domingo, 29 de maio de 2011

Porquês e Afins: A razão de viver, 30 Seconds to Mars e triângulos amorosos

 Aaaaaaaaaaaaeeeeewwwwwww cambaaaaaaaaaadddaaaaaaa!!!!!!!

Eis que estamos aqui para o post da semana e eis que notei que tenho usado muito o "eis" ultimamente. Enfim (uso bastante o "enfim" também né?) para manter o costume, quase esqueci que hoje era dia de post, o que explica que estou começando este post agora, quase duas da tardes, então resolvi fazer um Porquês e Afins porque, bem, primeiro porque eu quero, segundo porque eles são menores e terceiro porque faz um tempo desde o último. Mas adivinhem só? Não sei sobre o que escrever!!!!!!!!!!!

...

Um dia e tanto para os bons e velhos costumes deste blog.

...

E eis que tenho o tema do post de hoje (sim, foi de propósito).

Simbora!!!


Um culto é...?


Lembro da primeira vez que vi esse clipe (ou seria "clip"?), estava passando na TV e praticamente uma das primeiras cenas que vi foi a dos 3:14 minutos. Na época achei uma pretenção foda, afinal 30 Seconds to Mars não era grande coisa (e ainda não é) e a música me parecia um tanto quanto sem importância (explico isso depois).

Quero dizer, é uma banda muito melhor que muita coisa que se tem atualmente, mas não representa tanta coisa e nem tem tanta influência quanto, sei lá, The Clash, por exemplo. É claro que toda banda tem fãs (mesmo que seja a mãe dos integrantes) e também tem fãs apaixonados (que é o caso dos infelizes do clipe acima), mas porra, 30 Seconds to Mars? Sério? Eu sei que tem bandas muito piores com fãs igualmente (ou até mais) idiotas, mas é realmente tão difícil gostar de coisa boa? 


Arco e flecha

Das muitas... pessoas (é... chamemos de "pessoas"...) que são grandessissimas filhas das suas respectivas putas, uma delas é o Cupido (lembrando aqui que anjos não possuem sexo). O Cupido é encarregado de uma simples função: fazer pessoas se apaixonarem, mas por uma ironia do destino (ou seria de propósito?) o Cupido é péssimo em organizar a papelada, o que faz com que ele faça as pessoas se apaixonarem uma pela outra e pouco tempo depois faz apenas uma dela se apaixonar por uma terceira pessoa, fodendo completamente a vida da primeira pessoa. O que isso tem a ver com 30 Seconds to Mars? Nada, mas tem a ver com os fãs do 30 Seconds to Mars.

O que quero explicar com tudo isso, é que as pessoas passam a gostar de outras coisas (e pessoas) com muita frequência, deixando de lado as primeiras coisas (e pessoas) que elas gostavam. Atualmente quase tudo é feito para estragar, com uma data de validade estampada num local escondido, para as pessoas esquecerem de olhar com é, mas sabem que está lá em algum lugar. Eu ficava impressionado por ver a quantidade de gente que entrava e saia da escola enquanto eu continuava estudando lá, e agora sou obrigado a ver pessoas entrando e saindo dos holofotes em questão de dias.

Imagem meio solene essa, não?

E não tenho dúvida alguma que acontecerá o mesmo com o 30 Seconds to Mars. Obviamente sempre há a (pequena) parcela que será fã "eternamente", mas é a minoria (e a única que realmente importa, diga-se de passagem), e no final das contas, será só mais uma coisa guardada no fundo de algum armário, juntando pó e ocupando espaço, que após décadas, a pessoa irá achar por acaso, falar algo como "noss verdade!!! E eu olvia içaê!!!" e vão guardar em outro armário, para juntar mais pó e ocupar outro espaço. Arrisco-me a dizer que menos de 1% das pessoas que reencontrarem tal banda irão ouvi-la antes de esquecerem ou se livrarem dela novamente, e sequer faço ideia de quantos ouvirão e irão passar a ouvir de novo... ironicamente, são estas mesmas pessoas que vencem rápido, que para continuar "ativas" contam com remarcações (falsas) do código de barra e da data de validade... e um viva para as etiquetadoras de preço (que cada vez mais colocam valores menores)!


Fundação e pilastras

Outra coisa que me chamou a atenção são os depoimentos dos supracitados fãs apaixonados (usar "xiitas" para representar opiniões radicais é tão... preconceituoso... e simplório...). Na real, mal sei por onde começar (coisa que é um tanto quanto rara aliás), tem a aparência, o "estilo", a constante esperança - burra e inútil - de utopia e para fechar com chave de ouro, a questão da razão de viver.

Razão de viver é uma coisa muito simples e poderosa, tipo o poder do amor, que tem uma função bem simples (e óbvia): dar um motivo de viver para uma pessoa. Basicamente todo mundo tem um razão de viver, e pode ser qualquer tipo de coisa: um trabalho, um objeto, uma palavra, um objetivo, uma pessoa, um conceito abstrato, um sentimento, uma vontade, um filme, uma foto e uma música. Para exemplificar, digamos que a razão de viver de Adamastor é E o Vento Levou, porque ele gosta MUITO de romances e de chuvas com leite, enquanto que a razão de viver de Maricleide é o Adamastor, já que ela ama muito ele e, por fim, a razão de viver de Dionilson é matar Maricleide e Adamastor, porque eles são felizes demais e Dionilson não pode suportar ver Adamastor com outra pessoa. Deu para ficar claro como a coisa funciona?

De forma simples, a razão de viver é o que faz uma pessoa não se suicidar (mas pode fazer uma pessoa cometer homicídios, afinal, vai que essa é a razão de viver dela). E é realmente ótimo ter uma razão de viver, mesmo que você não saiba qual é, mas de um jeito ou de outro, essa razão irá te levar à algum lugar na sua vida. Caso você perca a razão de viver (seguindo no exemplo, Dionilson já matou Maricleide e Adamastor e já fugiu da polícia) é o mesmo que dizer que você não tem mais uma função no plano da existência, ou seja, você está na mais cremosa e palpável merda que alguém pode estar.

O "estar na merda" de não ter razão para viver é muito diferente do "estar na merda" de não saber nada da prova, de terminar um namoro ou de estar literalmente na merda por três motivos: é infinitamente mais difícil arranjar um motivo para viver do que colar na prova, é muito mais destruidor que ser trocado por seu amigo mecânico e é estupidamente mais longo do que os banhos que você terá de tomar para tirar o adorável cheiro de fezes de você.

Eu sei que é lama, vão à merda.

...

Foi sem querer, juro.

...

