segunda-feira, 28 de março de 2011

Vícios Matinais: Clássicos Disney

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaeeeeeewwww cambaaaaaaaaaaaaadddddaaaaaaaa!!!!!!

Pois bem, o post não saiu ontem porque tive de fazer outros dois posts e fiquei com preguiça... e sim, eu sei que eu sou uma vergonha para a sociedade. Mas enfim, que eu me lembre não há nenhum recado para hoje... sei lá, meio estranho isso... mas fazer o que?

Simbora!


Não tão breve história da Disney

Já falei um pouco sobre os parques da Disney aqui (O maior posts do blog é também o mais lido... definitivamente não entendo vocês, caros leitores imaginários), mas hoje é outra história. Acho.

Desde que a Disney Brothers Studio foi fundada (lá em 1923) a ênfase sempre foi (e nunca deverei ter deixado de ser) os desenhos, as animações em 2D. O primeiro personagem famoso foi o Oswald (do Oswald the Lucky Rabbit), em 1927. No ano seguinte veio o Mickey, depois vieram o Pluto (em 1930), Pateta (1932), Donald (1934) e finalmente veio a fama, a fortuna e a glória: Branca de Neve e os Sete Anões, lançado em 1937.

Mesmo depois da morte de Walt (em 1966), a Walt Disney Productions continuou no ramo dos desenhos, até 1982, quando Tron foi lançado. Em 1984 a coisa começa a desendar: Michael Eisner assumiu a presidência e no mesmo ano veio Splash, uma Sereia em Minha Vida (aquela porra com o Tom Hanks e a - na época - gostosa Daryl Hannah). Mas obviamente Eisner não fez só besteira: ele continuou a saga dos desenhos , aumentou a produção dos filmes "live action" e abriu espaço para as animações em 3D.

Foi durante a estadia de Eisner (de 1984 a 2005) que surgiram coisas como Duck Tales, Pinóquio, Uma Cilada para Roger Rabbit, A Pequena Sereia, A Bela e a Fera, Aladdin, Os Super Patos, Toy Story 1 e 2, Hércules, Tarzan, Monstros S.A., Mulan, Vida de Inseto, Procurando Nemo, Os Incríveis, O Corcunda de Notre Dame e, claro, os três Rei Leão. Seguinte: todos desta listá aí são fodas, mas O Rei Leão (o 1) é o melhor, afinal, TODO MUNDO conhece ISSO:


Porra, se você nunca ouviu isso você NÃO TEVE INFÂNCIA.

Cabe uma nota aqui: não importa o que te digam, a dublagem original é sempre a melhor. De uns tempos para cá (já chego nisso) a Disney deu para fazer novas versões dos clássicos, com novas dublagens e tal. Em resumo: são todas uma merda. A do Rei Leão foi refeita em 2003 (PORRA EISNER!) e é uma bosta, igualmente à da Pequena Sereia (que tem 2 versões além da original) e vários outros desenhos da Disney (os quais eu felizmente nunca vi, portanto não sei exatamente quais são).

Foi em 2005 que tudo desendou de vez: Eisner saiu da Disney e entra Robert A. Iger. Para vocês terem ideia da bomba que esse filho da puta é, foi só ele entrar que Chicken Little foi lançado. É. E foi no ano seguinte que dei adeus à Disney: lançamento de High School Musical.

Daí para frente todos sabemos o resultado: séries toscas para adolescentes, filmes idiotas sobre bandas, gente pagando de virgem, música horrível atrás de música ruim e toda essa porcaria que existe no Disney Channel e no Disney XD. Nota rápida aqui: PORRA FOX, TINHA MESMO QUE VENDER A FOX KIDS CARALHO?!

Desde de 2006 é um martírio ligar a TV e ver coisas como Os Feiticeiros de Waverly Place, Sunny entre Estrelas, Zack e Cody: Gêmeos a Bordo, Jonas L.A., Hannah Montana Forever (que felizmente acabou - mas que os FDPs brasileiros não cansam de reprisar), Peter Punk (se você for realmente punk - e souber ler - por favor, vá lá matar esse filho da puta), Uma Banda lá em Casa (me dói só de lembrar dessa, sério), Zeke e Luther, Kick Buttowski, Meu Amigo é um Gigante, Dinossauro Rei, Clube dos Caça-Monstros e Aaron Stone.

Tá certo que antes tínhamos coisas como As Visões da Raven e Lizzie McGuire, mas ao menos tínhamos coisas boas: Kim Possible, Sinistro, Hora do Recreio, Lilo & Stitch: A Série, Músculo Total (que era tosco pra caralho, mas era foda), Digimon (o 1, o resto é lixo) e O Colégio do Buraco Negro. Atualmente contamos apenas com Kid vs. Cat (que é bom, mas cansativo... não se fazem mais desenhos de perseguição como antigamente) e Phineas e Ferb.

 Phineas e Ferb merece um parágrafo à parte. Os criadores Dan Povenmire e Jeff "Swampy" Marsh merecem cortejos à la casamento indiano. O desenho é bem feito, criativo, inteligente e é o único que me lembro que tem as músicas bem traduzidas e cantadas (tirando os longa metragens). Com toda a sinceridade do mundo, Phineas e Ferb e Bob Esponja são as únicas coisas que me fazem assistir desenho hoje em dia.

Felizmente, enquanto os desenhos e as séries ficavam uma merda, a animação em 3D só melhorou (mas só porque quem manda nessa área não é o Iger): a Pixar é foda. Não tenho preferências entre ela e a Dreamworks, ambas são incrivelmente boas no que fazem, mas a Pixar merece palmas a cada filme, enquanto a Dreamworks escorrega às vezes (Sim, Shrek 3, é de você que estou falando). Toy Story 3, Up - Altas Aventuras, Ratatouille e Carros, num período de 4 anos.

Não sei quais os projetos da Disney a partir deste ano, mas não tenho esperança, principalmente quando a Disney detém os direitos de produção disso. Mas é esperar para ver... se a Pixar continuar como está (ou melhorar, é claro) e não foderem com Phineas e Ferb, ainda haverá esperança.


Walt Disney Classics

Não sei vocês, mas tive a chance de assistir quase todas as animações em 2D da Disney, a maioria delas na versão original (algo que, considerando quando foram comprados, é quase um milagre), então digo, com certo orgulho até, que cresci assistindo à esses desenhos... não se fazem mais infâncias como antigamente.

Os "Walt Disney Clássicos" são uma lista de 20 longas metragens em 2D. Aqui no Brasil, a lista de filmes que levam o "Clássicos" no nome é bem maior: são 52 animações que vocês podem ver (digo, a lista, não os filmes) aqui. Não tenho todos (e me recuso terminantemente a comprar as novas versões), mas vamos às que estão, literalmente, à 2 metros de mim neste momento:


Mogli - O menino lobo (The Jungle Book)

Filme foda. Já assisti muitas e muitas vezes... é um dos poucos que não enjoam, até porque os personagens são realmente legais (menos o Mogli e a garota por quem ele se apaixona, que são dois pés no saco). Faz vários anos que não assisto, tinha até me esquecido do estado da caixa do VHS... e não lembro o nome da cobra (essa da foto mesmo)... ela é o personagem mais divertido, mas prefiro o Baguera, afinal, pantereas negras são fodas pra caralho.

