso (como os estádios) é melhor, mas jogar no improviso é mais divertido... não mais fácil, recompensador e saudável, mas mais (olha aí um bom exemplo da diferença entre "mas" e "mais" que tanto bocó não sabe) divertido.


Bola

De verdade? A bola de futebol que eu mais gosto é a da foto acima: a clássica. Sei lá, por mais tecnologia e beleza que tenha nas bolas atuais, a preta e branca com os pentágonos e hexagonos é a que mais me chama a atenção.

A bola é a coisa mais importante do futebol, não há dúvidas, aliás, a bola é uma das coisas mais importantes do mundo. Quer a prova? Sem a bola, não teríamos o velho mouse "analógico", que foi importantíssimo para a informática. Mas o maior destaque da bola é sem dúvidos os esportes e o maior destaque dos esportes é o futebol.

Como vocês bem sabem, nem toda bola é redonda. Há a bola de futebol americano:

Cuja forma é "oblonga" (é sério, não é piada!) bem como a de rúgbi. De qualquer forma, a função da bola é praticamente a mesma em todos os esportes: ser lançada, chutada, arremessada, rebatida, espalmada, socada e em alguns casos, furada e estourada.

Basicamente há dois tipos de bola: as "ocas" e as "preenchidas". Quando digo "ocas" refiro-me às que são cheias com ar, ou seja, são infladas, como a bola de futebol. Por outro lado, as "preenchidas" são as que são sólidas, como uma bola de bilhar por exemplo. Logo, aquela piadinha tosca "quantos lados tem uma bola?" é inválida.

Com a tecnologia dos dias de hoje, as bolas sofrem melhoras em seu "desempenho". São realmente projetadas para não molharem com facilidade, terem maior aderência, maior precisão, maior estabilidade de "voo". O que só nos mostra a incompetência dos atletas atuais. Quero ver o Cristiano Ronaldo fazer os mesmos gols com isso:

Amada e odiada por milhões de pessoas ao redor do mundo, a bola de capotão é a prova máxima de que a tecnologia muda o resultado de um jogo. É o mesmo que rola na F1 (e em vários outros esportes) hoje em dia: com centenas de automatizações para aumentar a potência do motor, derrapar menos nas curvas, mais velocidade fica fácil. Quero ver colocar só o câmbio, os três pedais e mandar o Schummy correr pra ver se o resultado é o mesmo.

Na verdade, nem tem tanto o que se falar da bola: é uma esfera que deve ser chutada para o gol. Interessante o paradoxo... a coisa mais importante é a mais simples. Se no início das propriedades registradas alguém tivesse feito o registro da roda, tenho certeza absoluta de que Bill Gates seria considerado pobre perto dessa pessoa.

Falando em roda, podemos dizer que a bola surgiu a partir da roda. Olhe para uma bola e para uma roda no prisma 2D: são exatamente a mesma coisa. E são bem parecidas: ambas são redondas, extremamente importantes e irritantemente simples. E esse sim é um tapa na cara de quem diz que pão com mortadela é coisa de pobre.

Interessantemente, mesmo com toda a tecnologia de hoje em dia, tem gente que ainda consegue estourar uma bola. E digo estourar no sentido de fazer "boooom" e não no sentido de estragar. As bolas de futebol atuais tem várias camadas dos mais diferentes materiais justamente para aguentar o impacto e o uso contínuo. E não, eu nunca estourei uma bola de futebol.

E deixo aqui a pergunta: o que aconteceria se inflássemos uma bola de futebol com gás hélio...?


Jogadores

E após o local e o objeto vamos para as estrelas do jogo. Os jogadores de futebol: sejam profissionais, sejam amadores, seu objetivo é simples: jogar futebol. Não importa se jogam bem ou mal (tá, importa, mas finja que não), não importa se o campo é bom ou ruim, não importa se a bola é nova ou velha, o resultado é sempre o mesmo: uma partida de futebol.

Há várias décadas os jogadores profissionais são reverenciados praticamente como deuses por bocós (sim, bocós, idiotas, imbecis) e consequentemente acham que são deuses. O que nos leva ao que chamo de "jeito jogador de ser" (sim negão, eu sei do que você lembrou). Já repararam que todos os jogadores de futebol tem o mesmo QI, o mesmo jeito de falar, as mesmas respostas, os mesmos cortes de cabelo, as mesmas marcas de uniforme e as mesmas desculpas???

