sábado, 29 de maio de 2010

Porquês e Afins: Marias-Violão

Aew cambaaaaaaaaaaaaaaaada!!!

Sábado, 17:41 da tarde: estou atrasado para fazer o post. Pois é. De qualquer modo, após um bom tempo sem falar nada em relação às novas colunas daqui do blog, volto com mais um post do "Porquês e Afins". Caso você não saiba como rola essa coluna aqui, veja o link na linha acima. Também prometo que atualizarei a sessão Ajuda em breve. Além disso, quanto às mudanças que falei aqui, quero falar que continuo pensando na idéia (com acento mesmo, que se foda)... só preciso de tempo e vontade, duas coisas que não estão dando o ar da graça aqui em casa.

Ahh sim, saiu hoje mais um post meu no Bacon Frito. Para os padrões de tamanho em relação ao que normalmente escrevo aqui, ele está curto, mas se comparado com os meus outros textos para o Bacon (leiam também - isso é uma ordem), está gigantesco... enfim, creio que dificilmente falarei sobre livros, literatura e coisas do tipo aqui no blog, uma vez que esse é meu trabalho no Bacon... então, se quiserem saber mais sobre o assunto (e ler coisas ainda mais idiotas do que aqui), visite o Bacon Frito. E não, não tô recebendo nada para falar isso.

Simbora!!!


Violão

Um violão, com tenho certeza de que todos sabem, é um instrumento musical, mais precisamente um instrumento de cordas, que como vocês sabem, pode ser acústico, digital ou elétrico. Bem como suas "filhas", as guitarras, o violão apresenta o mesmo número de cordas (claro, há variações de instrumento para instrumentos, além de personalizações e tudo mais), um corpo (a parte grande) parecido (que também tem vários modelos), cabeça (onde se prende as cordas) e, é claro, a fama.

Tenho certeza de que ao menos uma pessoa que você conhece toca violão (e/ou guitarra) e ao menos que você seja um anti-social extremo, tenho certeza que você já notou a aglomeração formada ao redor de um violonista (e/ou guitarrista). Já falei disso ligeiramente antes, mas nada tão profundo quanto farei hoje.

O violão é um dos (senão o mais) instrumentos mais famosos e tocados atualmente, fator que se dá pela facilidade de tocá-lo (não encham o saco, DUVIDO vocês tocarem flauta doce, por exemplo), a faciliade ao acesso ao instrumento, o preço, enfim, pela facilidade ao aprender a tocar violão.

Vai aí um vídeo, só para ocupar espaço no post:




Maria

Eu ia colocar a "Virgem" Maria, mais aí eu faria uma piadinha (real, diga-se de passagem...) um pouco mais sarcástica do que a que já fiz e afundaria ainda mais a audiência daqui do blog.

"Maria", como todo brasileiro sabe, é o nome mais comum no mundo intero (sim, há mais mulheres que homens no mundo), sendo também o mais usado para mulheres (e alguns homens, ao exemplo de "Maria João" - um nome feio para dar para seu filho). Tenho certeza que você conhece ao menos uma Maria também... eu conheço umas 5 ao menos... isso porque não contei.

E aqui fica um apelo às (supostas) leitoras e leitores do blog: não deem o nome de "Maria" para suas filhas, e nem nenhuma variação, como "Maria da Graça", "Maria Lourdes" e "Maria Clara". Sério, há milhões de nomes, em mais de 300 idiomas diferentes, sem falar que você pode criar um nome novo. Como eu já disse, eu conheço várias Marias, gosto delas e tudo mais, mas porra, o nome é sem graça! Não chega a ser feio... mas já é tão utilizado, que perdeu a "luz" (falei como religioso agora), sem falar no problema em relação à nomes iguais... então, caros (e caras) leitores do blog, não chamem suas filhas (e filhos) de "Maria".


Maria-Violão

Senhoras e senhores, com vocês, Mallu Magalhães, ou se preferirem, MARIA Luiza de Arruda Botelho Pereira de Magalhães. Creio que vocês já notaram que essa "artista" é retardada. Sim, porque é a única explicação viável para ela, confiram:



Incrível, não?

Maria-Violão é aquele tipo de garota (e/ou mulher) que ao ver alguém - quem quer que seja, não importa se é um estuprador, se ela conhece a pessoa - com um violão na mão, dá um ("um" é modo de dizer, claro) grito, sai correndo até a pessoa, chega do lado e começa a cantar a "música" da maneira mais desafinada, irritante e alta da mundo, é meio que a final da Copa do Mundo: o motivo não é tão importante, mas o desespero deve ser levado ao máximo.

As Marias-Violão são facilmente identificáveis: são aqueles que estão sempre ao lado de um violão, cantando (mesmo sem conhecer a música), chorando e pedindo outros "sucessos" mundiais. Eu lhes pergunto: por que alguém larga o que está fazendo e vai atrapalhar a vida de todo mundo ao seu redor? Por que alguém se dispõe a gritar as letras das músicas (aquilo não é "cantar" de jeito algum!)?! Por que alguém tem prazer em ficar numa rodinha de violão com músicas ruins, cantadas por pessoas que não sabem cantar e ainda por cima fala que aquilo é o máximo?!