É relativamente difícil perder a razão de viver por outros três motivos: a razão pode mudar (e muda) várias vezes na vida, pode-se ter mais de uma razão de viver e em alguns casos (como o dos conceitos abstratos, das palavras e dos sentimos) é praticamente impossível "destruir" a razão de viver. Por outro lado, se a sua razão de viver for uma pessoa ou um objeto, é extremamente fácil acabar com elas (vide o Dionilson). No caso de filmes, fotos e um trabalho, a coisa fica no meio termo: pode-se, com facilidade, perder o trabalho e ter filmes e fotos queimadas, entretanto, é relativamente fácil arranjar outro emprego e conseguir outra cópia da foto ou do filme.

"Ahh, mas e se for foto da família que morreu no acidente de carroça quando ela tinha 4 anos e eles tavam viajando do Piaí pra Santa Catarina, passando por Mato Grosso?!"

Uma coisa tem que ficar clara aqui: é totalmente diferente se sua razão de viver for um objeto do que um sentimento e/ou uma lembrança relacionada à um objeto, afinal, o objeto é apenas um catalisador (para os ignorantes, catalisador é um purificador de ar) para os sentimentos e lembranças.

Um catalisador chique.

Quando sua razão de viver é evaporada da face distorcida do universo isso se torna um grande problema, afinal, como eu já disse, você fica na merda, mas essa merda é muito menos pior quando se tem mais de uma razão para viver. Para falar a verdade, a maioria das pessoas tem mais de uma razão de viver, e como dificilmente identificam uma delas, achar alguém que tenha identificado (corretamente) mais de uma é extremamente raro.

Entretanto, se você tem uma única razão de viver e a perde, este sim é O grande problema, aliás, este é também o motivo de eu estar fazendo este post. Perder a única coisa que faz com que você não se vista de Maricleide e Adamastor significa que você está na segunda maior merda possível (a primeira fica para outro dia) e é dela que eu falo à seguir (sim, só notei agora o tamanho desse tópico).


Fundo como piscina de mil litros



Sim, Negão, para sua felicidade.

Não sei se vocês sabem, mas o Porquês e Afins surgiu com um propósito: colocar minha opinião de merda sobre algo que eu não tenho certeza e/ou que não cheguei à uma conclusão satisfatória para que os leitores pudessem comentar e, quem sabe, iluminar a vida de todas as pessoas que tivessem a mesma dúvida. Depois de tanto tempo, podemos tirar duas conclusões disso: a primeira é que eu era extremamente ingênuo, achando que teria leitores, e a segunda é que vocês, leitores imaginários, não sabem porra nenhuma sobre merda alguma.

Enfim, o mundo está cheio de coisas, está entulhado (quase que literalmente) de coisas que podem servir de razão para se viver, na realidade, é um número quase infinito de coisas e todas, absolutamente todas, podem ser a razão de vida de alguém, e ainda sim tem quem insiste em ter apenas uma razão de vida, ou seja, que fica dependente de uma única coisa, uma única coisa, que pode ser quebrada a qualquer momento (e em grande parte das vezes, realmente é!).

Peguemos o exemplo dos infelizes no clipe lá (sim, esqueçam o Dionilson por agora). Utopias chamam "utopias" por um único motivo: são impossíveis de acontecer, haverá guerras, mortes, desastres e tudo mais, e assim como o poder do amor, o poder da música não vai te salvar. Sabe quando falam coisas como "o esporte mudou minha vida", "a dança mudou minha vida" e "a música mudou minha vida"? Pois é, tudo besteira, só três coisas mudam sua vida: ações, pensamentos e forças universais humanamente incompreensíveis.

Então, fazendo a ligação com o começo do post, cedo ou tarde, o 30 Seconds to Mars vai cair, e assim será como a música em sí, pode demorar milênios, e com absoluta certa os fãs do clipe já terão morrido, mas haverá sim o dia em que a música será deixada para trás e os fãs apaixonados da música dessa época terão sua razão de viver destroçada. E no fim de tudo, a pergunta deste post (porque todo Porquês e Afins tem uma pergunta) é como alguém pode ser idiota (no sentido mais "bobo" da palavra), raso e (usando aqui uma expressão que eu odeio) infantil ao ponto de confiar toda a sua vida em algo tão frágil e (usando a melhor expressão que encontrei agora) boba quanto a música? Porra, tanta coisa mais sólida e útil... e foda-se o ponto de vista, guitarras, violões, baterias e o caralho a quatro ficarão, gostem vocês ou não, obsoletos cedo ou tarde e serão esquecidos.

E essa é a parte interessante, quando a razão de viver de alguém vai pro saco, a pessoa tem três opções: o já mencionado suicídio, arranjar outra razão de viver (coisa que é difícil pra caralho) e passar a viver no saudosismo (que é a mais fácil, a mais escolhida e a mais ridícula). Como eu já falei várias vezes aqui no blog, suicidas não merecem respeito, logo, podemos cortar essa opção. Se você perdeu sua razão de viver e conseguiu encontrar outra, parabéns, você é foda e merece um troféu joinha e se você decide pelo saudosismo, bem, digamos apenas que você deve torcer para não ter amnésia.

Seja como for, o resultado será o mesmo: estamos todos fudidos (vocês sabem, para manter mais esse costume nos posts). De um jeito ou de outro, nos próximos meses ou nos próximos milênios, todas, absolutamente todas as razões de viver vivarão passado, e quando isso chegar, não sei se será melhor começar tudo de novo ou desistir (seja lá o que isso signifique)... serão tempos legais... bem, 2012 tá aí, pode ser que não aconteça nada, mas pode ser que aconteça, então, seja ano que vem seja no próximo século, algo vai acontecer, mas sei lá, gostaria de estar aqui para ver. 


Minha conclusão

Foi (ou "está sendo", como preferirem) um tanto quanto estranho escrever este post... comecei há várias horas atrás e realmente não achei que demoraria tanto. Provavelmente o post não faz muito sentido, já que misturei um monte de coisa nele, mas como não tem leitores aqui creio que não há nenhum problema nisso.

Não sei se ficou claro durante o post (e para ser sincero, estou sem vontade de descobrir) o que motivou a escrita do post. Em poucas linhas, as perguntas são "como as pessoas podem ser tão simples?" e "o que vai acontecer quando tudo vier abaixo?". Não sei quando, nem como e nem porque, mas tenho certeza absoluta que tudo (ou quase tudo) vai mudar, afinal, tudo no universo está em constante mudança... talvez os seres humanos vivam pouco para passarem por uma dessas grandes mudanças: no infinito tempo-espaço 90, 100 anos é pouca coisa. Ainda sim mantenho o que disse no último parágrafo: eu gostaria de estar vivo para presenciar tais mudanças... ainda não escolhi se prefiro acreditar se será uma anarquia ou uma aniquilação do que conhecemos como realidade, mas seja como for, será divertido... só não sei em que sentido de "divertido", mas definitivamente será um deles.

