sábado, 23 de outubro de 2010

Contos de Duendes: Kamen Rider é para os fracos


Aaaaaaaaaaaeeeeeewwwwww cambaaaaaaaaaaaaaaaaadddddaaaaaaaaaaaa!!!!!

Pois bem, faz um bom tempo desde o último Contos de Duendes, e para quem não sabe, este é o post no qual eu escrevo uma estória completamente sem noção, meio doentia e tosca... basicamente é para quando eu não tenho nenhuma outra ideia de post, mas o post de hoje é porque deu vontade de falar idiotice mesmo.

Simbora!!!


Nossa aventura começa no longínquo ano de 1103, uma época de guerras, reis e poder. No campo, distante de qualquer vila, morava um velho. As pessoas da vila mais próxima, acreditavam que o velho além de louco, era um bruxo: uma alma vendida ao Diabo em troca de poderes sobrenaturais.

O velho, que já passara muitos anos em seu "exílio" recebera há pouco um recado, avisando-lhe de que tudo que a humanidade conhecia estava prestes a mudar. O velho, desesperado, começou a fazer seus preparativos. Em pouco mais de 2 dias tudo que ele tinha: algumas peles, livros, comida e sua antiga espada estavam guardados, prontos para a viagem, dando uma última olhada na cabana que fora sua moradia por mais de 140 anos:

Ele desapareceu num piscar de olhos, envolto em fumaça.

Longe dalí, o Rei Steilos acabava de assistir ao enforcamento de seu conselheiro: o sexto em menos de um mês. Havia uma grande tensão entre os dois reinos vizinhos (os maiores e mais poderosos da região) que só era apaziguada pela necessidade que ambos os reinados tinham na troca de produtos e alimentos, todos muito bem taxados e vigiados, obviamente.

Entratanto, nos últimos anos a tensão subiu com a construção de um novo palácio no reino de Thondorus (o reino vizinho ao reino de Steilos): uma clara demonstração de poder político e militar. No meio dos trabalhadores havia um jovem rapaz sem diferencial algum: magro (pela fome que já se alastrava por 3 meses no reino), fraco e pobre. Já se encrencara diversas vezes por correr nas construções do novo castelo, mas a simples alegria de aborrecer o capitão da guarda valia à pena. Seu nome ninguém sabia: fora recolhido do rio quando era uma criança de poucos meses de idade. Mas para não ficar sem um nome, o adotaram como Aleico.

Steilos, já de volta a seu trono, recebe um comunicado de seu general, avisando que tropas de Thondorus estavam avançando em direção ao reino. Apesar de não querer uma guerra (o que acabaria por destruir ambos os reinos), Steilos ordenou que seu general preparasse todas as suas tropas para combate. No reino de Thondorus já corria a notícia de que o Rei atacaria Steilos, na intenção de tomar terras e mão de obra,  bem como para impedir ataques futuros.

Tendo chego ao reino de Steilos, as tropas de Thondorus armam uma cilada: se dividem em dois grupos, um atacava a cidade pela lateral, enquanto o outro grupo servia de isca:

Percebendo o golpe, Steilos envia seus soldados para a batalha:

Observando de longe, Aleico resolve se juntar aos soldados, para proteger o reino. Impedido pelo capitão da guarda, ele finge que vai para um lugar seguro, escapando da visão do capitão. Após passar por alguns becos, ele chega à um depósito de armas, onde encontra equipamento de guerra:

Ele fez a rapa nos soldados de Thondorus.

Vendo que seus soldados foram facilmente derrotados, o Rei de Thondorus vai se consultar com seu conselheiro, que lhe diz de um poder oculto invencível em combate, porém alertou-o: tal poder tinha um custo altíssimo. O Rei, querendo se vingar do reino vizinho e do soldado que havia derrotado suas tropas com tanta facilidade, não deu ouvidos ao conselheiro e resolveu usar tal poder.

Após pegar seu cavalo, o Rei parte sozinho para o local onde o conselheiro disse estar trancado tal poder. Após andar vários dias sem notícia nenhuma (o Rei Steilos havia enviado uma mensagem de rendição, mas como ele não estava, tal mensagem não fora respondida) e com sua comida e água acabando, o Rei começou a achar que fora enganado por seu conselheiro. Quando ele se voltou para regressar à seu reino, viu algo ao longe, chegando mais perto, viu que se tratava de uma caverna:

Entrando na caverna, ele percorre centenas de corredores:

Até que chega numa câmara onde havia um pedestal. Passando por diversas escuturas e pinturas de tempos ainda mais antigos, o Rei chega ao local sagrado, porém havia um problema: para conseguir poderes ilimitados ele deveria responder uma pergunta:

(Nota: jamais direi o que está escrito)

Respondendo corretamente a pergunta, um globo sobe do chão, no centro da sala, mostrando ao Rei o poder que lhe garantiria a vitória:

Ao chegar perto do globo, o estranho objeto salta para o pulso do Rei:

Fazendo ele MORFAR!!!

O Rei então volta para Thondorus, e ao chegar percebe que o reino fora tomado por Steilos e por Aleico. Ficando puto, ele então mata soldados inimigos até chegar ao seu castelo. Lá, descobre que Steilos e Aleico proclamavam a vitória sobre Thondorus e que o Rei havia fugido por ser um covarde. Imadiatamente, o Rei usa seu poder de clonagem:

E vai procurar Steilos e Aleico, querendo vingança. Ao se deparar com ambos na sala do trono, o Rei cai na porrada com os dois, perdendo três de seus clones para Aleico e um para Steilos. Vendo que perderia se continuasse daquele jeito, ele chama reforços:

Steilos e Aleico unem seus poderes:

E começam uma luta mano a mano com o Rei. Após três dia de luta (e os dois reinos destruidos), o Rei resolve acabar de uma vez com aquela luta, e lança seu golpe mais poderoso: a medaforça.

O Rei vençe então a guerra. Voltando à sua forma normal, reúne as pessoas ainda vivas no seu reino e diz que todos do reino de Steilos estão livres para fazerem o que quiserem. Alguns anos depois, o reino já estava reconstruído e mais próspero do que antes. O Rei havia se casado e tinha 3 filhos, que governaram o reino por muitos anos após sua morte. A única diferença foi que eles mudaram o nome do reino... para "東京".



Taí cambada, mais um conto idiota para vocês. E a moral da estória é:

"Faça um pacto com o Capeta e suma antes que reis malucos caiam na porrada".

Ahh sim, e quem achar que sabe qual era a pergunta que o Rei respondeu, deixa aí nos comentários junto com a tradução dos ideogramas alí em cima.

See ya!
Related Posts with Thumbnails

0 comentários: Aquela ,Ein ,Ein!, Eu, blog ,opinião ,internet, 1 ,2 ,3 ,4 ,5 ,6 ,7 ,8 ,9 ,0 ,top ,x ,coisas ,vê ,isso ,links ,semana ,post , contos ,de ,duendes ,até ,quando ,acordes , aviso ,acorde ,vícios ,matinais ,porquês ,e ,afins ,vida

Postar um comentário