Nota: 8


A Bela Adormecida (Sleeping Beauty)

Eis as três melhores personagens do filme... aliás, a melhor cena é delas, no começo do filme. O resto é bem clichê e tal, com aquela velha história que todos conhecemos, mas tem UM DRAGÃO!!! Qualquer coisa que tenha um dragão fica, imediatamente, mais foda!

Nota: 7


As Peripécias do Ratinho Detetive (The Great Mouse Detective)

Nem é a melhor personagem do filme só coloquei porque... é que... deixa pra lá.

Mais uma obra baseada em Sherlock Holmes e nem é tão criativa... sem falar na Olívia, a garotinha chata que só atrapalha as coisas, mas ainda sim é divertido ver as cenas de "ação" (menos a do final que é sem graça) e todas as cenas que tem o morcego (que eu também não lembro o nome e é o personagem mais legal) e a rainha da Inglaterra.

Nota: 7


O Cão e a Raposa (The Fox and the Hound)

Esse filme é foda: personagens legais, bem feitos e adoráveis, uma história foda pra caralho e o melhor de tudo: os personagens principais não deixam nada devendo para a lagartinha e para os pássaros (mas que ainda são os melhores do filme). Um dos melhores filmes da Disney, com absoluta certeza.

Nota: 10


Peter Pan

Nossa... perdi MUITAS horas da minha vida assistindo isso: era, literalmente, toda noite, quando mais, duas vezes no mesmo dia. A história é boa, mas definitivamente a graça do filme é o sujeito acima, o Capitão Gancho e o crocodilo Tic Tac (é, eu sei)... e, claro, o Sr. Smee... bons tempos.

Cabe aqui uma pequena nota: "Tinker Bell" É O CARALHO, O NOME SININHO PORRA!!! E só mais uma coisa: Wendy, todos te odiamos.

Nota: 9 (Porque eu já enjoei)


Cinderela

Novamente um que só se salva pelos personagens secundários (e nesse há muitos): os ratinhos, o gato, o cachorroa, as irmãs mal amadas, a Fada Madrinha e o cara com o monoclo... pensando bem, a Cinderela é bem mala... sem falar que sapatos de cristal deve dar chulé.

Nota: 7


Dumbo

Dumbo é mais um exemplo de filme em que os personagens secundários são mais legais que os personagens principais, mas o destaque aqui não são os personagens, mas as cenas com música e as próprias músicas. Porra, Dumbo definitivamente é o melhor não-musical que eu já assisti e bem... isso já diz tudo.

Nota: 9


A Dama e o Vagabundo (Lady and the Tramp)

Cena mais do que clássica... surgiu nesse filme mesmo ou foi homenagem para algum outro?

É um filme divertido e... equilibrado, não há grandes destaques e nem grandes fracassos. Na verdade não há muito o que dizer... é uma boa opção caso sua namorada queira ver um filme romântico e você está à beira de um colapso nervoso por causa da Julia Roberts.

E é bom falar: O 2 é uma porcaria e o Banzé é um merda.

Nota: 7


A Bela e a Fera (Beauty and the Beast)

Os três melhores personagens... aliás, o filme só tem graça até a hora em que todos estão transformados, quando eles voltam a ser pessoas é estranho.

A história todos sabemos, mas o que eu sempre gostei nesse filme são as músicas... tem várias músicas... nem sei qual a mais legal, mas a cena mais foda é a dança final (não a mais engraçada, só para exclarecer)... e sim, eu sei que ficou meio gay isso.

Nota: 8


101 Dálmatas (101 Dalmatians)

Filme foda: desenhar 101 cachorros (presumo que foram realmente 101, mas nunca contei) não é para qualquer um. E claro, sem falar em Cruella De Vil, tenho certeza que ela aparece nos pensadelos de muita gente nesses últimos 50 anos.

Nota: 8


Pinóquio (Pinocchio)

Sei lá porque gosto de Pinóquio, mas gosto... mas enfim, o destaque, de novo, são para os personagens secundários: o Grilo Falante, e para Fígaro e Cléo... e é isso... assistam porque eu gosto.

Nota: 9


Robin Hood

E VIVA O REI RICARDOO!!!!!!!!!!!!!

Filme foda, com personagens fodas, história foda e músicas fodas. Porra, todos os personagens secundários são incrivelmente legais, e os principais não perdem para eles! Definitivamente um dos melhores filmes que a Disney já fez.

Nota: 10


A Espada era a Lei (The Sword in the Stone)

Outro filme realmente foda, dessa vez não pela música ou pela história, mas pelos personagens. Merlin, Arquimedes, Madame Min, as esquilas, enfim, TODOS os personagens são realmente incríveis e tudo mais, mas o personagem que tem a melhor cena no filme todo (e acredite, há MUITAS cenas boas) é o lobo acima. A cena em questão é como Chaves: por mais que você assista, continua dando risada... parece meio bobo falar isso (e é), mas é a mais pura verdade.

Nota: 10


Bernardo e Bianca na Terra dos Cangurus (The Rescuers Down Under)

Filme legal, novamente com destaque para os personagens secundários: o lagarto acima (a Joana) e o albatroz Wilbur. Gosto do filme por causa dos personagens e de algumas cenas só... a história não é lá muito boa, mas e daí? Tem uma águia gigante no filme caralho!!!

Nota: 7


A Pequena Sereia (The Little Mermaid)

Antes de tudo: SÓ A VERSÃO ORIGINAL PRESTA. Sério, se você não assistiu a versão de 1989 você não assistiu A Pequena Sereia. Todos os dubladores das outras versões merecem morrer empalados... e os tradutores também.

Mas enfim, filme bom, mas que novamente fica por conta dos personagens secundários: Sebastião, Linguado, Sabidão e o cozinheiro do castelo (que se não me engano chama Loui). As músicas também são fodas pra caralho, lembro até hoje do rítmo e da letra delas, fica uma aí de presente:




Foda-se se você acha gay, é FODA PRA CARALHO.

Nota: 10


Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland)

O que me irrita no Tim Burton não é ter o Jhonny Depp em todo filme, mas o Jhonny Depp ser o PROTAGONISTA em todos os filmes. PORRA, em ALICE no País das Maravilhas a protagonista é a ALICE CARALHO, NÃO A PORRA DO CHAPELEIRO LOUCO!!!! Isso sem falar na Helena Bonham Carter...

Não tenho o filme (aliás, daqui para frente, não tenho nenhum deles... mas 15 de 20 até que tá bom, né?), mas já assisti algumas vezes. Lewis Caroll é foda e dos filmes/séries/caralho a quatro que já vi baseados em sua obra, o da Disney é o melhor, sem dúvida alguma.

Nota: 9


Bambi

Não sei quando foi a última vez que assisti Bambi, mas passa fácil de 7 anos, então não poderei dizer com muita certeza a minha opinião sobre o filme... mas quem se importa? O blog é meu mesmo.

Das poucas coisas que lembro do filme, a única relevante aqui é que a história era foda. E como eu adoro ser do contra e estou pouco me fodendo para futebol, considerarei Bambi como filme fodão.

Nota: 9


Bernardo e Bianca (The Rescuers)

Se lembro pouco de Bambi, Barnardo e Bianca é um mero borrão em minha mente... de fato, nem sequer lembro de ter assistido o filme inteiro, mas como a primeira parte costuma ser melhor que a primeira, serei justo... acho.

Nota: 8


Aladdin


Adoro esses momentos em que uma imagem diz tudo sobre um assunto...