Pois é, vamos aos exemplos práticos:

-Robervaldo, o que você acha da campanha do time?!
-Ah eu acho que agente tamos fazendo uma boa campanha até agora e u jeito é continuar melhorando mais.

-Adalberto, o que você achou do jogo?!
-U outru time jogô bem, jogô cum raça, cum vontade mais agente também jogô bem e conseguimos ganhar a partida. Agora é treiná mais pro próximo jogo e tentar repetir u resultado desse aqui.

-Telmo, você que tá de chegada ao time, o que acha da recepção da torcida e dos companheiros do time e como você acha que vai ser sua adaptação ao clube?!
-A torcida recepicinô bem, di braços abertos e a galera aqui é gente firmeza, então a adapitação vai ser boa também.

-Uólintom, o que você tem a dizer sobre o gol que você perdeu na cara do gol?!
-Tinha muita gente lá perto, o golero tava lá também i u juiz num marcô quando mi puxaram a camisa.

-Kristian, você que enfretou antigos companheiros de time no último jogo, o que você acha que vai acontecer na partida de volta?!
-O time deles joga bem, mais agente também e uma vantagem nossa é os erros deles, mais eles sabem disso também e vão tentá corrigi os erros.

-Váulter, com a derrota do time por 4 a 1 o que você espera do próximo jogo?!
-É se esforçá, treiná bastante, conversá com o time e jogá com vontade pra ganhá o próximo jogo.

-Neulmar, falta poco mais de 10 minutos pro início do jogo, o time já tá entrando pra concentração, e como você acha que vai ser o jogo?!
-Vai ser um jogo difíciu, o time deles é forte, joga com raça, mas é parti pra cima, tocá bola e fazê gol.

O mais incrível disso tudo são os jornalistas que fazem as mesmas perguntas, sabendo quais serão as respostas e ainda sim se surpreendem com o "respeito pelo adversário", afinal, todos jogam com raça.

O mais incrível ainda é a cobertura que a mídia dá para as merdas que os jogadores fazem. Ronaldo pega travesti: mídia acompanha. Cristiano Ronaldo bate Ferrari: mídia acompanha. Adriano troca de "namorada": mídia acompanha. Ronaldinho bota aparelho nos dentes: mídia acompanha. Vágner Love faz vídeo com atriz pornô: mídia acompanha. É simplesmente incrível!!! Não só por ser algo tremendamente inútil para a vida de qualquer um, mas pela pura e simples exibição da vida do imbecil!!! Porra, a vida é dele, se ele quer foder a carreira indo em balada toda noite ele que se foda!!!

Apesar de a foto ser bonita, é mais um bom exemplo de campo fodido.

Mas por outro lado temos os jogadores de pelada, os bolas cheias e os bolas murchas, os jogadores de várzea. São estes jogadores que fazem do futebol o que ele é. Eles não jogam por dinheiro, por fama, por mulheres (ou homens...) nem nada disso: é por diversão. É por gostar do esporte, por não ter nada o que fazer, é por paixão pura e simples.

Não é de cachês milionários, nem de arquibancadas lotadas, patrocinadores ou autógrafos que são feitos os jogos "de bairro", as clássicas peladas. Esses jogos são feitos de tropeços em formigueiros, chutes no chão, ir buscar a bola, não existir lateral, nem falta, nem pênalti, nem juiz. São feitos de bolas do Carrefour, chuteira sem sola, camisa do time falsificada, sujar a camisa.

Omo, porque se sujar faz bem.

Sério, vocês realmente acham que o futebol teria sobrevivido sem as peladas, os jogos de sexta a noite com os amigos do trabalho, os campeonatos escolares, as partidas no condomínio e todos os outros jogos "não oficiais"? Caros leitores, lhes ensinarei algo que vocês devem levar para a vida toda: o futebol só deu certo por causa de quem não ganha nada com o futebol. Claro, centenas de outras coisas são assim, como outros tantos esportes, a TV e a internet, mas o futebol é um bom exemplo disso. O futebol só deu (e dá) certo por causa de quem "joga por jogar", por causa de quem tem como única motivação a vontade de jogar e não a fama e a fortuna.

