sábado, 11 de junho de 2011

Gordos, comida e restaurantes de beira de estrada

 Aaaaaaaaaaaaaaeeewwwwwwwwww cambaaaaaaaaaaaaaadddaaaaaaaa!!!!!!!!!!

É sábado, ou seja, é dia de post, mas como não tenho ideia sobre o que escrever, vamos começar com uma música:


Fishin' For Woos tá foda... mas é meio estranho ver os membros da banda meio velhos.

...

E já tenho o tema do post!

Simbora!


Gordos

Quem acompanha o blog há algum tempo sabe que sou um não-tão-adorável exemplar de gordo, e para os mais atentos, não é surpresa que reclamo bastante dos gordos, ou seja, sim, sou um traidor do movimento.

Acho que todos sabem o que é um gordo, mas vou falar mesmo assim. Gordo é aquele cara (ou aquela garota) que você gosta (ou ao menos suporta) sabe-se lá caralhos porque, mas com quem odiaria andar de ônibus por dois motivos: vocês estariam num ônibus, e ônibus são chatos por natureza, e porque você teria menos da metade do seu acento para você mesmo.

Basicamente, há dois tipos de gordos, que são os "gordos amigos" e os "gordos selvagens". Os gordos amigos são aqueles felizes e divertidos, que todo mundo adora, ou seja, é a clássica figura de gordo bonachão, que até quando ri cuspindo farofa é legal. E os gordos selvagens são o oposto: chatos, irritadiços, carrancudos e de saco cheio do mundo, odiados e temidos (pois estão sempre prontos para sentar em cima de quem os importuna) por todos no planeta. 


Panelas, frigideiras e o tempero secreto

Apesar de este não ser o tempero secreto real, afinal, cada pessoa tem um, você pode comprar o troço aqui, e devo admitir que fiquei curioso.

Além do fato de serem gordos, os "amigos" e os "selvagens" tem apenas uma única coisa em comum: são excelentes cozinheiros. Aliás, os melhores cozinheiros do mundo são os gordos, e você nunca, repito, NUNCA deve discutir com um sobre comida (coisa que o Negão ainda não aprendeu... e sim, é divertido pra caralho irritá-lo com isso): os "amigos" irão lhe ensinar como é o jeito certo (e goste você ou não, estará certo) e os "selvagens" irão lhe esbofetear e esfregar na sua cara que está certo.

O problema é quando dois (ou mais) gordos começam a discutir sobre comida, coisa que evolui rapidamente para uma batalha sangrenta, podendo chegar (mas apenas em casos extremos) à uma guerra de comida. A cena é basicamente esta:

E a conclusão óbvia é que ambos estam certos, e que são apenas jeitos diferentes (uma vez que gordo dificilmente erram sobre comida e ainda mais dificilmente admitem tais erros). Sem falar que ambos ficam deliciosos, é claro.


Pensamento de gordo

Se você assistia, você entendeu a referência.

"Pensamento de gordo" é como eu chamo uma coleção de comportamentos "gordos" (oh rly?), que irônicamente não é uma exclusividade dos gordos, podendo afetar desde pessoas esqueléticas até obesos. As condições variam de pessoa para pessoa, mas incluem a constante vontade de comer (porque chega um momento que a fome não existe mais), a obsessão por comida e a gigantesca vontade de participar dos concursos de quem come mais (já falo deles). O pensamento de gordo é o que divide gordos de gordos, ou de forma mais clara, o que divide gente de resto.

Pensamento de gordo é uma das coisas que me fazem duvidar do futuro da humanidade, bem como exemplificam perfeitamente que preconceito com gordos é quase que totalmente válido, sem falar que é algo extremamente desprezível.

É estranho saber que o Patolino não chama Patolino...

O pensamento de gordo é uma das coisas que mais me irritam, e que provam que eu realmente perdi o jeito de como escrever aqui no blog, já que nos velhos tempos eu já estaria xingando o Céu e o Inferno à esta altura do post, então tentarei resumir o desprezo por tal forma de agir num parágrafo só.