Aladdin provavelmente tem os melhores personagens secundários: os 5 são bem desenvolvidos e fazem o filme acontecer (é... até eu reconheço que ficou meio "estranha" essa frase). O Gênio, Iago, Abu, o Tapete, o Sultão e o Rajah. E tem o mercador que canta a música do filme:



Nota: 9


Fantasia

Fantasia é... estranho... e genial... sem falar numa que pode ser a melhor trilha sonória de um filme até hoje. Não há muito o que falar sobre o filme, mas se você quer conhecer sobre a obra e o universo Disney, é por onde você deve começar.

Nota: 9


Minha conclusão

Cambaaaaaaaaaaaaaddaaaaaaa, post atrasado pra caralho... nem lembro a última vez que postei numa segunda feira... de qualquer jeito, pretendo não atrasar no post que vem... torçam.

Bem, eis os Clássicos da Disney. Como eu disse lá em cima, há mais filmes com a mesma classificação atualmente, mas esta é a lista original. Sim, eu sei que falta coisas como Branca de Neve e os Sete Anões, Pocahontas e o Rei Leão, mas aí vocês tem que culpar a Disney (culpa do Eisner, aliás), não eu... ou me culpem também, vai ser legal xingar vocês nos comentários também.

A nota geral foi muito boa (mas acho que vocês já notaram isso): 8,5. Ficou claro (pelo menos para quem já assistiu os filmes), que meus favoritos são os mais engraçados, com mais personagens e cujos personagens principais não ficam totalmente apagados pelos coadjuvantes (sempre achei essa uma palavra feia). Talvez, quem sabe, eu pense na possibilidade de fazer um post com aquela lista dos 52 clássicos, mas não prometo nada (até porque tenho falhado miseravelmente nas minhas promessas em 2011). De um jeito ou de outro, assistam os filmes aí e pulem de alegria porque eu lhes apresentei (ou re-apresente, por que não?) essas obras primas da Disney.

E lembrem-se crianças: Phineas e Ferb é a única coisa que presta nos canais da Disney, então assista os filmes e esqueça aquele bando de vagabundos com bandas toscas e músicas torturantes.

See ya!
Related Posts with Thumbnails

domingo, 20 de março de 2011

Chapas brancas, agradar pessoas e a volta às raizes

 Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaeeeeeeeeewwwww cambaaaaaaaaaaaaaaaaddddaaaaaa!!!!!!

Pois bem, eis que estava eu escrevendo este post quando me dei conta de uma coisa: faz muito tempo que não faço um post estando realmente irritado, xingando tudo e todos (provavelmente com razão). Pois é... inclusive, acho que o último foi esse (mas se não foi, procurem aí). Creio também que o Bacon e o Crepúsculo me deixaram mais "sensível"... falo menos palavrão e reclamo menos neles. Maaas como eu adoro reclamar das coisas e xingar gente idiota, decidi que faria o post inteiro de novo (estava praticamente no final... devia faltar uns 2 tópicos e a conclusão), no bom e velho jeito AE de ser. Então, sem mais delongas, vamos ao post.

Simbora!!!!


A acomodação e a guerra

Não é segredo para ninguém que o ser humano gosta de guerrear: nossa história nos mostra isso melhor que qualquer outra coisa. Também não é segredo que o ser humano é incrivelmente acomodado: mesmo o Brasil sendo o grande destaque nessa área, é algo inerente para todo o mundo. 

Mais uma breve olhada na história da humanidade, e veremos que praticamente tudo que a humanidade conquistou, coisas como o voto, a educação, respeito do próximo, a própria sobrevivência, etc, só foi possível por um único motivo: a guerra. Todos os direitos conseguidos pela humanidade vieram na base da briga, da luta e tiveram como consequência não só o direito pelo que lutavam, mas também as milhões de mortes, os massacres e vários outros tipos de perda. Em suma, tudo que temos atualmente custaram caro, e "caro" significa que a humanidade teve de travar muitas guerras para conseguir essas coisas.

Não precisa ser um gênio para ver onde quero chegar: já faz alguns anos, a preguiça tomou conta de 99,99% da humanidade (acreditem, não estou exagerando na porcentagem): ainda há o desejo de ter uma vida melhor num mundo melhor, mas a disposição para brigar pelo que se quer foi quase que extinta... está em algum lugar entre "perigo crítico" e "extinto na natureza".
O pior disso não é a eminente ameaça de extinção, mas sim o nível da acomodação da humanidade: em termos um tanto quanto preconceituosos, todos viraram baianos. E sabem qual o problema disso (além do axé, é claro)? É um monte de vagabundo dizendo que o DEPUTADO e DEUS vão resolver todos os problemas. Deixem eu lhes dar uma notícia: se Deus desse A MÍNIMA pra porra da humidade, NÃO HAVERIA DEPUTADOS CARALHO!!!!!

Sem mais.


Vergonha na cara

A grande questão em ralação à acomodação da sociedade, nem é tanto a acomodação em si, já que é totalmente compreensível que as pessoas queiram não fazer nada depois de conseguir tudo que querem até aquele momento. A questão é que a acomodação veio, mas não foi imbora: há o desejo (e a necessidade) de mudanças em relação à quase tudo no mundo, mas não se faz absolutamente nada a respeito.

Basicamente, a vontade de não melhorar é maior que a vontade de tentar melhorar. Tá certo que muitas vezes melhoramos para pior (pense e verá que faz sentido), mas e daí? Ninguém é perfeito e além disso, acertar sempre é chato e entediante.

Voltando ao tópico, a questão é que não há mais a disposição, a vontade real de fazer qualquer coisa a respeito de qualquer coisa: a acomodação tem limite, e o dia que der uma merda grande de verdade, quero, sinceramente, ver aqueles 99,99% da população se fudendo te forma tão glorificante, que me faça fazer isso:

Que fique claro que é só um exemplo.

Pois é, sou um filho da puta que odeia as pessoas e quero que elas morram de forma sádica e cruel só para ensinar uma lição de moral nas poucas pessoas que sobrarem. Não vejo problema nenhum nisso: todas as necessidades industriais, comerciais e políticas podem ser realizadas por robôs e/ou computadores, assim ninguém precisa se chatear com trabalho (até porque vai sobrar de tudo), o que faz com que tenhamos mais tempo livre para nos preocuparmos com a nova ordem mundial... sou um herói, eu sei.


Querer agradar
Uma grande necessidade do ser humano é ser aceito pelas outras pessoas, e para ser aceito (ou aceita) pelas outras pessoas é necessário que essas outras pessoas gostem de você. Melhor ainda, é preciso que essas pessoas não desgostem de você ("desgostem" existe? Soa tão estranho...).

Basicamente, o único motivo pelo qual a humanidade renuncia à guerra é para que as pessoas gostem das pessoas, vocês sabem, "do jeito que eu sou de verdade, sem que alguém tente me mudar": é praticamente um filme americano de adolescentes idiotas.

Seria realmente interessante alguém me acusar de ser subversivo...

É com base no "querer agradar" que milhões e milhões de "batalhas" são deixadas de lado. Claro é que idiotice brigar com alguém por causa de algo tosco, por exemplo uma tampa de caneta, mas há momentos em que a guerra deve ser travada, gostemos disso ou não. Há momentos em que devemos largar o computador (celulares, tablets e o caralho a quatro), parar de reclamar sobre coisas inúteis e ir foder o esquema (seja lá qual for esse esquema). Em uma frase, a guerra tem MUITOS pontos positivos.