Mas é isso aí cambada, eis o final do post (porque tinha que ter mais um "eis" aqui). Se for para dar um conselho sobre isso tudo, creio que seria "não esqueçam suas toalhas".

See ya!
Related Posts with Thumbnails

domingo, 22 de maio de 2011

A estrutura básica de um grupo de adolescentes idiotas

 Aaaaaaaaeeeeeeeeewwwwwww cambaaaaaaaaaaaaddaaaaaaaaaaaa!!!!!!!

Seguinte: sei lá caralhos porque o blog está fora do ar (o que explica a queda vertiginosa nas visitas). Hoje (sábado) chequei várias configurações e creio que até amanhã (adivinhem que dia será) tudo estará normalizado, o que é um tanto quanto estranho já que qualquer outra pessoa (além de eu mesmo, claro) só verá este post domingo, o que causa uma certa discrepância em relação ao tempo verbal usado aqui.

Se até amanhã as coisas não estiverem como devem estar, creio que eu e a UOL teremos alguns problemas, mas nada com que vocês precisem se preocupar (sim, eu falo isso só para tentar me convencer). Desde já peço desculpas ter tê-los privado de um blog tão inútil, chato e instrutivo quanto este. Então, até que o blog volte, deixarei este post assim, só para foder com o tempo verbal aqui (não que minha preguiça tenha nada com isso).

...

E sim, já tenho o tema do post.

...

E eis que volto após horas para fazer o post. Bem, o blog já está normal, não sei exatamente que horas voltou ao normal, mas isso não importa. Então, sem mais delongas, vamos ao post de hoje.

Simbora!!! 


Hormônios

É de total e completo conhecimento que a adolescência é o momento mais ignorante, idiota, burro e estúpido da vida de uma pessoa: é durante a adolescência que as coisas mais estúpidas (em todos os sentidos) são feitas. Numa comparação, a adolescência equivaleria ao Purgatório.

E todas as merdas feitas durante a adolescência tem uma causa (que também serve de desculpa) simples: os hormônios (é, eu era mais criativo com títulos antigamente). Pegou o carro do seu pai (escondido, claro) e o bateu? Culpa da adrenalina. Agrediu alguém na rua? Culpa do cortisol. Você é narcisista? Culpa do estradiol. Casou com um travesseiro gigante pintado com uma personagem de anime? Culpa da testosterona.

Ou quase.

Em suma, a adolescência é quando as pessoas são babacas, (acham que) tem motivos para isso e estão pouco se fodendo com o seguro cobrir ou não o estrago do carro (bem como retirá-lo da piscina do vizinho), se o Roberscreiçon vai ou não para o hospital, se seu espelho chora por dentro e muito menos se o travesseiro queria casar com você.


Single ou multiplayer

Creio que um dos maiores méritos do ser humano é sua capacidade de adapção (porque, sejamos sinceros, somos ruins em quase todo o resto): poucos animais conseguem viver tão bem em tantos lugares diferentes sem morrer ou se foder imensamente.

Há centenas de milhares de anos o ser humano criou a sociedade, que na época dava, quase que unicamente, benefícios: maiores chances de sobrevivência, segurança, mantinha a taxa de natalidade estável e etc. Com o passar do tempo, tanto o Homo sapiens quanto a sociedade evoluíram, chegando ao que é hoje (ou nos anos 90, como preferirem). E com esta evolução mútua e cooperativa, criou-se a cultura, e uma das coisas dessa cultura diz que os seres humanos se comportam diferente quando estão sozinhos (ou com gente que não conhecem ou conhecem pouco) e quando estão com pessoas que eles conhecem.

Juntando tal predisposição culturar/instintiva com o os homônios brincando de guerra, tem-se (ou seria "têm-se"?) os dois comportamentos básicos de um adolescente (sim, extremismo, vocês sabem, para combinar): o perfeito babaca idiota provocador e o babaca idiota com fones de ouvido.

Como os próprios nomes já explicam, os adolescentes são totalmente diferentes dependendo de sua companhia: quando estão junto de outros adolescestes, são terrivelmente irritantes, beirando a insuportabilidade, por outro lado, quando estão sozinhos, estes utilizam dos já mencionados fones de ouvido para ouvirem "música" (não adentrarei em tal tópico - hoje - mas para não passar em branco, digo apenas que Linkin Park está presente nas playlists).

Mas seja como for, eles contuinuam babacas idotas, alterando apenas o grau... a lealdade ao modo de vida deve ser reconhecida, não?


Ligeira desvantagem

Adolescentes, apesar de tudo, quando estão sozinhos costumam se comportar como pessoas civilizadas por dois motivos: ele (ou ela) está sozinho contra várias outras pessoas e os pais estão juntos (porque o único motivo para um adolescente ir num local sem gente que ele conheça, é porque os pais querem que ele vá).

Mesmo com o uso dos fones, por uma questão estratégia, a educação, os bons modos e a boa vontade (mesmo que falsa) são exercidas: é a prova que a adolescência tem cura (que chega, coincidentemente, junto com um "vai arranjar um trabalho" paternal).

Em suma, adolescentes são "boas pessoas" quando estão longe das "más influências" (já falo sobre elas). Como eu já disse, eles continuam babacas idiotas, mas tal lado é deixado de lado (sim, eu sei que ficou feio) ou é amenizado, permitindo assim que não haja assassinatos em churrascos "da firma" e nem em aniversários da amiga perua da senhora chamada como "mãe".

Sem falar na manobra (um tanto quanto odiosa, devo dizer) utilizada pelos pais, que eu chamo, carinhosamente, de chantagem. Coisas como "vai ou vai ficar sem seu iPod" (bons tempos aqueles dos MP3 players de 128 mega, não?) e "e faça com boa vontade ou nada de cartão de crédito" (só como observação, se você é adolescente e tem cartão de crédito, você merece se foder) estão nessa lista... e viva a democracia.


Boiada, alcatéia, matilha, rebanho e cardume

Se quando estão separados de seus grupos os adolescentes passam perto de ser gente, quando estão junto de outros adolescentes é totalmente o inverso: mostram toda sua capacidade para babaquices e idiotices, e a cereja do bolo é o orgulho que os adolescentes demonstram por serem babacas idiotas... e devo dizer que ao menos nisso eu apoio: ninguém deve negar sua verdadeira natureza só porque a sociedade (adulta, idosa e infantil) quer... questão de orgulho, sacam?