Porra, cria vergonha na cara!!! Ninguém precisa saber que você tem uma voz pior do que o som de britadeiras trucidando pessoas!!! Ninguém no mundo liga se você gosta de Armandinho, Banda Calypso e João Bosco e Vinicius!!! Ninguém, de forma alguma, gosta de alguém que chega sem ser convidada, senta ao lado e pede músicas ruins, para alguém que toca mal e que GRITA o quão bom é ouvir músicas "daóra" com a "galera" "cantando" junto!!! NINGUÉM!!!

Voltem alí em cima e assistam de novo a "música" da Maria. Eu aposto o celular do Negão de que a Maria é uma Maria-Violão. Pensem comigo: ela é retardada, tem uma voz ruim, faz músicas ruins e namora o Marcelo Camelo. CARALHO!!! SE MATA!!! Faça esse favor para a sociedade.

Enfim, as Marias-Violão são, como já falei, fáceis de localizar e também apresentam muita coisa em comum umas com as outras:


1 - Tem mal gosto musical

Isso é fato. Nenhum delas ouve músicas boas, nada de rock e pop. É tudo axé, "sertanejo universitário", pagode, reggae, funk e outras merdas. Felizmente não são posers, mais normalmente só ligam para o que está na moda.


2 - Tem voz potente

Todas elas alcançam facilmente os 1350 decibéis. É com essa potência que elas anunciam sua chegada e pedem músicas para quem está tocando.


3 - Só ela pede música

Não tem jeito, se alguém pede uma música (qualquer que seja) e a Maria-Violão descorda, pode ter certeza de que a música tocada será a que a Maria-Violão quer.


5 - Quanto mais gente melhor

Para elas, quanto mais gente (e mais Marias-Violão) estiverem na rodinha, melhor, afinal, assim todos poderão se divertir juntos.


6 - "Me ensina?"

Marias-Violão não sabem tocar violão, aliás, sequer sabem quantas cordas tem um violão. Mas como não poderia deixar de ser, elas sempre pedem para ter "aulas" com quem está tocando, mas não importa, elas nunca aprendem.


7 - Inglês?!

Qualquer música que não seja em sua língua nativa (no caso, o Português) é desconhecido para elas. Claro, isso não as abala, e logo estão todas executando o "embramation".


8 - Amplo conhecimento musical

Incrivelmente, as Marias-Violão conhecem milhares de músicas ruins e sabem cantar todas. Não importa o estilo nem a música: sendo ruim e no idioma delas, elas sabem cantar.


9 - "Pu...MTU lOcAH EXXah MusIcah!!!"

Todas as músicas que elas sabem são boas (para elas, claro). Não importa se quem está tocando sabe realmente tocar, nem a afinação e nem o que os outros acham, para elas, tendo o violão está sempre bom.


10 - Chora

Incrivelmente as Marias-Violão se emocionam com qualquer música mais melosa e chata. Não precisa ter letra, basta ter as palavras "amor", "você" e "beijo" que logo lágrimas são derramadas.


Mas o mais incrivel em relação às Marias-Violão é a percepção e a audição: não importa a distância, se elas captarem o mínimo indício de uma rodinha, elas correm atras... meio que como cães farejadores, mas esses são legais e divertidos, o oposto delas.


Quem toca

É bem por aí.

Normalmente, quem está tocando o violão é um homem (ou "homem"...) e é um babaca, mais babaca MESMO. Não só por tocar as merdas que pedem (e que ele provavelmente gosta) mas por gostar da compania e da participação das Marias-Violão. Eles tem uma paciência incrível, pois aguentam as músicas que elas pedem, aguentam elas cantando, aguentam ensinar elas a tocar e o mais incrivel de tudo: gostam de tudo isso que elas fazem.

Mas de tudo, a maior habilidade de quem toca violão nas rodinhas é a habilidade com o violão. Em 95% dos casos eles não tocam merda nenhuma: fazem aulas via internet, no YouTube, com alguém que toca tão mal quanto eles. Das 6 cordas de um violão, 4 são usadas, as outras duas são tiradas, para eles falarem que estouraram de tanto tocar.

Eles também tem o mal gosto das Marias-Violão, bem como o conhecimento acerca das músicas ruins. Logo, e inevitavelmente, formam o par perfeito, uma vez que ele é um babaca e ela uma idiota. Mas para a felicidade das pessoas normais, as Marias-Violão vivem trocando de parceiros, normalmente para um que toque "melhor".


As músicas

Ricky Vallen é exatamente o tipo de coisa que rola nas rodinhas de violão. É realmente incrível o quão ruim é as músicas tocadas nessas rodas. Fiquem aí com mais um sucesso do Ricky:



UHUUUUUUUUUUUUUUUUUUU!!!!!!!!!!!!!!!!!!

As músicas das rodinhas são sempre ruins, independente do estilo musical, do intérprete, do arranjo musical, enfim, sendo ruim é tocado. Claro, há uma predileção por certos estilos, como já falei: axé, "sertanejo universitário", pagode, reggae, funk. Nada com uma letra significativa, boa parte instrumental, afinação, arranjo. Seria o equivalente de enrolar as cinzas de um cigarro e fumá-las de novo.