Os culpados por essa bosta toda e os merdas que a compram

Imagem foda... mas prefiro Os Simpsons.

Há uma coisa que eu chamo de PSA: Pedido Subconsciente de Assassinato. O PSA é quando alguém ultrapassa certos limites aceitáveis sobre alguns assuntos (falarei sobre isso em outro post... me cobrem), coisas como o nível aceitável de pegação em praça pública, e nesses momentos a pessoa envia para todas ao seu redor um PSA, implorando para que seja morta com uma desert eagle.

Mas a questão do tópico não é a troca de DNA, e sim os culpados por esse profundo coma em que a sociedade está. Meus caros, os culpadas são TODOS os babacas que passam a mão na cabeça das pessoas (vocês tarados são realmente desprezíveis): são aqueles babacas (ou aquelas, o que é muito comum também) que querem agradar à tudo e à todos. São os imbecis que adotam a política do "vamos ser legais com o mundo para o mundo ser legal com a gente".

Num mundo em que quem realmente manda são os ídolos (independente de serem do ramo da música, da política, do jornalismo, dos esportes e até mesmo da internet) o que não pode acontecer, mas acontece todo dia, cada vez mais e mais, é ídolo olhando para seus fãs e dizendo coisas como "eu amo todos vocês", "vocês são tudo pra mim" e "fiz isso pra vocês".

Leiam meus lábios (força da expressão): SÉRIO PORRA? Beleza se você quer fama e fãs acéfalos, mas você REALMENTE precisa ser tão babaca, falso e pau no cu para conseguir isso? Mas o pior não é quem faz (ou seus agentes) é quem aceita, são os retardados que veem o ídolo falando esse monte de besteira E ACREDITA que é verdade. Caralho, é tão difícil assim ver que uma pessoa só quer A PORRA DO SEU DINHEIRO?! Porque, de verdade, a fama é só o método de conseguir dinheiro: se as mesmas pessoas que fossem fãs depositassem a quantia que gatariam com o ídolo numa conta, a fama não faria diferença nenhuma.



Sei que já coloquei essa música aqui no blog, mas é uma música foda com um cantor foda e que merece ser ouvida, então criem vergonha na cara e ouçam. Ou saiam do blog. Sério.

Ainda pior que a questão do dinheiro e da falsidade, é o querer agradar (sim, de novo): Gratidão (a sincera, a falsa é dispensável) com os fãs é uma coisa, mas querer agradar seus fãs só para eles continuarem sendo seus fãs é além de tosco, é ridículo. É, simplesmente, ridículo ser bonzinho com as pessoas só para agradá-las. Nem psicopatas fazem isso: psicopatas te enganam (seja como for) e na primeira oportunidade (nem que seja uma oportunidade mínima) te esfaqueiam pelas costas (literal e figuradamente falando). Comprove você mesmo: vá num hospital que cuida de distúrbios mentais e converse por alguns minutos com um psicopata: ele (ou ela) vai dar um jeito de te enganar (seja com qual intenção for) e o principal, ele (ou ela) vai ESFREGAR NA SUA CARA que você é um imbecil.

Resumindo: se você é um merda que agrada as pessoas só para elas gostarem de você e posteriormente tirar proveito disso, você deve morrer empalado de cabeça para baixo num poste de cobre fervente. E se você é um otário que acredita que aquele seu ídolo de merda realmente te ama, você merece ter C4 implantado em todos os seus órgãos e ser explodido parte por parte.


O politicamente correto

Já falei várias vezes aqui no blog: odeio o politicamente correto. Odeio ver todos (ou quase todos) os ídolos atuais PREGANDO que o importante é ser legal com tudo e todos. Sinceramente, qual a graça de dizer "sim" e "ok" pra tudo? Qual a graça de deixar de lado suas próprias opiniões só para que as pessoas gostem de você? Porra, se quer que alguém goste de você, desembolse 200 pratas e chame uma puta pra ficar alisando seu ego (eu disse EGO - não o site caralho!).

 Vocês não imaginam o quanto eu odeio ligar minha TV, abrir o Orkut (Twitter, MySpace, etc), visitar sites, sintonizar rádios e ler blogs e ver que todos eles (ou quase todos - coisa de menos de 10) estão agrandando o mundo todo. Eu sou um chato de nascença, então ver os principais meios de comunicação deixando de lado opiniões verdadeiras só para não receber reclamações de gente sensível (e burra) demais é torturante.

Prefiro muito mais um ídolo que xingue todos os seus fãs de forma sincera, do que um boçal falando o que as pessoas querem ouvir só para ter respostas "fofinhas" e "S2". De verdade, eu QUERO ver piadas de "mal gosto" sobre gente que morreu, reclamações acerca das merdas que as pessoas fazem as próprias vidas, ofensas para quem merece ser ofendido e putaria (no sentido não sexual) nos meios de comunicação.

É pedir demais que os meios de comunicação e os ídolos sejam minimamente sinceros? Ou vocês acham que a Globo ama o SBT, que a Jovem Pan gosta da Dumont FM, que o Terra tem parceria com a UOL e que todos os famosos são amiguinhos que se embebedam e usam cocaína juntos? NÃO CARALHO, as pessoas naturalmente se odeiam e querem se matar: as pessoas QUEREM a guerra. Da forma mais... antropológica possível, o ser humano não tem amigos e família, tem ALIADOS e INIMIGOS.

A guerra é uma das porras mais naturais que o ser humano pode fazer (e faz) e negar isso só para não ser odiado por alguém só pode dar merda, e dá! Anotem isso: pessoas odeiam, naturalmente, outras pessoas, todo e qualquer laço pacífico (sincero) se dá por conta de uma única coisa, e essa coisa se chama "sociedade". E não é a sociedade "grupo de pessoas com culturas semelhantes" e sim a sociedade "convivência baseada em laços familiares e/ou amizade baseada em conceitos semelhantes". Traduzindo: o ser humano só tem família e amigos porque a evolução faz com que o ser humano se una com quem é útil (sobre os mais diferentes aspectos) para si próprio".

O único pedido desse post é o mínimo de dignidade por parte dos porras que tem alguma voz ativa com seus fãs e adivinhem? Nenhum, absolutamente nenhum, está disposto a PERDER DINHEIRO por ser minimamente realista, sincero e altruista no que faz. Mas o que realmente me deixa puto nessa história toda é que todos eles MENTEM MAL.

Isso é foda: como se não fosse o suficiente toda a política do "não vamos falar mal para não desagradar", ainda fazem de forma porca e tosca. Porra cara, se você quer me fazer de otário seja mais inteligente que eu e minta de forma decente. Se você é um babacas igual aos que estou xingando, leia tudo que virá depois dos dois pontos com muita atenção: faça uma merda consistente para não cagar para fora do vaso. Deu para entender?


O não falar mal e o não falar

O politicamente correto inclui duas coisas, que só podem ser praticadas uma de cada vez: tem o "não falar mal" e tem o "não falar". Ambos são totalmente desprezíveis, mas vamos por partes:

O "não falar mal" é o chapa-branquismo, é o ser amiguinho de todos e só falar bem das coisas. É aqui que fica inclusa a política da boa vizinhaça, o bom e velho "fazer média". É praticamente se fingir de capacho para ganhar o osso grande: falso, hipócrita, vendido, chato, submisso (pois é, para agradar as pessoas tem que fazer o que elas querem) e moralista.