Enfim, quando estão juntos de seus iguais, os adolescentes fazem todo o tipo de coisa idiota e sem sentido (bem como algumas divertidas, sejamos francos), que variam desde destruição de propriedade alheia até obstrução da justiça, passando por destruição da pessoa alheia, impedimento da justiça, quebra de vidros (e postes, placas, hidrantes, cartazes, orelhões e semáforos), agressões, tentativas de agressões, roubar, assaltar, despojar, surrupiar, furtar, saquear, uso de substâncias ilícitas, uso de substâncias que deveriam ser ilícitas, perturbação da paz, invasão de propriedade, poluição sonora (visual, do solo, da água e do ar) e colagem de stickers, pichação (nota aqui: grafite é arte, pichar é falta do que fazer e de vergonha na cara), desparo de alarmes de carros e, por último (mas não menos importante), atrapalhar o sono de moradores de rua (que pode passar para a já mencionada agressão e em alguns casos, "livrar a cidade desse câncer").

Adolescentes são os grandes responsáveis por coisas como "maria vai com as outras", "más influências" e "diga-me com quem andas e te direi quem és" por três motivos: são altamente influenciáveis, querer ter status e porque tem bom senso e responsabilidade é careta (porra... gíria dos anos 90 num texto sobre adolescentes é sacanagem...).

O interessante dessa coisa toda, é que é um esquema de suporte mútuo: coloque dois bons adolescentes (finja que existe) juntos e eles serão babacas idotas, separe-os e eles voltarão ao normal. Se todas as relações interpessoais fossem assim, o mundo seria muito mais fácil... seria uma anarquia desgraçada, mas ainda sim uma anarquia na qual seria fácil viver.



Guerra dos sexos



Como em quase tudo na vida, homens e mulheres também são diferentes na forma de lidar com suas vidas, principalmente na adolescência. Em relação aos seus grupos é a mesma coisa: são diferentes quando tem como líderes (falo deles em breve) homens e mulheres.

A estrutura básica não muda muito, tirando as coisas que são estritamente ligadas ao líder em questão: os capangas (também já falo deles) e a forma de lidar com outras pessoas. As mulheres, por exemplo, são líderes muito mais odiadas que os homens, e os homens são líderes muito menos eficientes. Não entrarei em detalhes agora, afinal, falarei disso em seguida, mas é bom fazer essa divisão logo de início.

Enfim, grupos de adolescentes tem certas "regras" básicas, bem como papéis a serem feitos, medidas a serem tomadas e cargos a serem preenchidos, e é deles que falarei no resto do post (que aliás, são o motivo para este post existir)... acho... então, vamos à eles. 


O líder do grupo 

Odeio cigarro (e se o Vader fumasse, morreria em segundos), mas devo admitir que gostei da imagem.

É, literalmente, o centro da coisa toda, uma vez que todos os outros ficam girando em forma dele feito os elétrons de um átomo. Assim como muitos reis, é um preguiçoso folgado, bem como um aproveitador fracassado. Toma todas as decisões importantes do grupo (coisas como "quem meus lacaios vão espancar hoje" e "quem vai pagar meu ingresso no cinema"), além de escolher quem entra, quem sai e quem já faz parte do referido grupo. Se fosse um chefão de videogame, seria aquele cara de 150 metros de altura, que basta apertar o botão de autodestruição para derrotá-lo, o maior problema é passar pelos capangas-paus-mandados. 


A líder do grupo

A melhor definição aqui é "batalha de egos". Já falei tanto sobre esse tipo de garota aqui que nem sei mais quais posts foram, mas vejam esse e esse, só por desencargo de consciência.

Todas as atitudes são voltadas para o american-bitch-fuck-yeah-lifestyle, que inclui, entre outras coisas, a horrenda e odiosa balançada de cabeça (a qual não achei o vídeo). Pausa aqui: das muitas coisas que uma mulher pode fazer para me irritar, essa coisa de balançar a cabeça numa briga é, definitivamente, uma das mais graves, então, se você faz isso, você ser colocada numa dama de ferro.

Assim como seus equivalentes masculinos, esta vive rodeada de outra vagabundas (em nível menor, claro), mas a diferença é que estas não formam um átomo, e sim uma linha ou um "V":

Garotas Malvadas... 2... filminho para TV com "atrizes" da Disney... porra, a única coisa boa no primeiro era o nível mínimo de putaria, agora nem tem mais isso, graças ao politicamente correto... porra,Lindsay Lohan, olha a hora que você vai escolher para traficar mexicano pros States!

São ainda mais cuzonas e filhas da puta que os líderes do grupo, mas contam com uma quantidade menor de aliadas e com número maior de haters (com razão, diga-se de passagem). Quando se unem com os líderes, estes vão, eventualmente, chutá-las, uma vez que são extremamente insuportáveis.


Capangas, comparças e jagunços

 Como já falei, os capangas são aqueles paus mandados que ficam à volta dos líderes. No caso dos homens, todos os demais (exceto o "braço direito" - já falo dele) são capangas, mas no caso das mulheres são normalmente duas, sendo que não há preferência por nenhuma delas: ambas servem só para dar apoio e não tem importância real.

Entre suas funções estão a de concordar com toda e qualquer ação/decisão/opinião dos líderes, bem como repetir o que eles dizem e mandarem ordens para outros membros do grupo, passando por rir de piadas e provocações feitas pelos líderes e fazer volume na hora do quebra com a "gangue rival". São irritantes pelo único motivo de não terem vontade, pensamento e inteligência próprias (o que os dá as características perfeitas para fazerem o que fazem), além de serem os mais influenciáveis do grupo todo.


O braço direito

É o responsável por repassar as ordens do líder para o resto do grupo, bem como é responsável pelos trabalhos mais importantes. Normalmente é um cara grande, meio burro e, acima de tudo, leal ao líder. Em resumo, é o responsável pelo trabalho sujo e pela proteção do líder.


O piadista

Sempre tem um (como diziam seus professores) engraçadinho, pronto para fazer piadas, trocadilhos e coisas do tipo. Em geral, não é amado nem odiado pelo grupo nem por que é alvo das piadas, mas isso pode mudar (e muda) com certa facilidade. Na real não serve para nada além de alegrar o grupo todo, é, quase que literalmente, um bobo da corte moderno. 


O "quero entrar"

Praticamente um stalker: sabe tudo sobre o grupo e sobre cada membro. São ainda mais leais que os braços direitos, mas muito menos importantes e eficientes (independente da sua função), além de que se tornam irritantes por estarem sempre tentado entrar para o grupo. Como consequência de tal insistência, viram os escravos da coisa, e gostam disso... só eu acho estranho o masoquismo estar cada vez mais presente na sociedade atual?


Falta de QI

Eis um cargo que pode ser ocupado tanto por homens quanto por mulheres, apesar de a maioria ser de homens (mas não que isso signifique alguma coisa, é claro). É o típico "burro mas bem intencionado", demorando muito mais que qualquer um para entender, piadas, provocações, brincadeiras ou qualquer outra coisa do tipo.