Também não adianta nada falar para eles tocarem algo decente, a proposta será expressamente recusada e humilhada, uma vez que o intelecto deles é por demais pequeno para aguentar tanto conteúdo.

Mas claro, para as Marias-Violão e para quem está tocando essas músicas são sensacionais, dígnas de admiração constante. E coitado de quem diz o contrário. Sabe quando você entra numa igreja da Renascer em Cristo durante uma missa e grita a plenos pulmões "Deus não existe", aí todos os "fiéis" avançam contra você como leões avançando numa presa? Bem, é a mesma sensação: morte iminente.


As vítimas

Nós. Você, eu, enfim, quem tem bom gosto e bom senso. Claro, digo "nós" considerando que você é um ser pensante e não um poser, uma Maria-Violão, um babaca que toca violão ou qualquer outro tipo de alienado despresível.

Enfim, qualquer pessoa que tenha bom gosto musical, que tenha bom senso, que pense está fudido. Somos minoria e o Brasil é um país democrático, logo, a maioria vence (considerando que não haverá guerra...) e aí somos obrigados a ouvir todas as porcarias que irão tocar e cantar. Não adianta, feliz ou infelizmente o som do violão e várias pessoas cantando é mais alto do que o do mp-qualquer-coisa e do celular. Mesmo com fones supressores de ruído e o volume no máximo, eles ganham.

E mais uma pergunta: por que nós somos obrigados a ouvir as merdas que eles gostam e não o contrário? Por que somos educados ao ponto de não falar nada ao invés de xingar todos e quebrar o violão? É bem simples quebrar um violão... e tem mais de uma utilidade:

Pô! O Pepe Legal já fazia isso e ninguém reclamava!

De qualquer modo, somos obrigados a aguentar a poluição sonora: "músicas", gritos, desafinações (creio que isso não existe) e todo e qualquer outro tipo de merda que os babacas resolvam fazer. E é importante dizer aqui: quebrando um violão, este será substituido imediatamente, lhe deixando ainda mais irritado e com um violão como dívida.


Rodinhas

Obviamente não há só rodinhas do Lado Negro da Força, apesar destas serem a esmagadora maioria. Ainda podemos encontrar pessoas capazes de se reunir a volta de um violão para apreciar boa música e boa compania. Um caso desse é o show do Nenhum de Nós:



Como o Thedy Corrêa, o vocalista, fala: é bom poder sentar num lugar, ver todos, com gente que gosta do que está sendo tocado, algo de qualidade (ouçam as músicas do Nenhum de Nós, são fodas). Tá certo que alí não é bem uma rodinha, mas também não se equipara a isso:



Bem, o que quero dizer é que quando a música é boa, é bem tocada e as pessoas são pessoas pensantes, são realmente pessoas, as coisas ficam boas, fazer parte da rodinha vale à pena. Ahh sim, nada de som vindo dos iPods.


Minha conclusão

Bem, final de mais um Porquês e Afins... ainda estou desenvolvendo o estilo do post, então peço desculpas caso as coisas não saiam assim tão bem...

Bem, rodinhas de violão são, como muitas outras coisas, boas devido à "fatores externos", no caso, às músicas e às pessoas. Se estas duas coisas forem boas, a rodinha será boa. Mas como nada na vida é tão perfeito, as rodinhas ruins, com pessoas idiotas e músicas porcarias, são a grande maioria. Estas são responsáveis por horas e horas de sofrimento por parte de quem tem bom gosto.

Essa coluna, a Porquê e Afins, foi feita com um propósito simples: para eu fazer perguntas e reflexões acerca das coisas que eu não entendo (ou não entendo por completo) e é a única coluna na qual eu não me preocupo com tamanho. Sei que essa aqui e a anterior ficaram grandes, mas é pura consequência do quanto eu penso no assunto e prometo que haverá posts curtos aqui na coluna. Ainda de acordo com a coluna, esse post é dedicado às perguntas e não às respostas.

Por que, no final das contas, as rodinhas são tratadas como são tratadas? Por que não podemos mudar as coisas e fazer com que as rodinhas boas sejam maioria? Por que tem mulher idiota que gosta de babacas que não sabem realmente tocar violão? Aliás, por que tem mulher que gosta de gritar? E porque porras Ricky Vallen e Mallu Magalhães existem?!

E para terminar o costume da coluna, a frase de reflexão profunda (ou não) acerca do tema do post:

"Corpão violão só é uma regra válida se se refera às curvas de uma mulher, não aos seus pensamentos"

See ya!

Related Posts with Thumbnails

0 comentários: Aquela ,Ein ,Ein!, Eu, blog ,opinião ,internet, 1 ,2 ,3 ,4 ,5 ,6 ,7 ,8 ,9 ,0 ,top ,x ,coisas ,vê ,isso ,links ,semana ,post , contos ,de ,duendes ,até ,quando ,acordes , aviso ,acorde ,vícios ,matinais ,porquês ,e ,afins ,vida

Postar um comentário