E tem o "não falar", que consiste em negar tudo ou fingir que nada aconteceu. Para ser sincero, não sei qual das duas opções é a pior, já que esta aqui conta com a mesma hipocrisia, a mesma falsidade e a mesma chatice, mas substitui a prostituição e a submissão pelo nariz empinado e pelo complexo de superioridade.

Ambas servem para a mesma coisa (apesar de terem métodos diferentes): não falar mal (de forma sincera) das coisas e/ou pessoas. Pois é, caros leitores imaginários, a putaria não existe só na internet e na zona não... diga-se de passagem, a da zona é muito melhor... não que eu precise, é claro.


Último recado para ídolos e meios de comunicação


Desculpem, não resisti.


Minha conclusão

O post não está exatamente do jeito que eu queria, mas para primeiro sobre o assunto até que serve... tenho absoluta certeza que falarei muito mais sobre isso, gostem vocês ou não. E creio que seja um bom passo na tentativa de deixar esse blog do jeito que era e que deveria ter continuado sendo (ficou totalmente horrível, então se tiver um jeito decente de falar isso, avisem aí nos comentários. Ou não, tanto faz).

Bem, o politicamente correto é uma bosta por dois motivos bem simples: primeiro que é um tiro no saco (saco hipotético, no caso das garotas) de qualquer um com o mínimo de inteligência e em segundo porque isso gera um ciclo vicioso que forma mais e mais ídolos com mais e mais fãs imbecis. O que eu falei esse post inteiro não é "saia xingando tudo e todos", mas sim "tenha dignidade e xingue quando acha que deve xingar", ou seja, só quero que vocês, leitores inexistentes, sejam mais francos com as pessoas: há momentos em que mentir é necessário, mas esses momentos vem acompanhados de uma forte sensação de "se eu responder com sinceridade me foderei de forma gigantesca" (o que se você for masoquista é muito bem vindo).

Aí você diz: "Ahh, mas eu quero ser um filho da puta como você".

E eu respondo: Leia isso.

Como último recado fica aí um pedido para vocês: seus pais te ensinaram (isto é, se eles foram bons pais) que você tem que falar a verdade sobre as coisas, então em situações viáveis (lê-se "quando der na telha ou quiser se foder") seja sincero com as pessoas, seja sobre sua opinião, seja sobre a opinião dela, seja o que for, garanto que vocês se foderão bastante, mas se divertirão e terão o mínimo de reconhecimento por não serem babacas arrombados que agradam as pessoas só por interesse... e sim, eu sei que é contraditório, mas fazer o que? A tendência da humanidade é ficar em cima do muro mesmo.

São 1:54 da manhã do dia 20/3/2010... estou cansado (fiz, na prática, 2 posts hoje), sem sono nenhum e quero que todos os chapas-brancas do universo explodam (parágrafo só para manter o costume de colocar o horário nos posts e dar exemplo de como é ser sincero).

See ya!
Related Posts with Thumbnails

sábado, 12 de março de 2011

Porquês e Afins: Babacas da Internet

Aaaaaaaaaaaaaeeeeeeeeewwwww cambaaaaaaaaaaaaadddaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!

Eis que estou aqui para cumprir (ao menos uma vez), a promessa de escrever nesse blog que ficou tão largado desde o começo do ano (só tem 3 posts quando era para ter mais de 20), mas antes, vamos aos costumeiros avisos de início de post.

Resolvi não fazer mais o Vê Isso: além de estar de saco cheio da internet e do mundo (vocês sabem, só para variar), há tempos que não encontro nada realmente bom para lhes mostrar... quem ficar com saudades, é só clicar aqui e ver os posts antigos.

O outro aviso (que nem é um aviso, na verdade) é que vocês leiam os meus nos lá no Crepúsculo, nos quais eu não reclamo tanto e são muito mais curtos que aqui. E leiam também o Bacon, que vocês já conhecem e bem, tem bacon. Então, sem mais recados, vamos ao post!

Simbora!!!


Internet

Qualquer um com um mínimo de inteligência e curiosidade sabe quem criou a internet, para que a criou, quando a criou e tudo mais (claro que há informações ultra-secretas, afinal não dá para dominar o mundo contando seu plano pra geral). Além disso, a internet já foi e ainda é um dos maiores (senão o maior) motivos de debates e brigas, pelos mais diferentes motivos e com os mais diferentes resultados. 

Digamos apenas que se a Skynet não se originar dos tamagotchi, será da internet.


Debates e quebra paus

Dentre os muitos debates que a internet originou, o maior de todos é, sem sombra de dúvidas, sobre a própria internet: desde o momento em que foi criada, a internet foi alvo de perguntas como "para que serve", "como vai ser usada", "é útil" e "no que isso vai dar". Recentemente, a internet vem sendo alvo de perguntas mais filosóficas: "por que tem tanto otário na internet?", "quais os costumes que a internet nos tirou?" e "o que a internet fará consigo mesma?". O post de hoje é, principalmente sobre essa primeira pergunta: "por que tem tanto otário na internet?" e bem... não perca seu tempo lendo isso.


Manadas, cardumes e bandos

É, também achei que a estampa na roupa do infeliz fosse marca d'água.

Há gente idiota em todo lugar: no supermercado, no trabalho, na escola, na farmácia e, é claro, nas baladas (as quais eu generalizo e chamo, carinhosamente, de "inferno"). E é óbvio que a galera não ia deixar a internet passar em branco nisso tudo, o que faz com que haja centenas de tipos diferentes de babacas na rede mundial de computadores: os trolls, os haters, os Cavaleiros Brancos e os douchebags, que ilustram este tópico.

Estes quatro são apenas exemplos, mas estão aqui por um único motivo: são os mais ativos e os que tem mais membros (tá, são 2 motivos, mas é tipo shampoo e condicionador num pote só, que aliás, é uma ideia genial). E sim, agora acabou a parte explicativa do post: no próximo tópico as coisas ficam um pouco menos sem graça.


Real, virtual, 3D e hologramas

Sim, eu sei que isso é realidade aumentada, não encham o saco.

Entendo perfeitamente bem que milhões (ou até mesmo bilhões) de pessoas tem uma vida de merda (independente dos motivos para isso) e também entendo que muitas dessas recorrem à uma vida virtual (antes da internet, o esquema era se trancar em casa mesmo) para esquecer, mesmo que temporariamente, sua vida ruim. De forma simples, as pessoas usam a internet para tentar ter uma vida decente.

O ser humano, desde que surgiu foi impelido, seja por instinto seja por vontade (eis algo que dificilmente descobriremos realmente), para a guerra: independente do motivo, gostamos da guerra. Entretanto, com o passar dos milênios, nos tornamos o que chamamos de "civilizados" (o que é uma mentira, mas isso fica para outro post) e portanto abolimos (ou "quase") a guerra (estou generalizando, óbvio).

 A internet só tem uma única função básica: comunicação. Ela não serve para comprar, por exemplo, o que a internet faz é possibilitar que você comunique que você quer um produto e o vendedor o comunique que ele está disposto a te dar o produto desde que você dê um pequeno monte de papéis coloridos para ele. Ou seja, mesmo que alguém quisesse, não dá para fazer absolutamente nada concreto pela internet: só comunicar que algo concreto será ou não feito.