De forma geral, são um dos menos ruins do grupo (podendo considerar o piadista como "menos ruim" também), e só está ali porque é gente boa com qualquer um que não cometa bulliFAÇA PIADAS com ele ou ela (ou que faz piadas que ele - ou ela - não entende).


Amado por todos

Eis um cargo que só pode ser ocupado por um homem, e isso não é machismo: mulheres se odeiam mutuamente por natureza. O cara que é amado por todos pode chegar a ser mais popular que o próprio líder do grupo, sendo amado por este também. O que vai fazer a diferença aqui é o merecimento de tal "amor", uma vez que deve-se considerar os motivos de tais amores existirem, mas cada caso é um caso.


Alternativo ou hipster ou underground

Não tem muito a ver com o post, mas gostei dela.

Eis outro grupo que serve tanto para homens quanto para mulheres, mas estas prevalecem neste ramo. São aquela que ouvem bandas desconhecidas que nem o Negão ouve, que vão à brechós porque é mais "style", que são à favor do direito do caralho à quatro, mas são contra o direito da polícia de descer o pau nas pessoas, que usa coisa velha mas chama de "retrô", que tem Tumblr porque blog tá na mídia e que usa óculos sem grau para parecer inteligente (o que denuncia a estupidez, diga-se de passagem).


O estranho

Ironicamente (ou não...) as pessoas estranhos costumam ser parte dos menos piores também, provavelmente pela questão do "não julgar as pessoas" (que é uma besteira enorme, mas falo disso outro dia). Normalmente são boas pessoas, com gostos totalmente pessoais, ou seja, podem ser feios e esquisitos, mas tem estilo. Estão no grupo porque são legais e para poder provocar o "quero entrar"... e por causa das cotas. 


"Por um motivo maior"

É aquele (ou aquela) que odeia metade do grupo e não gosta da outra metade. É quase que um agente infiltrado, pronto para trair todos se uma boa oportunidade surgir. Não se esforça tanto para ser bem visto, só para ser aceito pelo resto das pessoas... é tipo a Lindsay Lohan no primeiro Meninas Malvadas.


Galera

Formam o "corpo" do grupo: são pessoas normais, que não vão à nenhum extremo em relação à nada. Recebem ordens dos capangas, dos braços direitos e dos líderes (claro), sendo que estão no grupo por serem legais (mas não demais), mas gastar mais de 3 linhas com eles é demais.


Contra o sistema

É, eu sei que vocês esperam uma foto do Che Guevara.

Mais um que serve tanto para mulheres quanto para homens. São os que defendem que a culpa de todo o mal do mundo é do "sistema" e do governo (às vezes eles tomam estes dois como a mesma coisa), e que a população mundial deveria se unir para tirar estes hipócritas capitalistas do poder, e acabar de uma vez por todas com esse reinado de loucuras terroristas, que destroem a mãe natureza e matam bebês focas.


O homicida

Outro posto que é unisex (palavra tão feia essa...), mas 99,8% são homens. São mestres teorias da conspiração, segredos de estado, planos infalíveis, ideias mirabolantes e, como o próprio nome diz, acham que tudo isso se resolve matando os culpados (o que não deixa de ser uma verdade...). São totalmente inofensivos, a não ser que você seja contra eles e à favor da paz mundial, feito as participantes de concursos de beleza.

São também os responsáveis por todo (ou quase todo) o conhecimento inútil do grupo, além de preparem os melhores planos de ações contra qualquer pessoa que o grupo queira atacar. Basicamente, são os legionários dos grupos adolescentes.


O gênio

Eis um posto que é ocupado em pé de igualdade por homens e mulheres. São, como o nome já informa, os inteligentes do grupo, responsáveis por praticamente todas as decisões inteligentes, bem como por quase tudo que não é absurdo que é dito. De forma geral, também fazem parte dos "menos piores", não oferecendo praticamente risco nenhum para ninguém, conseguem, no máximo, irritar as pessoas por estarem quase sempre certos sobre quase tudo.


A gostosa

Acho que já tornei meu ponto claro, mas leia o item 20 disso aqui.

A única função delas é alegrar a vida dos marmanjos (e das lésbicas) e causar inveja nas outras garotas do grupo. Não possuem grandes características, até porque, mesmo que tivessem, ninguém ligaria para isso. São, gostem as pessoas de admitir ou não, meros obejos de decoração (e sexuas), mas servem também quando para quando você está afim de dar algumas risadas por causa de coisas absurdas... tipo a Lindsay Lohan... antigamente...


Necessitados de atenção

Outro que conta com ambos os sexos. Esses aqui na verdade não tem muita utilidade, a não ser encher o saco do próprio grupo. Estes tem duas subcategorias: os carentes, que querem aprovação por tudo que fazem, e os iludidos, que pensam que são os líderes do grupo só porque as pessoas veem/ouvem o que eles fazem. Fora a encheção de saco, são totalmente inofensivos... talvez os mais irritantes, mas irritantes que não representam absolutamente nada. 


Ratos de academia

Eu realmente não ia colocar essa foto, mas ela diz tanto sobre tanta coisa...

Grupo de adolescentes idiotas nenhum está completo sem o cara da academia. A única diferença dele para o burro, o bobo da corte e o braço direito, é que poucas pessoas tem coragem de provocá-los (bando de cagões, verdade seja dita), que eles fazem parte da máfia e que uma boa parte deles são bichas com dificuldades de ereção... e não, eu não estava com o SafeSearch desativado para achar essa foto. 


Fanático por esportes

Aqui o lado masculino do mundo também impera. De futebol até golfe, passando por basquete, baseball, queimada (ui), natação, polo, boxe, tiro ao alvo, triatlo, maratona, tênis, esgrima, ginástica artística, patinação no gelo, lançamento de dardo, revezamento, 100 metros rasos, salto em distância, ciclismo e até mesmo lacrosse, são alguns dos esportes que esses caras gostam.

Dificilmente representam algum perigo (esqueça as torcidas organizadas por agora), sendo que seu único crime é encher o saco das pessoas por falar demais sobre um mesmo assunto... o interessante é que poucos deles praticam os esportes que tanto gostam... vai entender.


Nerd e otakus

Eis algo que está se tornando cada vez mais raro, mas que ainda exite. Tirando os "nerds" e "otakus" que tem atualmente, todo grupo de adolescentes conta com ao menos um desses dois (e possivelmente ambos). Apesar de variar muito de pessoa para pessoa, também fazem parte dos "menos piores", principalmente porque eles estão em minoria e não tem vontade e capacidade (física mesmo) para "desafiar" qualquer outro tipo de adolescente babaca.

Obviamente não representam perigo algum, mas tem a capacidade de serem os mais chatos e irritantes de todos, principalmente se a coisa envolver PS3 VS Xbox e Naruto VS Bleach. Não é raro os outros membros do grupo se irritarem com eles. 