Ainda há outras divisões que podemos fazer: quem joga bem e quem joga mal (sim, pertenço ao segundo grupo), por exemplo. Tá certo que futebol, como qualquer esporte é uma questão de prática e treinamento, mas se você é como eu, sabe que precisa do mínimo de talento para jogar tal esporte e eu garanto para vocês, meu talento no futebol se resume a ser barreira nas cobranças de falta. Quando vejo um jogo bonito até dá uma pequena inveja, mas aí eu lembro que sou mais inteligente que o cara que dá 3 chapéus em seguida e fico feliz. Claro, eu não chego ao cúmulo de bater uma falta assim:



Mas já perdi muitos gols e dei muitas mancadas (CALA A BOCA, NEGÃO!).

Outra divisão possível é entre "cabelo normal" e "ninho de animal selvagem". Nos links da semana tem um link (dã) com alguns cabelos lindos, deem uma olhada. Mas tem jogador que excede os limites de "normal", vide Vágner Love, Alan Bahia e o Ronaldo:

Eu sou feio, mas você não!!! Você é LINDO!!!

E dentre as várias divisões há uma muito importante: os que falam, os que fazem e os que falam e fazem. É bem simples: tem babaca que se acha merecedor do título de jogador do milênio mas é um bosta. Tem babaca que merece o título de jogador do ano. E tem babaca que se acha merecedor do título de jogador do milênio e merece o título de jogador do ano, que obviamente não é o caso deste aqui:

E o cabelo dele é mais bonito do que o do Ronaldo.

Para terminar, aqui fica um texto que é do Mestre Luís Fernando Veríssimo, Regras de Futebol de Rua:


1. A BOLA

A bola pode ser qualquer coisa remotamente esférica. Até uma bola de futebol serve. No desespero, usa-se qualquer coisa que role, como uma pedra, uma lata vazia ou a merendeira do irmão menor.

2. O GOL
O gol pode ser feito com o que estiver à mão: tijolos, paralelepípedos, camisas emboladas, chinelos, os livros da escola e até o seu irmão menor.

3. O CAMPO
O campo pode ser só até o fio da calçada, calçada e rua, rua e a calçada do outro lado e, nos clássicos, o quarteirão inteiro.

4. DURAÇÃO DO JOGO
O jogo normalmente vira 5 e termina 10, pode durar até a mãe do dono da bola chamar ou escurecer. Nos jogos noturnos, até alguém da vizinhança ameaçar chamar a polícia.

5. FORMAÇÃO DOS TIMES
Varia de 3 a 70 jogadores de cada lado. Ruim vai para o gol. Perneta joga na ponta, esquerda ou a direita, dependendo da perna que faltar. De óculos é meia-armador, para evitar os choques. Gordo é beque.

6. O JUIZ
Não tem juiz.

7. AS INTERRUPÇÕES
No futebol de rua, a partida só pode ser paralisada em 3 eventualidades:
a) Se a bola entrar por uma janela. Neste caso os jogadores devem esperar 10 minutos pela devolução voluntária da bola. Se isso não ocorrer, os jogadores devem designar voluntários para bater na porta da casa e solicitar a devolução, primeiro com bons modos e depois com ameaças de depredação.
b) Quando passar na rua qualquer garota gostosa.
c) Quando passarem veículos pesados. De ônibus para cima. Bicicletas e Fusquinhas podem ser chutados junto com a bola e, se entrar, é gol.

8. AS SUBSTITUIÇÕES
São permitidas substituições no caso de um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer lição ou em caso de atropelamento.

9. AS PENALIDADES
A única falta prevista nas regras do futebol de rua é atirar o adversário dentro do bueiro.

10. A JUSTIÇA ESPORTIVA
Os casos de litígio serão resolvidos na porrada.


Torcida

Ahhhhh, a torcida. Motivo de tantos problemas e felicidades no mundo dos esportes.

"Torcida" nada mais é que um bando de vagabundos apaixonados (ou não) que desistem de trabalhar e estudar para ir torcer por seu time (sinto reclamações do Negão chegando). Obviamente existem diferentes níveis de relacionamento entre torcedor-time. O meu caso é o mais remoto: torço por torcer, sequer acompanho meu time. Mas há o oposto, o torcedor "roxo" (diga-se de passagem, aquela camisa do Curintxa é horrível) que literalmente morreria pelo time (o que é idiotice).