Essa porra do caralho exprime exatamente o que a humanidade é: uma massa gigantesca de burrice e idiotice, pronta para fazer merda. Felizmente é uma parte relativamente pequena da população de tem tal posição, mas isso não salva o monte de escória fétida, alienada e ridícula de merda que essas "pessoas" (coloquem grande ênfase em "pessoas") são. E sim, eles também fazem parte dos três quartos que eu mataria se tivesse munição suficiente.

...

Acho que deu certo, não?

...

Já mensionei que quem tem pensamento de gordo cozinha (e come) mal? 


Competições de comida

Competições de comida são a representação máxima do pensamento de gordo, e por consequência são uma das coisas que eu mais odeio em relação à comida (e às pessoas). Há vários tipos de competições, mas a maioria é de quem come mais em menos tempo, indo desde aqueles cachorros-quentes americanos (que são uma bosta comparados com os nossos) até macarrão, passando por torta, hamburguer, pizza, salsicha, melancia, salsicha, miojo, costela, frango frito, pão, queijo, donuts e Hot Pocket Sadia. Meus caros, nada que faça um gordo (como eu) odiar (temporariamente) comida é bom e/ou saudável e/ou decente, NADA.

Competições de comida consistem em foder com a sua saúde o mais rápido possível, comendo tudo que é porcarias, para no fim, se você for o imbecil que comeu mais em menos tempo, ganhar um carregamento por um ano com as mesmas porcarias que você acabou deu comer: é quase que a mesma lógica da bruxa em João e Maria.

Peguemos a cena acima: temos dois babacas (eu sei que tem mais, mas os outros não estão nos planos principais) comendo macarrão mal temperado (acredite, eu sei) com as mãos, se lambuzando de forma completamente irracional. Não que comer com as mãos não seja divertido, é, e muito, mas comer por competição é idiotice: seria o mesmo que ver quem caga mais em menos tempo para ganhar um carregamento de papel higiênico.

Pensando agora, a pior coisa nessas competições é, com absoluta certeza, o banheiro... e o cheio do banheiro... e sim, terminarei o tópico deixando essa imagem (e cheiro) mental.


O jeito certo de comer

 Falei aqui que homens gostam de mulheres que gostam de comer bem, e é verdade: gente com frescura para com a comida é irritante e ignorante (sem falar que é um pé no saco de quem cozinhou), e falei também que comer todo certinho é chato e sem graça. Em uma frase: comer tem que ser gostoso e divertido.

Apesar de comer ser uma necessidade básica do ser humano, ao menos que você esteja no meio de um deserto na África, literalmente morrendo de fome, comer é algo prazeroso, primeiro porque comer é bom (principalmente se a comida está bem feita) e segundo porque comer é, na maioria das vezes, um momento de pausa no seu dia: mesmo que você seja um desocupado (assim como eu), fazer nada o dia todo é cansativo, e a hora do lanche/almoço/janta/etc é quando você manda todas suas obrigações (ou a falta delas) se foderem, para então sentar e ter bons 15 minutos de paz e tranquilidade (que costumam acabar na hora de lavar os pratos).

Em resumo, não há jeito certo de comer, seja com as mãos seja com talheres, seja sentado em cadeiras seja sentado no chão, em restaurantes ou em casa, sozinho ou com mais gente, o importante é comer (literalmente), desde que não seja para competir: estragar algo tão foda quanto comida é pecado e quem faz isso vai queimar nos óleos ferventes do Inferno, o que nos leva para o próximo tópico. 


Fome, disperdício, frescura e prato de caminhoneiro

Algo inerente à todo gordo é o disperdício de comida. Seja por ser gordo seja por consciência, gordo algum gosta de ver comida indo para o lixo (que não esteja estragada, claro), afinal "há tanta gente morrendo de fome no mundo" e depois, comida é algo importante, e disperdício por besteira é extremamente errado: muito trabalho, dinheiro e tempo foi gasto para que aquela comida estivesse alí, e jogá-la fora é um insulto do mais alto nível.