Tarados

Outro que conta com homens e mulheres, apesar que mulheres estão em extinção aqui. São responsáveis por todo o assédio interno dentro do grupo, não só para as gostosas, mas para qualquer coisa que tenha um orifício e não tenha um pinto. Também costumam ser odiados pelo resto do grupo, como também são responsáveis por 90% das conversas sobre coisas não religiosas.

A única "arma" que tem é justamente o assédio, mas se você não for mulher, está totalmente (ou quase...) livre deles. Além disso tudo, são eles que contrabandeam toda e qualquer coisa que você nunca pensou que pessoas fizessem entre quatro paredes (e ao ar livre) e por muitos dos momentos de vergonha coletiva.


Homosexuais

Porra Lindsay, nem pra você ter bom gosto! PQP ein!!!

Indubitavelmente terá um (ou mais) gay e/ou lésbica no grupo, primeiro porque atualmente é moda, segundo porque há mais liberdade em relação à escolha sexual atualmente, e terceiro porque alguém tem que ser o alvo de fotos comprometedoras, e os tarados, as gostosas, os nerds e os otakus já estão acostumados demais com isso para se importar. 


Babacas (sim, ainda mais do que o normal)

Eis a categoria que reúne homens e mulheres de uma forma incrivelmente foda (no sentido ruim). Desde quem gosta de hip hop até quem gosta de "sertanejo universitário". Desde quem gosta de usar gravata até quem gosta de usar calça na metade da coxa. Desde quem usa dreads até quem usa moicano. Desde quem vai em micareta até quem vai em show do Sum 41.

São os responsáveis pela maior parte da poluição gerada pelos grupos adoslescentes, assim como são realmente bons em perturbar a paz e estragar bons momentos (lê-se "chegam na sua casa sem avisar")... chegam a serem impressionantes nestas artes, devo admitir... o jeito é causar a discórdia entre eles: jogue que o ídolo de um é melhor que o ídolo de outro e pronto. 


Filhos da puta

Negão poderá lhes dizer o quanto esta cena combina comigo.

São os cuzões do grupo: são os principais responsáveis por praticamente todas as merdas em que os membros do grupo se mentem, principalmente se isso envolve poderes maiores (lê-se "os pais deles"). São estraga prazeres, adoram provocar e encher o saco e gostam de provocar a discórdia geral. Em uma frase, são capetas em miniatura.

Estes sim costumam ser perigosos, mas o nível de periculosidade varia muito: podem desde espalher falsos rumores até provocar o já mencionado mergulho veicular na casa do vizinho. E se vocês ainda não se convenceram, a Lindsay Lojan está nessa categoria agora.


Minha conclusão

Cambaaaaaaaaaadddddaaaaa, nem acredito que cheguei na conclusão... acho que foram para mais de 12 horas fazendo o post.

Enfim, a adolescência é um período foda na vida de qualquer pessoa, e digo "foda" nos mais variados sentidos, desde coisas ruins até coisas boas. Seja por culpa ou não dos hormônios, adolescentes tendem a fazer um número gigantesco de merdas, sem ao menos saber o motivo de fazer tais coisas (quanto mais as consequências). Claro que o post todo é uma generalização gigantesca, mas não dá para falar de um por um, e depois, ninguém teria saco de falar de tantos adolescentes assim.

Dos muitos exemplos que já tivemos no decorrer da história, poucos nos mostram o quanto ignorante o ser humano pode ser, e a adolescência tem essa exata função: mostrar que o ser humano pode ser uma merda gigantesca quando quer (e normalmente ele quer), mas como eu já disse no meio do post, isso tem cura. E sim, dá sim para ser pior que um adolescente (item 15 caso você seja burro ou preguiçoso demais) e feliz ou infelizmente, isso tem se tornado cada vez mais frequente.

De um jeito ou de outro, creio que "o segredo de passar uma boa adolescência" é contar com sua família (e não com seus amigos), afinal, já tivemos exemplos demais de adolescentes fazendo merdas irrecuperáveis:

E que falta fazem...

Então, sejam bons garotos e garotas, obedeçam seus pais, façam a lição de casa, não matem mendigos e só encostem no volante de um carro se já tiverem carteira de motorista... casar com travesseiros tá liberado, mas só com apresentação da carterinha de estudante (quem sabe você ainda não ganha um desconto na hora de comprar o travesseiro?). E é com uma boa base familiar que conseguiremos derrubar esse governo autoritário, que agride jovens inocentes que querem praticar a botânica, por meio do plantio (e distribuição, processamento e manufaturação) de árvores com folhas de cinco pontas.

E por fim mas não menos importantes, Lindsay, vai à merda (e quando você sair dela, me liga).

See ya!!!
Related Posts with Thumbnails

domingo, 15 de maio de 2011

Top X Erros que pais cometem ao criar os filhos

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaeeeeeeeewwwwww cambaaaaaaaaaaaaaaaaaddddaaaaaaa!!!!!!!

Eis que estou aqui para mais um post. Sim, eu sei que estou atrasado e tudo mais, mas é graças à uns contratempos que tive (um deles é que eu esqueci que era sábado e tinha que fazer o post). Mas, não se desesperem, caros leitores imaginários, pois estou aqui, para alegrar o fim de semana de vocês!

Mas para me desculpar, vai aqui uma música para vocês:



Ahh, os anos 80...

Portanto, sem mais recados, vamos ao post.

Simbora!!!


Pais, mães e familiares

Vocês podem até não acreditar, mas às vezes, nem eu fico feliz com as fotos que coloco nos posts.

Das muitas coisas que o ser humano pode se gabar de ter conseguido, uma delas é a de não nascerem por geração espontânea. Claro que uma pessoa pode ficar órfã, pode matar toda a família ou pode nascer morto (o que é um tanto quanto irônico, diga-se de passagem), mas ainda sim ela tem/teve/vai ter uma família, seja esta família biológica ou adotiva.

Quando você assina o contrato dizendo que aceita ter uma família, está imbutido pai, mãe, irmãos e irmãs talvez, quem sabe avós paternos e maternos. Sem falar, nos primos, tios, tios-avós e até mesmo bisavós, podendo evoluir para genros, sogras, sobrinhos, filhos e netos. Para resumir, ter uma família é assinar um contrato, dizendo que você aceita (goste ou não) que pessoas te encham o saco, mas que também permite que você encha o saco delas. 


A pessoa mais importante da sua vida

Uma das grandes verdades da humanidade...

Sua mãe, sua namorada, seu marido, sua tia de sexto grau, seu melhor amigo, nenhum deles (as) é a pessoa mais importante da sua vida. Aí você diz: "Pera, como assim minha mãe não é a pessoa mais importante da minha vida?! Ela que me deu a luz!!!".