O que estou querendo dizer aqui é que tudo que é feito na internet é irrelevante, fisicamente irrelevante: não faz diferença alguma uma bomba atômica formada por pixels explodir, do mesmo jeito que uma frase de, sei lá, 200 caracteres, não muda nada no mundo real. O real só é afetado pelo real, e o único modo do virtual afetar o real é usando o virtual para comunicar alguém que algo real será feito. 


No mínimo, inútil

Eis o tema principal do post (sim, estou usando muito o "eis" ultimamente) e o motivo pelo qual existe: tudo, absolutamente TUDO, que os babacas da internet fazem na internet é totalmente inútil. Anotem isso: se você está na internet porque sua vida real é uma merda, tenha a decência de fazer sua vida virtual uma coisa melhor para você e para todo o resto da internet.

Quero dizer, há milhões de pessoas que fazem de tudo para serem completos imbecis no mundo virtual: reclamam de tudo, provocam outras pessoas sem motivo (eu faço isso, mas ao menos tenho argumentos... fajutos, mas existem), começam brigas (lê-se "brigas"), tiram a diversão de outras pessoas, atrapalham em tudo que podem e mais uma quase infinidade de coisas, mas o problema não é fazerem isso, mas fazerem isso por NADA, sem motivo nenhum, é fazer por fazer.

Peguemos como exemplo os Cavaleiros Brancos: estes defendem as putas da internet na esperança de conseguir qualquer retribuição (que tenha, de preferência, coisas não religiosas no meio). Eles tem todo o direito de defender quem eles quiserem, com ou sem argumento, mas por que fazer isso? É fato que eles não conseguirão nada com quem defendem, do mesmo jeito que é fato que serão odiados (e eventualmente esmagados) por quem ataca as garotas (ou "garotas") que eles defendem.

Ninguém se encomodaria com os haters, os Cavaleiros Brancos, os trolls, os douchebags ou com o caralho a quatro case estes não enchessem o saco de quem não liga para eles: é aquela coisa de não se meter onde não é chamado. Eu entendo que é sem graça encher o saco de quem pensa igual à você, afinal, eu também gosto de incomodar as pessoas (afinal, este blog só existe para isso), mas não o tempo todo, não como obrigação e por apenas um único motivo: sou um idiota desocupado.

Não fiquem chocados: já deviam saber disso logo no primeiro post... como eu era fofo e iludido... achava que teria leitores... MAS ENFIM, mesmo sendo um filho da puta vagabundo eu tenho consciência (pouca, mas tenho) de que por mais que eu xingue, reclame, defenda ou ataque algo ou alguém na internet, nada realmente muda: este blog só não é totalmente inútil porque posso... não... é inútil sim. E (para terminar bem o tópico) depois, de que adianta fazer tudo que é babaquice na internet e continuar com a vida de merda no mundo real?



Não há desculpa para os fracos

Eu sei que é só um rascunho, mas gostei da imagem.

De tudo isso, o que se tira é que todo e qualquer babaca, independente de sua "tribo" (gíria velha pacas né?), é um imbecil, um desocupado e acima de tudo um burro (estou falando no masculino por pura conveniência, mas isso se aplica à homens e mulheres): a questão principal não é o que a pessoa faz, nem para o que ela faz, mas sim com quem ela faz. Claro que o mundo seria um lugar muito melhor sem todas essas pessoas (e todas que as apoiam mas não são ativos), mas como ainda não temos como escolher alvos fixos para bombas nucleares, pelo menos devemos TENTAR incutir na cabeça dessas pessoas que fiquem entre si... não custa tentar... acho.

Seria como tentar ensinar uma ervilha como uma transmissão de avião funciona (antes que perguntem, não faço sequer ideia se um avião tem tranmissão), sendo a ervilha cega, surda, muda, tetraplégica e considerando que você esqueceu o manual de instruções... à noite... com os olhos vendados... e amarrado numa cadeira. Creio que já tornei claro o meu ponto.


Minha conclusão

Cambaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaddddaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!! Duas semanas em seguida com posts é quase que um milagre de ano novo (desconsiderem que o ano começou há mais de 2 meses)!!!! E para comemorar, vamos com uma música foda:



Creio que já fiz o resumo de sempre no último tópico, então só me resta dizer aqui que eu espero, sinceramente, que todos os babacas da internet morram e fiquem sem conexão da internet (não necessariamente nessa ordem) até que aprendam a ter o mínimo de dignidade ou de respeito para com quem não tem uma vida de merda (o que vier primeiro), tanto "dentro" quanto "fora" da internet... bons tempos aqueles com conexão discada, sem a inclusão digital e pouca gente disposta a ficar "sem telefone" para desfrutar do mundo virtual... aliás, me lembrem de falar sobre isso qualquer dia desses.

Portanto, sem mais o que falar, despeço-me repudiando a traidora da Gabriela que ROUBOU minha frase de despedida.

See ya (o ORIGINAL)!
Related Posts with Thumbnails

sábado, 5 de março de 2011

Coisas para fazer durante o Carnaval

Aew cambada.

Sim, eu sei que eu sou um merda. Sim, eu sei que eu prometi. Sim, eu sei que vocês, mesmo que imaginários, esperavam os posts. Sim, eu sei que dessa vez não tem desculpa... tá, até tem, mas nem eu acreditaria se me contassem. Sem muito mais o que falar, vamos à uma música decente para começar bem essa segunda volta... e para dar sorte para que desta vez não dê uma merda.


E sem mais enrolações, desculpas idiotas e qualquer outra coisa, vamos ao post.

Simbora.


Carnaval

Pois é, post sobre carnaval e a primeira imagem é do carnaval norte americano (que é uma merda), vivam com isso.

Segundo nossa amiga, a Wikipédia, o Carnaval surgiu no século XI (onze, seu burro, onze) justamente para servir ao propósito que tem nos dias de hoje: ser uma grande putaria desenfreada. Claro que após 10 (DEZ!) séculos o troço tinha que evoluir, portanto foi sendo modificado ano após ano. Irônico pensar que a Igreja Católica deu o pontapé inicial... no fundo mesmo, uns 90% de todos os devotos (idependente da religião), são uns (usando aqui um termo que está sob os holofotes nos últimos dias) devassos, mas o que espanta mesmo é terem deixado "os bons constumes" de lado e apoiado a coisa toda... mas quem liga?

E já que o assunto é Carnaval, vamos à alguns dos carnavais mais famosos do mundo.


Carnavel de Quebec (Carnaval de Québec)

Eis o maior carnaval na neve do mundo. O troço começou em 1894 e virou tradição por lá. Para os curiosos, o boneco acima é o Effigies, que, segundo minha noções extremamente limitadas do francês me informam, é o mascote de lá e os bonequinho dele são os ingressos (tipo os malditos abadás por aqui). Ainda segundo meu maravilhoso francês (o idiota, que fique claro), a festa dura 18 dias.

Sei lá, não acho uma coisa tão fantástica assim... mas o carnaval foi criado na Europa e lá faz frio, então... a bagaça tem até site, acessem lá.


Carnaval de Negros e Brancos (Carnaval de Negros y Blancos)

Acontece na cidade e San Juan de Pasto, na Colômbia. Indo do dia 28 de Dezembro ao dia 6 de Janeiro e conta com várias tradições (muitas delas envolvendo contradições): brincadeiras com água e com fogo, dia dos brancos, dia dos negros, desfiles de personagens, etc.