Gordo que é gordo sabe o quanto consegue comer e o quanto come, logo, os maiores disperdícios de comida vem por parte dos magros. Gente que tem frescura com comida são os responsáveis por fazer pratos gigantescos e antes sequer de comerem metade falam que não querem mais, e largam a comida no prato, com toda a sinceridade possível, digo que sou totalmente à favor de restaurantes COBRAREM caso tudo do prato seja comido, afinal, sempre há a oportunidade de pedir para não colocarem coisas que você não come e/ou em grande quantidade. Sem falar que é culpa dos pais de merda que não ensinam seus filhos, desde pequenos, que desperdiçar (e ficar com frescura) é errado.

Apesar de eu odiar blogs assim, admito, com certo orgulho até, que estão criando essa garota do jeito certo.

Frescura é uma das piores coisas já inventadas pela humanidade, e obviamente toda pessoa passa por uma fase assim, e compete aos pais lhe ensinar como as coisas devem ser, do mesmo jeito que devem lhe ensinar que disperdício é uma coisa feia e que fome é coisa séria. Claro que com 4 anos a criança não vai entender que a fome é um dos maiores problemas mundiais, e nem que é responsável por matar milhares de pessoas todos os dias (que de certo modo não é algo tão ruim, mas isso é assunto para outro post), mas entenderá que fome é algo sério, e não um tipo novo de brinquedo, afinal, bebês entendem isso (e choram por causa da fome), porque crianças mais velhas não entenderiam?

...

Sim, eu sei que há centenas de respostas (cada uma evidenciando ainda mais a incompetência familiar que a outra), mas finjam que elas não existem.

Ahh, a infância! Bons tempos aqueles em que tamanho é documento e ninguém ousava duvidar disso!

De qualquer jeito, pensem duas trilhões de vezes antes de jogar comida fora, afinal, há vários exemplos de como reaproveitar comida (aqui e aqui), sem falar que é o mínimo que você pode fazer para com as pessoas que literalmente tem que comer terra para sobreviver. Mas podem fazer pratos de caminhoneiro (ótima dica aliás: onde tem caminhão em beira de estrada, o restaurante é bom), desde que comam tudo, senão não ganham sobremesa.


Minha conclusão

Cambaaaaaaaddddaaaaaa!!!! Final de mais um post, e para comemorar, vamos com outra música:



Sim, eu realmente gostei do álbum.

Enfim, comer é uma das melhores coisas jamais inventadas no universo, e a coisa só melhora se a comida foi feita com amor (lê-se "sazón"). É um tanto quanto cruel que lugares como o Brasil tenham tanta fartura de comida e que em lugares como a Etiópia pessoas morram de inanição, mas há realmente pouco que pode ser feito sobre isso, afinal, pessoas morrem se ficam sem comer e morrem se comem muito depois de ficar muito tempo sem comer, e como ser humano é naturalmente sem tato, tem-se como conclusão que os etíopes querem mesmo morrer (mas morreriam mais felizes se fosse de barriga cheia).

Caso você tenha filhos, trate para que eles cuidem bem da alimentação, e em ambos os sentidos, afinal ser magro de mais é um saco e ser gordo demais é um saco maior ainda. Também trate de que eles comam de tudo: carne, ovo, leite, vegetais, peixes, frutos do mar, folhas e sei lá mais caralhos o que se come no oriente, afinal, hábitos alimentares saudáveis só existem quando há equilíbrio (diferentemente da pessoa que vos fala, que não come nada que viva na água e coisas verdes só se forem devidamente industrializadas), e com 2012 tão perdo, nunca se sabe quando será necessário caçar barata para as refeições.

E não importa o que vocês, magros filhos das suas respectivas putas digam, gordos são sim os melhores cozinheiros do mundo... e um último recado: apresentação de cu é rola, o que importa é quantidade e gosto (ouviram, europeus?)

See ya!
Related Posts with Thumbnails

0 comentários: Aquela ,Ein ,Ein!, Eu, blog ,opinião ,internet, 1 ,2 ,3 ,4 ,5 ,6 ,7 ,8 ,9 ,0 ,top ,x ,coisas ,vê ,isso ,links ,semana ,post , contos ,de ,duendes ,até ,quando ,acordes , aviso ,acorde ,vícios ,matinais ,porquês ,e ,afins ,vida

Postar um comentário