E eu respondo: Chuck Norris te deu a luz, sua mãe te pariu. Além disso, se você for adotado, tal argumento é inválido.

"Mas ela que me criou porra!"

Verdade, e sua mãe é sim MUITO importante na sua vida, mas a pessoa que é mais importante que todas as outras é seu PAI. Porque? Simples: é a primeira pessoa que você chamou na vida. Duvida? Vai lá e pergunta para a sua mãe, que ela vai  te confirmar isso.

...

"Ah, mas é só porque 'papa' é mais fácil que 'mama', seu burro!"

Não, não é. Antes mesmo de aprender a mentir, o ser humano já é folgado, preguiçoso e interesseiro: sua mãe pode te dar leite, mas somente seu pai faz sua mãe te dar leite 8 vezes por dia ao invés de te jogar do berço a cada choro. Pode ir perguntar para a sua mãe se ela já não arrancou os cabelos por causa dos seus choros às 4 da matina, eu espero.

...

Pois é, meu caro, agradeça ao seu pai por você não estar num caixão agora.


Seus pais te amam

Tá, pode até ser que seus pais não te amam (por isso te abandoram no cesto de lixo do metrô) e que você não tenha sido adotado (porque você é feio, chato, chora demais e é indesejado - que aliás, foram os motivos que levaram seus pais biológicos a te deixarem no cesto de lixo do metrô), sendo criado num orfanato à la Oliver Twist, mas para todos os efeitos de causa, você nasceu e (à princípio) seus pais gostaram de você, resolvendo criá-lo.

Como, sabe-se lá caralhos porque, pais gostam de seus filhos, mesmo que esses sejam uma pestes (ou assassinos ou psicopatas ou pedófilos), eles querem que você seja feliz em sua vida, que se case e que dê netos e netas à eles, em suma, seus pais só querem seu bem, e é aí que a porra toda desanda.

A seguir, vocês terão vários erros que pais (e mães, claro) cometem para com seus filhos. Claro que a maioria deles é feita na melhor das intenções, mas como as piores coisas do mundo são feitas com boas intenções, fica este post para você que é pai (ou mãe) aprender que seus filhos te odeiam tanto quanto você os odiava às 4 da madrugada.


1 - Impedir os filhos de cairem

Criança precisa brincar, e cair durante a brincadeira é parte disso. Já ralei tudo que é parte do corpo e digo, com certo orgulho até, que ainda tenho cicatrizes no joelho dos muitos tombos que já levei no PARALELEPÍPEDO de casa (piso é para os fracos).

Acreditem, é importante que seus filhos caiam e abram o berreiro, para minutos depois estar correndo de novo. Esqueçam aquela putaria de tornozeleira, caneleira, cotoveleira e sei lá mais o que: no máximo um capacete (de plástico mole e fino) para ninguém te processar por negligência.


2 - Dizer "sim" para tudo

Poucas coisas são piores que pivetes mimatos, então antes que alguém como eu empale seu filho, tome cuidado para não fazer tudo que ele quiser.


3 - Dizer "não" para tudo

Outra coisa igualmente irritante é gente que reclama de absolutamente tudo e fica revoltado com o mundo por isso (diferentemente de mim, que sou uma pessoa alegre e de bem com o mundo), portanto, seja um pai (ou mãe) legal e deixe seus filhos fazerem algumas coisas, mesmo que algumas delas fodam com eles e você sabia que iriam foder com eles (se ficou em dúvida, leia o item 1). 


4 - Aceitar as frescuras dos filhos

Crianças são, na grande maioria das vezes, cheias de frescuras, e, para a infelicidade de quem está perto, essas frescuras abrangem uma enorme gama de coisas (a grande maioria delas totalmente inútil), indo desde querer algo como uma alcachofra até fazer birra na hora de ir para a escola.

Muitas vezes "frescura" é confundido com "gosto", uma vez que a maioria das crianças se expressa da mesma forma (chata e irritante) para ambas, mas basta prestar atenção para definir qual é qual.


5 - Deixar seu filho assistir Discovery Kids

Tá certo que a programação atual na TV, tanto aberta quanto fechada, está uma merda, mas o Discovery Kids ultrapassa o limite: nunca antes na história da humanidade uma programação infantil foi tão mal feita e desrespeita tanto a inteligência de uma criança. Hi-5 e Hi-5 Austrália (sim, tem DOIS), George, o curioso (o filme até passa, mas o desenho...), Martha Fala, Meu Amigãozão, Mister Maker, Noddy no País dos Brinquedos, O Mundo Divertido de Peep, Os Amigos do Sunny Patch da Miss Spider, Peixonauta, Pocoyo, Roary, o carrinho de corrida, Thomas e seus amigos e As Aventuras de Doki e Backyardigans são só algumas das porcarias que passam por lá atualmente.

E sem falar em LAZY TOWN e BARNEY (porra, ainda passam Barney!!!) que são os "desenhos" mais pedófilos jamais criados no mundo (além de serem incrivelmente ruins). E na puta desonra com Babar, que era um desenho foda pra caralho e que virou aquela animação 3D de merda, e nas temporadas ruins de Franklin, que também era foda. Então, caros leitores-imaginários-com-filhos-imaginários, não deixem que um canal de TV de merda estrague seus filhos.


6 - Deixar seu filho comer o que quiser

Claro que essas porcarias todas são gostosas, e que de vez em quando não faz mal algum, mas deixar seu filho comer sempre o que ele quiser (e ele sempre vai querer essas porcarias) vai contra a saúde e contra o bom senso: criança com frescura para comer é pior ainda que criança com frescura para ir na escola porque está assistindo Discovery Kids.

Isso sem contar que a criança vai crescer e vai ser um adulto insuportável, daqueles que só come miojo com salsicha, banhados no ketchup. E só para esclarecer um ponto aqui, Cheetos Requeijão é uma bosta, bem como Pingo d'Ouro e Stiksy.


7 - Dar poderes demais muito cedo

É por causa desse tipo de merda que aparece esse tipo de merda.

Com o Tio Ben já dizia, com grandes poderes vem grandes responsabilidades e muitos vilões malucos. Se você dá liberdade demais para um adolescente, é óbvio que o adolescente só vai fazer merda. Por que vocês acham que a AIDS se espalhou tanto? Por que vocês acham que tem adolescente grávida aos 12 anos? Por que vocês acham que tem pivete de classe média alta andando com "banca" de traficante?

Me lembrem de fazer um post só sobre isso qualquer dia desses... e esperem um posto ao melhor estilo daqui do blog: longo, chato, cansativo, cheio de reclamação e palavrões, com piadas ruins, muita caixa alta e sem clichê nenhum, porque ESSA PORRA TÁ PRECISANDO . 