Um grande problema (aliás, o maior problema) em relação às torcidas são as brigas (sim, eu sei que é clichê, mas não dá pra não falar sobre isso) entre torcidas adversárias, ou melhor, inimigas. Rivalidade entre times é algo completamente normal e até saudável, mas a partir da hora que vira uma guerra civil, é puramente idiotice. E creio eu que a existência de torcidas organizadas é algo que só piora as brigas entre torcidas, é claro que a culpa não é unicamente das torcidas organizadas, mas tenho absoluta certeza que os diretores da Mancha Verde e da Gaviões da Fiel distribuem armas e panfletos sobre "como matar com a cadeira do estádio" por debaixo dos panos.

Mas eu entendendo a briga entre torcidas diferentes, afinal, rivalidade é rivalidade. Mas a pior coisa que já vi em relação às torcidas foi isso aqui:

A destruição do Couto Pereira pela torcida do próprio time, o Coritiba. Porra, quebrar a fuça do FDP que xingou seu time até passa, mas quebrar seu próprio estádio é estupidamente idiota. Além de quebrarem o estádio, tentarem bater em ambos os times (o Coritiba e o Fluminense) e baterem nos policiais, os energúmenos levaram a briga para fora do estádio. Se eu fosse policial juro que saia atirando nesses vagabundos, mas atirando pra matar mesmo.

Maaaas, por outro lado, a torcida muitas vezes leva o time nas costas. Mesmo eu, que só assisto por mais de 30 minutos os jogos da Copa, já vi várias vezes a torcida motivar o time que está em campo, e até mesmo ganhando o jogo. Para ser sincero, não lembro a última vez que vi um jogo inteiro... deve ter sido na Copa de 2006. Já falei aqui várias vezes que não gosto de futebol. Em parte isso é mentira, uma vez que torço (mesmo que muito pouco) para um time, assisto os jogos do Brasil na Copa (amistoso é perca de tempo) e jogo Winning Eleven, mas tenho que admitir, me orgulho de ver uma torcida fazer isso:



Por mais foda que seja o hino nacional (me irrito quando dizem que o hino mais bonito é o da França), esse grito de guerra é o máximo que uma nação pode fazer por seu país. Para ser mais completo, esse grito de guerra, o hino nacional e a música do Senna:



São, em minha humilde opinião, as melhores demonstrações de amor a pátria brasileira e se você discorda, morra empalados nas catacumbas do inferno.

E sim, sou um tanto quanto nacionalista. Só não sou burro de ser nacionalista utópico.


Camisa 10

O segundo motivo pelo qual eu não assito futebol feminino (o primeiro é a falta de interesse no esporte) é para não ver meu lado machista sendo arrasado ao saber que tem mulher que joga infinitamente melhor que eu.

O mito da camisa 10 surgiu com o Pelé, que resolveu botar a 10 na Copa de 58. Como nada se cria tudo se copia, o resto do mundo acatou a idéia a camisa 10 passou a simbolizar o melhor jogador do time. E mais importante ainda (pelo menos aqui no blog): meu número da sorte é o 10.

A camisa 10 é nada mais que uma representação, há muitos jogadores bons que não usam a 10, até porque só pode ter um camisa 10 por time, senão seria festa. Para falar a verdade, tanto faz a camisa, você joga com os pés mesmo.


Gol

Tããão previsível...

"Um gol (um anglicismo, do inglês goal, "objectivo") é o ato mais importante do jogo de futebol e esportes similares, e ocorre sempre que a bola ultrapassa por completo uma barreira imaginária entre as traves e sob a travessão, definida por uma linha branca desenhada com tinta no gramado, que tem medidas regulamentadas.

Num jogo de futebol não-oficial, os detalhes das traves e da linha podem ser trocados por dois simples objetos (por exemplo, dois paus, duas pedras ou dois chinelos) delimitando os postes."

Viram? Até a Wikipedia fala da gambiarra nos jogos. E novamente tive que acertar o texto... malditos portugueses.

Marcar um (uso da licença poética ao escrever "um") gol é objetivo de todo e qualquer jogador de futebol, independente da posição em que jogue, da habilidade, do salário ou de qualquer outra coisa. É marcando gols que se fica famoso (e vai para a Europa) no mundo do futebol.

