sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Eu disse que ia dar merda

Pesquisas recentes comprovam que o número de casos tem aumentado nos últimos anos, o que corrobora a versão do acusado. Segundo os pesquisadores, que se dividem entre 37 nacionalidades, a quantidade de casos não sou aumentou, mas também estão cada vez mais ousados e estarrecedores. 

Maria Joana, que diz ser testemunha ocular de um dos ocorridos, relata que tudo mudou nos últimos quatro meses, quando foi prorrogada a campanha de conscientização. "Mesmo com o intenso trabalho de toda a equipe, a situação começou a sair do controle" relata o terceiro intendente, encarregado pela segurança de toda a operação. Além disso, segundo outros moradores da região, que não quiseram se identificar, a presença do grupo de operações especiais só intensificou a crueldade dos atos, bem como expôs falhas graves na organização e execusão da campanha. O encarregado do caso, bem como o responsável por viabilizar o projeto não foram encontrados para esclarecer dúvidas, mas divulgaram via internet uma nota, afirmando que a situação está sendo investigada e que um novo projeto já está em andamento.

Apesar de todos os esforços, apenas nas últimas duas semanas foram recebidos mais de 300 comunicados e chamadas de emergência, não só na localidade inicial dos casos, mas também em locais próximos, principalmente nos que se localizam próximos à mata nativa. Ainda de acordo com Maria Joana, barulhos estranhos, luzes e grande movimentação são percebidos durante toda a madrugada, cessando no raiar do dia. Conforme o relado da dona-de-casa, tanto ela quanto os vizinhos estão apavorados com a situação, temendo que algum de seus familiares ou amigos sejam as próximas vítimas.

Em todo o decorrer da investigação, nenhuma prova concreta foi encontrada, mas segundo comentários extra-oficiais, muitos dos agentes envolvidos relatam que também notaram ações suspeitas em meio a mata fechada. Faz pouco mais de uma semana que o grupo de operações especiais chegou ao local, fato que dividiu a população: "Muita gente não quer eles (os oficiais) aqui, porque acham que a coisa só vai ficar pior" diz Maria Joana. Entretanto, segundo dados oficiais divulgados esta semana, o número de casos diminuiu sensivelmente desde a chegada do batalhão.

Ainda esta semana diversas imagens tiradas pelo grupo de operações foram expostas na internet, incluindo até mesmo um vídeo, que mostra em detalhes o estado da vítima de um dos ataques. Revistas foram obrigadas a tirar de circulação as edições que contiam tais imagens, e vários jornais já afirmaram que cooperarão com os oficiais se alguma informação vital for recebida.

Dois especialistas em botânica e vida selvagem, cujas identidades não serão reveladas por segurança, afirmar que casos similares já foram relatados no mundo todo, mas que a grande maioria foi abafada por ordens governamentais. "Esses ferimentos, a posição, o estado da vítima sugerem que algo realmente grande tenha feito tal barbaridade, mas nenhum animal que conhecemos deixa marcas assim" afirma um deles, e o outro completa "Isso (os ataques) é extremamente preocupante, pela possibilidade de virar um fenômeno epidêmico global. Em mais de 25 anos estudando nunca vi nada que se comparasse com isso".

Nas últimas 24 horas, três novos ataques foram relatados. "Pânico não é a solução" diz o encarregado de apoio à população, "Só piora um quadro que já é ruim. Precisamos do apoio de todos para superar mais este desafio e resolver, o mais rápido possível, o problema". Aulas já foram suspensas e muitas escolas e ingrejas estão sendo usadas para alertar e conscientizar a população, entre as principais recomendações estão não sair de casa depois do entardecer e nunca sair desacompanhado. Segundo boatos, a campanha deve se estender até depois da solução do caso, mas segundos fontes oficiais, deve continuar apenas até o fim do mês.

Apesar da crescente preocupação nacional no caso, o Ministério afirma que tudo será solucionado em tempo para o feriado prolongado. Apesar dos esforços conjuntos, o Ministro afirma estar preocupado: "Não sabemos como será a reação das pessoas, e isso pode causar ainda mais problemas". Não se sabe ainda como terminará mais este terrível capítulo na história do país, mas tanto o chefe da operação quanto o Ministro garantem que os responsáveis serão pegos e devidamente punidos. As afirmações entretando foram recebidas com ceticismo pelos moradores, "Isso é coisa de outro mundo" resume Maria Joana. Uma operação de busca na mata está marcada para o começo da próxima semana.
Related Posts with Thumbnails

0 comentários: Aquela ,Ein ,Ein!, Eu, blog ,opinião ,internet, 1 ,2 ,3 ,4 ,5 ,6 ,7 ,8 ,9 ,0 ,top ,x ,coisas ,vê ,isso ,links ,semana ,post , contos ,de ,duendes ,até ,quando ,acordes , aviso ,acorde ,vícios ,matinais ,porquês ,e ,afins ,vida

Postar um comentário