Se tiverem curiosidade acessem o site deles e o artigo (em espanhol) da Wikipédia.


Carnaval de Paris (Le Carnaval de Paris)

Eis o carnaval do qual o Brasil rou... aproveitou ideias. Por lá, a coisa surgiu no século XVI (foda-se se você não sabe números romanos), com os desfiles de rua, fantasias e tudo mais. Três dos personagens mais famosos do carnaval (Pierrô, Arlequim e Colombina) são clássicos do carnaval de Paris (já falo mais sobre isso).

Também tem site deles (mas sem a ajuda do inglês - opção que eu achei no site de Quebec só depois de ter escrito o item aqui no post), e devo dizer, realmente gostei da estrutura do mesmo... mesmo sem entender mais de 10 palavras.


Carnaval de Veneza (Carnavale di Venezia)

Eis o carnaval mais bonito do mundo (foda-se você se você quer ver peitos).

O carnaval mais famoso do mundo (até o século XX pelo menos) é também o que tem mais tradição: surgiu por volta de 1220. No século XVII surgiu a coisa das máscaras, porque os ricos não queriam ser visto (ou identificados) ao lado do povão, o que significa que as tão famosas máscaras devem ser caras pra caralho.

Foi na Itália que surgiu a Commedia dell'arte, que diferente das peças teatrais da época, eram comédias, criticando a sociedade e tudo mais (os atores não eram pobres e as peças eram encenadas na rua de propósito). A peça mais famosa é a de Colombina, Pierrot e Arlequim, que foi esquecida nas últimas décadas aqui no Brasil (infelizmente, pois é uma peça foda... velha, mas foda).

O site deles é esse aqui e este carnaval está na minha lista (que eu inventei agora) de coisas para se fazer antes de morrer.


Carnaval de Olinda

O carnaval de Olinda (em Pernambuco, só para constar) é famoso pelos bonecos gigantes e pelo frevo.

E sim, só farei uma linha sobre Olinda, porque, na real, não ligo para bonecos gigantes e gente dançando com guarda-chuvas. O site é esse aqui para quem quiser saber mais.


Carnaval de Recife

Eis o carnaval mais completo do mundo: tem cerca de 8642956 de polos diferentes, um para cada tipo de comemoração do carnaval, além de ter o maior bloco do mundo o Galo da Madrugada (eis a foto, caso não tenha dado para notar).

Devo adimitir que gostei do site deles, então sejam bons leitores e acessem.


 Carnaval de São Paulo

 Eis o segundo maior carnaval do país. Nunca gostei do carnaval de SP por dois motivos: o primeiro é que nenhuma das escolas de samba nunca me surpreendeu no desfile e segundo porque deveria ser proibido escola de samba ligada à time de futebol (sim, Mancha Verde e Gaviões da Fiel, tô falando de vocês). Entretanto, sempre gostei do sambódromo de São Paulo... vai entender...

As principais escolas de SP são: Unidos do Peruche, Tom Maior, Acadêmicos do Tucuruvi, Rosas de Ouro, Mancha Verde, Vai-Vai, Pérola Negra, Nenê de Vila Matilde, Águia de Ouro, Mocidade Alegre, Unidos de Vila Maria, X-9 Paulistana, Gaviões da Fiel e Império de Casa Verde (sendo que umas 10 dessas tem um nome gigantesco só por frescura).


Carnaval do Rio de Janeiro

Sim, meus caros, sou torcedor da Mangueira (meu jeito de torcer para escola de samba é bem parecido com meu jeito de torcer para time de futebol... mas prefiro o carnaval... o espetáculo principal são mulheres dançando e não homens correndo), então não podia deixar de puxar sardinha para o meu lado.

Como todos sabemos, o carnaval do RJ é o maior carnaval do mundo (meio que um trocadilho, mas não sei se conta...). O troço chegou aqui (como já falei) por culpa dos franceses, lá no século XVII. Como brasileiro adora uma desculpa para faltar ao trabalho, o carnaval logo ganhou prestígio e deu no que vemos atualmente.

O carnaval dos nossos queridos cariocas (falsidade não, é só uma... alegoria) não conta só com as escolas de samba, mas também com os blocos de rua, bailes e toda a putaria inerente, a qual já conhecemos. As escolas do Rio são: São Clemente, Imperatriz Leopoldinense, Portela, Unidos da Tijuca, Unidos de Vila Isabel, Estação Primeira de Mangueira (a qual aliás também tem um nome enorme), União da Ilha do Governador, Acadêmicos do Salgueiro, Mocidade Independente de Padre Miguel, Acadêmicos do Grande Rio, Unidos do Porto da Pedra e Beija-Flor.

E para manter o costume, eis o site da Mangueira que é o único que importa nisso tudo. E sim, eu sei que o site é uma merda... a foditude da escola tinha que ser compensada com alguma coisa (fiquei tão feliz agora que descobri que a Gracyanne Barbosa não é mais a Rainha de Bateria... não gosto de mulher que gosta do Belo). E fiquem aí com o samba enredo da Mangueira para 2011:



Sempre me pergunto qual o QI de alguém que escreve para sites de fofocas... porra, todo mundo já sabe que 85% das mulheres que vão desfilar no carnaval são putonas que querem se exibir para ganhar "fama", é praticamente uma exigência do ramo que a calcinha apareça durante os ensaios do samba (se você não entendeu procure por "Renata Santos" no Google - Nota aqui: uma das maiores decepções da minha vida é aquele questionário que a Playboy faz... leiam por suas próprias contas e riscos)... e depois, quando o fotógrafo tira a foto DE BAIXO PARA CIMA, é fisicamente natural que a calcinha aparecesse... porque, convenhamos, se fosse uma cueca seria um troço preocupante.


Carnaval de Salvador

Nenhum outro estado no mundo tem um histórico tão grande e potente de foder com seu país quanto a Bahia. Nego reclama que nós, paulistas, nos achamos melhores que todo o resto do país, mas sejamos sinceros, com toda a merda que nós fazemos, nós não fazemos as merdas que os bahianos fazem.

Caso vocês não saibam, Salvador é uma cidade de merda, e acreditem, não estou falando isso por ser na Bahia, acontece que, poucas vezes na minha vida, já vi uma cidade tão sem graça, suja, entupidade de gente e com um cheiro tão ruim. A cidade já sendo uma porcaria, obviamente que durante o carnaval, época em que a população da cidade triplica (no mínimo), a coisa só piora, já que turista é sempre uma merda, sem falar na "música".

O carnaval de Salvador consiste em 3 coisas: gente se encoxando (de propósito ou não), trio elétrico com volumes totalmente prejudiciais à saúde e axé. Anotem o que eu vou falar (ou escrever, como quiserem): axé só é música quando está no mudo. Considerando então que a cidade é uma merda, o carnaval de lá é uma merda e a música é uma merda, o resultado que se tem é que milhares de pessoas praticam coprofilia ao menos uma vez por ano.

E só esclarecendo uma coisa: nada contra a Bahia em si, mas sim contra Salvador. O interior da Bahia (e as cidades litorâneas de forma geral) tem lugares realmente fodas e valem à pena o dinheiro gasto (menos Mangue Seco), mas se Salvador fosse explodida, não seria nenhum desperdício.

Se você for um hacker desocupado, favor ir neste site e dê uma trollada na galera de lá. Grato.