8 - Não aterrorizar pretendentes

Meus caros, um homem tem que fazer o que um homem tem que fazer, e uma das coisas que um homem tem que fazer, é zelar pelo que é seu. Isso não é machismo, isso é ser um bom pai.

Como todos sabemos, 99,6% dos homens só pensam em sexo e cerca de 80% desses que só pensam em sexo (10% são realmente doentes e os outros 10% são gays) são completos babacas e idiotas que só estragariam a vida da sua filha, logo, ser um bom pai é tomar cuidado para que sua garotinha não caia na garra de tarados vagabundos.


9 - Ser ausente

Pai ausente não é pai, é desconhecido. E caso você seja burro o suficiente para entender que "ausente" não significa necessariamente que está sempre fora de casa, clique no "x" vermelho no canto do seu navegador.


10 - Ficar no pé o tempo todo

Filho nenhum gosta de pai ausente (até que ela pare de ligar para tal pai, claro), mas o oposto é ainda pior. Sabe quando a namorada pede pro maluco para eles "darem um tempo" (para ela traí-lo com o capitão do time de futebol americano)? Pois é, é quase isso.

Pessoas precisam de espaço, tanto físico quanto... psicológico (não achei nada melhor). É aquela coisa de nem 8 nem 80: largar para as traçar é tão ruim quanto enrolar no plástico bolha... mesmo plástico bolha sendo divertido.


11 - Não influenciar nos gostos dos filhos

Ninguém nasce já gosta de uma coisa e não gostando de outra, gosto (independentemente sobre qual coisa) é algo que vai sendo criado através dos anos, pela influência de família, amigos, TV, internet e opiniões pessoais (que está em falta atualmente...).

É dever dos pais mostrar para o filho o que é bom e o que é ruim sobre um monte de coisas: filmes, música, livros, jeito de agir, etc. Mas claro que se você for fã de Michel Bay, ouvir Rihanna, ler Paulo Coelho e andar por aí vestindo verde fosforescente, você pode ser omisso sem problema algum.


12 - Mentir sobre coisas importantes

É totalmente normal os pais mentirem para os filhos, mas tem coisas sobre as quais não se deve mentir (adoção é uma dessas coisas) por um único e simples motivo: quando o filho (ou filha) descobrir, dará uma merda enorme para todo mundo.

Só para citar, coisas como a adoção, doença degenerativa, seu avô morreu, vamos nos divorciar e você nasceu hermafrodita, são algumas das quais se devem conversar.


13 - Intrometer-se em tudo

"Mas porra, esse não é igual ao item 10?"

Não, diferentemente do item 10, este item trata de quando os pais querem saber (e normalmente acabam sabendo mesmo) absolutamente tudo que o filho faz, sendo que o item 10 trata do super protecionismo. Claro que não são só pais que são enxeridos, mas há um bom número de pais nesta categoria.


14 - Dar liberdade total

Se formos levar isso nos níveis máximos, "liberdade total" não existe, mas como o post se refere à paternidade, digo apenas que a anarquia é uma das piores merdas que pode acontecer ao mundo (principalmente num mundo constituido por socieades organizadas).

...

Tava até com saudades de fazer um item que fizesse vocês pensarem nele. 


15 - Não mandar eles se virarem

A tal da "adultescência" é uma das merdas que a sociedade criou nas últimas décadas (pois é, décadas) e que mostra muito bem toda uma geração de pais ruins. Como já dizia Zezé di Camargo (e o Luciano repetindo), filho tem mais é que sair de casa, quer os pais chorem na porta da casa na pequena cidade ou não.

E não é só sair de casa que se aplica, mas aprender a se virar: tarefas domésticas, trabalhar, arranjar uma vida social (ou não, considerando os dias de hoje...) e coisas do tipo, nada de pedir colinho e mamadeira aos 30 anos de idade.


16 - Cobrar resultados

Pressão de mais traz apenas um resultado: uma explosão, seja de nerdos, de vapor, de miolos ou de explosivo plástico. E a coisa só piora se a pressão for feita na hora errada sobre o assunto errado. Claro que é compreensível tal cobrança, mas ainda sim, tem horas que isso não ajuda em nada, podendo deixar as coisas piores do que estavam no início. 


17 - Não cobrar resultados

Entretanto, uma cobrança "saudável" sempre ajuda a obter resultados, uma vez que há um motivo para que ações sejam feitas... é tudo uma questão de injetar a dose certa, para nem ter uma crise de abstinência e nem uma overdose.


18 - Querer somente bem do seu filho

Uma coisa que pais jamais vão entender (e é até bom que não entendam...) é que querer somente o bem de seus filhos é algo errado. Errado porque obviamente os filhos não estarão sempre bem e errado porque muitas vezes, nem mesmo os próprios filhos querem o próprio bem, e é realmente bom que não queiram, aprende-se mais com o mal do que com o bem, feliz ou infelizmente. 


19 - Querer que seus filhos sejam iguais a você

Eis o pior erro que os pais podem cometer. Sabem aquela conversa clichê e sem graça de cada um é cada um? Pois é, é a mais pura verdade, então, feliz ou infelizmente, a maior parte das coisas na vida as pessoas tem que aprender por si mesmas, acertando e errando (obviamente errando MUITO mais), e talvez quem sabe haja a possibilidade de ela ser melhor do que seus pais foram (seja lá o que melhor significa). 


Minha conclusão

Cambaaaaaaaaaaaaaaaaddddddaaaaaaaa, finalmente chegei ao fim de mais um post. São 4:34 da matina de domingo, estou totalmente atrasado com este post, mas vejam que sensacional: estou, finalmente, conseguindo postar semanalmente! YEAAAAHH!!!!!!

É claro que cada pessoa tem um jeito diferente de criar seus filhos, e muitos fazem um bom trabalho (mas muitos também fazem um trabalho ruim), seguindo ou não o que falei no post de hoje. Assim como em vários outros Top X e Coisas, essa aqui é só uma pequena parte de uma lista gigantesca e totalmente customizável. Claro que eu estou certo sobre a maioria delas (humildade é isso aí: admitir que é bom ao invés de ser falso modesto), mas isso é um mero detalhe.

Sigam vocês ou não estes itens, desejo boa sorte à todos que serão papais e mamães no futuro, afinal, passar meses acordando de madrugada, trocando fralda, dando mamadeira, acalmando choro, limpando vômito, ensinando a andar, brincar, ensinar o certo e o errado, guardar coisas espalhadas pelo chão e assistir os mesmos desenhos infantis centenas de vezes em seguida não é para qualquer (e no caso das mulheres, mesmo depois disso tudo e de carregar um peso enorme por 9 meses, ouvir que o papai é mais importe).

See ya!
Related Posts with Thumbnails