Há centenas de formas de marcar um gol, das mais "choradas" (entenda por "sofridas"), como dar um chute, bater no zagueiro, na mão do goleiro, na trave e só depois entrar no gol até as mais diretas, como uma bicuda na bola (diga-se de passagem é minha forma favorita de chutar - a qual sei muito mal aliás) depois de ter driblado todo o time, incluindo o goleiro.

Para falar a verdade, fazer um gol é algo simples: basta chutar a bola entre as traves. O problema (ou melhor, os problemas) são os jogadores do outro time, os impedimentos, faltas, árbitros comprados e todas as outras filha da putices do futebol. Se o cara que inventou o impedimento fosse vivo hoje em dia, ele estaria em uma ilha deserta, para não ser morto por nenhuma torcida "injustiçada".

Estava me lembrando de alguns gols que perdi... e é verdade aquela história de "depois você vai olhar para trás e rir disso tudo".

Acho que nada mais justo do que acabar esse sub-título desse jeito:



Sem palavras.


Tipos de futebol

Sendo o esporte mais famoso do mundo, é claro que haveriam vertentes. A maioria delas é bem parecida com o futebol "normal", de campo, caso do futebol de salão, showball e society: nesses três tipos o que muda é o número de jogadores (5, nos três tipos) e o tamanho da quadra ou campo (bem menores que a versão "normal").

Há também o futvôlei e o bossaball, sendo que estes dois misturam futebol e vôlei, não tendo gol (substituido pela rede de vôlei). Apesar da semelhança, o bossaball é mais divertido, uma vez que é jogado num campo inflável que tem uma cama elástica:

E, é claro, há o futebol americano, o australiano e o rúgbi (nem vem, aquilo lá É FUTEBOL SIM!) que não tem praticamente nada a ver com o bom futebol (por isso os gringos chamam o nosso futebol de soccer):

Que como todos vocês sabem, é uma demonstração publica de "eu posso te matar".

Há também o futebol de botão, que como o próprio nome diz é jogado com botões. Claro, não são botões usados em roupas, são peças feitas para o jogo. E para o ser que vos fala é o tipo mais legal de futebol que existe:

E para terminar o ciclo, há o bom e velho pebolim (ou totó ou pimbolim ou futebol de mesa) que é jogado numa mesa (é...) onde o movimento dos bonecos se limita ao cano no qual o boneco é preso. Meu primeiro site foi sobre pedolim... tinha de tudo em relação ao jogo: tipos de estratégias, história do jogo, nomenclaturas, esquemas táticos, dicas, tipos de "chutes"... mas como era um trabalho de escola nunca foi posto no ar.

E só por curiosidade para meus futuros fãs, tenho tanto o tabuleiro e os botões do futebol de botão quando a mesa do pebolim aqui em casa. Dificilmente uso... que foi?! Eu disse que não ligo pra futebol!


Raça

Tá certo que eu sou contra as paraolimpíadas, mas que tem que ser foda para jogar com muleta, ahhh, isso tem!

Nota: se você leu "raça" viu a foto e me achou preconceituoso em relação à cor de pele dos jogadores, pegue qualquer uma das muletas presentes na foto e entroduza no seu reto. Grato.

Todos estamos cansados de ouvir aquela história de "esporte te tira das drogas, esporte te tira do tráfico, esporte te tira das ruas, esportes te faz alguém melhor, esportes te dão oportunidade de vida" e qualquer outro discurso-a-la-criança-esperança, porém é realmente melhor ser um jogador de futebol burro do que um traficante burro.

Jogar com raça, dar o sangue ou qualquer outra expressão do tipo significa "não desistir", "jogar com vontade", indepentende das motivações para isso e dos resultados disso. De uma forma ou de outra, "jogar com raça" é ser aplicado, se propor a dar tudo de sí no jogo, no treino e (o mais legal) na comemoração (seja ela qual for). Jogar com raça não é (necessariamente) acavalar (entenda como quiser) o adversário (embora esse seja meu trabalho atual...), mesmo que este esteja "pedindo" por isso. Pensando bem, em alguns casos, jogar com raça é sim enquadrar a canela do adversário.


Copa do Mundo

Não é surpresa para ninguém que falta pouco menos de um mês para o início da Copa do Mundo de 2010. Aliás, já sabemos praticamente tudo: os dias dos jogos, a bola oficial, as seleções participantes, os árbitros, a lista de músicas oficial (pois é, tem até Claudia Leitte!), os uniformes das seleções, enfim, o que não sabemos são os resultados dos jogos, porque todo o resto já está decidido.