Gostar ou não gostar do Carnaval

Diferentemente do que estou fazendo parecer até agora, eu gosto do carnaval. Digo, não gosto do de Salvador (até porque de carnaval só tem o nome), nem de dançar (ou "pular", tanto faz) o carnaval, mas gosto de ver os desfiles, ouvir os sambas enredo (que felizmente são sambas de verdade e não essas porras que existem atualmente) e ver a apuração das notas (afinal, o mínimo que eu posso fazer é ver se meu time está levando a taça, não?).

Deixando de lado a questão do "é uma representação da cultura brasileira" (que a galere insiste em dizer só para arranjar um motivo para vagabundear durante 3 dias - aliás, 3 em teoria), há vários motivos para gostar e vários motivos para não gostar do carnaval. Só para citar algumas, as pró são: é divertido, tem boa música (novamente, menos o de Salvador) e você conhece gente. As contra são: é lotado (irônicamente, odeio aglomerações), tem um monte de gente burra e idiota (foda-se a generalização, a verdade deve ser dita) e numa necessidade, todos os lugares que você precisa ir estão fechados (interessante que a galera que não gosta de carnaval e tem comércio fecha do mesmo jeito... putos).

Bom, caso você escolha não gostar do carnaval, vai aí a lista de coisas que você pode fazer enquanto todos os foliões estão pegando DST e engravidando por osmose (pois é, tudo isso que já foi escrito nem faz parte do post de verdade... tenho que voltar com estilo).


Ver TV

Eis algo que só funciona para quem tem TV paga, uma vez que todas as redes abertas estão falando sobre o carnaval. É nesse momento que você aproveita para colocar em dia os episódios das séries que você assiste, fazer maratonas de filmes e ver especiais de carnaval sem carnaval (pois é, finalmente os canais estão se dando conta disso).



Treinar sua pontaria

Nunca se sabe quando foliASSALTANTES podem entrar na sua casa, então é sempre bom estar preparado para uma situação de emergência. Não importa se é com dardos, arco e flecha, armas de fogo, facas ou até mesmo com estilingues, o importante é praticar.


Ler

A primeira mulher num post sobre o carnaval não está com os peitos para fora, vivam com isso também.

Já falei aqui várias vezes (no Bacon então...) que ler não é apenas útil, mas também é divertido. Portanto, já que é para ficar em casa, leia um bom livro: o tempo está passando e você adquire um pouco de cultura e conhecimento.


Ir jogar paintball

Paintball é um troço divertido por dois motivos: primeiro porque ele te dá a chance de atirar em gente sem ser preso, e segundo porque é muito mais legal jogar paintball de verdade do que Counter Strike de mentira (e olha que CS é o jogo de tiro mais foda do mundo).

Além, é claro, de ser um esporte e contribuir para sua saúde. Sem falar, também, que não é algo tão caro (acreditem, fui checar)... aliás, creio que tenha um bom custo benefício caso você queira começar um negócio.


Duelar com seu vizinho

Feliz ou infelizmente, a Lei de Murphy é extremamente eficaz, portanto é praticamente certeza que algum vizinho filho da puta irá colocar axé para tocar no volume máximo. Considerando que é carnaval e tá tudo liberado, nada mais justo que colocar seus hard rock, punk, hip hop ou o caralho a quatro também no volume máximo (claro que você estará se igualando ao seu vizinho otário, mas para fazer justiça a lei deve ser quebrada).


Decorar toda sua casa como se fosse Natal

Uma das coisas mais legais da vida é a possibilidade de foder os esquemas que ela nos apresenta (devia falar sobre isso qualquer dia desses), e outra coisa que também é legal é ser do contra, logo, nada mais divertido que foder com a tradição carnavalesca do país e confundir todos que te visitarem (ou morarem com você).


Antecipar a Páscoa

É, também fiquei com vontade.

Ano após ano, as fábricas de chocolate antecipam cada vez mais a época dos ovos de chocolate. Esta semana mesmo fui ao supermercado e constatei que Nestlé, Garoto, Lacta e várias outras marcas já disponibilizaram seus vários ovos de chocolate, então nada mais justo que honrar o trabalho árduo de centenas de trabalhadores nas fábricas de chocolate.


Jogar RPG

RPGs tem fama (além de serem coisas de nerds) de demorarem dias, então, nada melhor para passar os 3 dias de carnaval do que uma partida completa de RPG, como tudo que se tem direito: bonequinhos, dados de 800 lados, livros com a história e tudo mais.

Aliás, a foto acima é da série Community, que é uma série foda. E já que é para falar de RPG, indico o episódio 14 da segunda temporada.


Ir ao shopping

Não sou o tipo que gosta de ir em shppings todos os finais de semana, mas adimito que há momentos em que o shopping é uma invenção no mínimo inteligente.

Durante o carvanal, ou as pessoas estão festejando ou estão trancadas em casa, logo, o shopping fica traquilo e praticamente vazio, ou seja, é o melhor momento para fazer tudo que um shopping desponibiliza, desde fazer compras até escorregar em tobogãs de plástico. E o melhor, ninguém vai comprar coisas para o carnaval (máscaras, fantasias, etc) no shopping, afinal, lojas de 1,99 existem para isso.


Crie um blog



...

Pensando melhor, deixem pra lá...


Cantar na chuva

Filme foda, aliás.

Já falei várias vezes que eu gosto de chuva, e na falta do que fazer, pega-se uma boa música e sai na chuva (com o guarda-chuva fechado, é claro) para cantá-la a plenos pulmões enquanto se sobe em postes. A vida não é linda?


Ir para o carnaval distribuir serpentina metálica

Se você não for pego, será considerado por muitos um herói.


Planejar sua viagem do carnaval do próximo ano

Seguinte: você já está passando este carnaval em casa, sem poder sair porta afora e ouvir uma "música" do Asa de Águia ou da Ivete Sangalo, então você não vai querer repetir o programa no ano que vem. Prepare seu bolso, compre guias de viagem, pesquise lugares e tudo mais, para que daqui um ano você possa sair do Brasil (nota: se ficar em território nacional, você apenas trocou o tipo de carnaval que vai foder sua vida) e viver alguns dias de paz.


Minha conclusão

Pois bem, mais uma vez venho dizer que estava com saudades de escrever "Minha conclusão". 

Carnaval é uma coisa divertida até o ponto em que a população brasileira resolveu inventar o axé e os desfiles "profissionais". Carnaval por carnaval é algo realmente bom (sejamos sinceros, a vida tem que ter um pouco - eu disse UM POUCO - de putaria), que vale à pena ser frequentado e tudo mais. Resumindo: carnaval divertido é aquele que não tem dedo da Skol, Itaú, Banco do Brasil, Nova Schin e sei lá mais que empresa tem camarote nessas porras de avenidas.

E sim, este post irá acabar sem fotos de mulheres seminuas (tirando a garota de biquini que está lendo), sem fotos de carros alegóricos e sem nenhuma referência ao Parangolé e à Claudia Leitte (e à música bosta deles). Pois é, gosto de carnaval, mas se fosse para ver mulher pelada eu via pornografia, e se fosse para ouvir música ruim eu ligava na MTV.

E para terminar um post sobre carnaval, vamos com um bom e velho rock:


E (novamente...) os agradecimentos ao grande Pizurk pela escolha da música.

Aproveitem aí o carnaval de vocês e... sei lá, usem camisinha.

See ya!
Related Posts with Thumbnails