Apesar da iminente paralisação global, este não é o motivo pelo qual escrevo este post hoje (comecei sábado, são 2:01 da manhã de domingo). Dei uma pequena comentada no Twitter mas não dei mais nenhuma informação. O negócio é o seguinte: Negão, eu e mais uns amigos estamos num torneio de futebol de salão. Ontem de manhã, sábado, foi nosso segundo jogo, o qual perdemos de 4 a 3 por pura idiotice. Na verdade, o "problema" maior foi ter perdido para o time inimigo (e nesse caso é realmente "inimigo", devido a fatores externos). Agora nos resta jogar outras 4 (3 ou 4...) partidas para chegar na final (estávamos na chave com balão... seriam apenas 4 jogos, contando com a final), desejem-nos sorte.

Voltando ao tópico, estamos às vésperas da Copa, a escalação brasileira foi anunciada há poucos dias e os produtos com o verde-amarelo começam a chegar nas prateleiras. Dentro de uma ou duas semanas já teremos todos comprados bandeiras, cornetas, apitos e demais tralhas com as cores do Brasil. Bem, como eu disse lá em cima, a Copa do Mundo é a única coisa que acompanho em relação ao futebol, então dentro de 1 mês terei de fazer o papel mínimo de todo brasileiro e torcer pela seleção. Pena não termos como levar a Jules Rimet esse ano. De novo.


Minha conclusão:

Cambaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaada, que post longo!!! Quando comecei a escrever não tinha idéia do tamanho que isso ia chegar! Mas que se foda, post é post e se esse não for um post, nada mais o é.

Futebol é algo muito simples: junte pessoas, uma bola e um lugar qualquer para jogar e já é uma partida de futebol, pronta para ser disputada e comemorada (ou não). Não é um esporte difícil de entender nem sequer difícil de jogar, basta vontade e um pouco de talento (duas coisas que me faltam, é verdade) que você está apto a ser um bom jogador de futebol.

Se fôssemos reunir as palavras-chaves do futebol, estas seriam: gol, bola, campo, torcida, copa, jogador e esporte. Assim como falei lá em cima, bola e roda são conceitos extremamente simples, e o futebol também é: o objetivo é passar a bola por entre as traves. O ser humano pode criar as coisas mais complexas do mundo, mas são as simples que o fascina... incrível. É o tipo de coisa que se você pára para pensar, a frase "por que eu não pensei nisso antes?!" lhe vem à cabeça.

Eu não ligo para futebol, nem para jogadores nem para nada disso, mas mesmo assim, de 4 em 4 anos disponho de algumas horas da minha vida para sentar em frente à TV, xingar jogadores, árbitros e técnicos, gastar minha garganta, fazer barulho e vestir verde e amarelo. É quase que impossível para alguém do "país do futebol" não fazer isso. É nessa época do ano que compramos jogos piratas com todos os times do Campeonato Brasileiro atualizados, juntamos os amigos e falamos mal da edição dos nomes (e das caras) dos jogadores, bem como da narração do Galvão Bueno.

De um jeito ou de outro torcemos, seja por causa do paixão pelo jogo, pela alegria de torcer, pelo bolão no trabalho, pela aposta com a namorada... desculpas para ver futebol não faltam. Creio que a época de Copa do Mundo é crítica para os relacionamentos amorosos... o número de separações deve aumentar bastante, bem como a venda de cerveja, havaianas coloridas e pay-per-views nas TVS à cabo. Tudo isso regado a muito achocolatado de morango, claro.

Bem... provavelmente farei outros posts sobre futebol (ainda mais por causa da Copa), mas creio que para uma primeira abordagem me saí bem. Mesmo se tivesse ficado ruim eu não reescreveria isso tudo, então que se foda. Cambada, tenham um bom fim de semana!

See ya!
Related Posts with Thumbnails

0 comentários: Aquela ,Ein ,Ein!, Eu, blog ,opinião ,internet, 1 ,2 ,3 ,4 ,5 ,6 ,7 ,8 ,9 ,0 ,top ,x ,coisas ,vê ,isso ,links ,semana ,post , contos ,de ,duendes ,até ,quando ,acordes , aviso ,acorde ,vícios ,matinais ,porquês ,e ,afins ,vida

Postar um comentário