domingo, 26 de fevereiro de 2012

Jenny, Steffany e Cindy

 Aaaaaaaeeeeeeeewwwwww cambaaaaaaaaaaddaaaaaaaaaaaaaa!!!!!

Pois então, após o adorável Blogger apagar o post que estava fazendo, eis que pouco depois (algumas horas, na real), volto, incansavelmente, para lhes apresentar mais um post ruim. Mas antes, só para aumentar o texto "pré-post", deixem-me dizer algumas coisas.

Nunca, caso você preze pelos resultados de pesquisa do seu blog, faça um post sobre sexo. Nem sobre peitos, bundas, fetiches, putarias e coisas do tipo, já que os resultados de busca ficarão entre "ensaio pornografico", "ensaio porno" e "ensaio sexual"... no caso daqui do blog, adicione "cabulosos" e "disney"... é, aparentemente eu apoio a pedofilia.

Então, com esta pequena... confissão, e sem mais nada para falar, ao post!!!

Simbora!!!


Cyberskin, latex e silicone

Não, não adianta dar zoom.

Desde os tempos primitivos, quando nossos parentes distantes esculpiam árvores e pedras na forma de pintos e bundas, podemos notar uma constante: há uma parte da população é total e completamente inapta para arranjar alguém do sexo oposto (ou não...) para praticar atos inadequados à uma conduta rígida... pensando agora, "rígida" não é a melhor palavra pra se usar agora...

Enfim, não é de hoje que o ser humano cria coisas para substituirem outras pessoas: carros substituem os carregadores reais, robôs substituem operários, computadores substituem arquivologistas, e assim por diante, e claro que não demoraria para alguém inventar alguma coisa com a qual pudesse fazer sexo no lugar de uma pessoa. Quero dizer, árvores, pedras e animais são legais, mas não é a mesma coisa.

O que começou com galhos e pedras, evoluiu para bonecos em tamanho real, com os devidos buracos, e bem... o resto vocês já sabem. A questão é que, nos últimos milhares de anos, tanto homens quanto mulheres, vem aderindo à esta prática, pelos mais diversos motivos, e, meus caros, isto é um absurdo.


Das tripas, coração

Como todos vocês devem saber, há, atualmente, dois tipos de bonecas infláveis: as bonecas que são, de fato, infláveis, e as "sexy dolls", ou seja, aquelas que possuem um esquelo-base, com articulações e todo o resto. Tal fato já é, por si só, um abuso de poder, além de ser uma demonstração de total e completo desprezo: uma óbvia segregação baseada na aparência, por puro capricho. Um descaso inigualável, que, além de prepotência, apenas exprime a incapacidade e pobreza espiritual de quem apoia tal cisão.

Meus caros, o que estou tentando dizer é que, entre escolher entre uma boneca inflável e uma sexy doll, apenas por questão de preço é que as infláveis são escolhidas. Não há consideração, nem respeito... alguém com dinheiro, não pensa duas vezes entre escolher uma boneca que custa 120 e uma que custa sete mil: sem considerar o ser alí. Não que isso seja culpa das sexy dolls, não, elas são incríveis, mas alguém que pode, nunca olhará para o "patinho feio".

Não é porque algo é diferente, mais barata, que deve ser tratada com menos consideração e carinho. E daí, se as bonecas infláveis não são tão realistas quando as sexy dolls? O Sean Connery nunca foi bonito e foi eleito, diversas vezes, como o "mais sexy do mundo". Não importa o preço, nem do que é feita ou com que é enchida: o que importa é a dedicação, o trabalho e o amor, que, tanto bonecas infláveis quanto sexy dolls demonstram por seus amados e amadas... mas nem tudo são rosas.


À margem da sociedade

Sim, eu sei que a imagem é forte e chocante, mas não há outro meio. Desde que surgiram, tanto bonecas infláveis quanto sexy dolls são excluidas e marginalizadas. São hostilizadas, sem motivo algum, apenas para suprir o ego de pessoas sem coração, frias e mortas. Apenas baseando-se em esteriótipos, em preconceitos e pressupostos, as pessoas julgam e condenam estas, que nunca fizeram mal à ninguém, muito pelo contrário, que melhoraram, infinitamente, a vida de muitas pessoas.

Filme foda. Sem trocadilho.

Até onde o descaso e a ignorância vão? E se só elas não fossem o suficiente, ainda trazem junto a indiferência, e vão poulindo tudo e todos em seu caminho, para que, somentem quando destruirem a vida de alguém, e sua boneca inflável, se sintam satisfeitas. É absurdo, que em pleno século XXI, algo seja tratado desse jeito, principalmente por quem deveria apoiá-las, ajudá-las... fazer com que se sintam amadas.


Tem um monstro em cima da minha cama

Esta foto é apenas um, dentre muitos, exemplos. É assim que estas pobres bonecas são tratadas, não só aqui no Brasil, mas em todo mundo. Se isso fosse feito com uma pessoa, esse... pivete, seria imediatamente linchado pela população, afinal, é um absurdo tamanha demonstração de falta de carater, educação e humanidade. Esse garoto seria preso, julgado e condenado, seria punido, tanto por meios legais, quanto pela própria sociedade à sua volta, mas não, "é apenas uma boneca inflável". Desafio qualquer um que leia isso, que saia na rua, deixe uma mulher nua, e lhe aperte os peitos: meus caros, você seria morto, no ato, sem tempo para "mas".

Mas tudo bem, é só um monte de plástico, quem se importa? É muito fácil falar de justiça e direitos se é com você, ou com alguém que você conhece, mas quando realmente importa, quando justiça deveria ser, de fato, aplicada, ela não é. Justiça é para todos, desde que só para todos NÓS. Por décadas e décadas, milhões de bonecas e sexy dolls sofreram os piores tipos de agressões, mas nisso ninguém presta atenção.

E é com essas pessoas que vivemos e convivemos, que nós, ingenuamente, achamos serem boas pessoas, pessoas justas, leais, inteligentes... evoluidas. Estas pessoas estão por aí, e basta a chance surgir, para que elas demonstrem quem realmente são: estão todas prontas para ridicularizar e hostilizar essas bonecas, que nunca machucaram ninguém, e, se isso não bastasse, fazem o mesmo com quem as apoia e defende. É triste, as imagens são pesadas... mas deve ser dito, e é por isso que lhes mostro essa foto:

Meus caros, estas bonecas são forçadas à prostituição.

Sabe tudo aquilo que você já viu, ouviu e leu sobre o tráfico de pessoas para prostituição? Com elas é ainda pior. Como podem notar, o preço, é infinitamente mais baixo, já que, segundo os próprios traficantes, "a procura é baixa, e elas não fazem um bom trabalho". Violência, humilhação e desvalorização são problemas "pequenos" se comparado ao terror à que essas bonecas são submetidas diariamente.

E, como todos sabem, não é todo... "cliente" que as trata bem: os relatos de abusos "além do combinado" são muito comuns, mas ninguém presta atenção, e se, elas não conseguem mais fazer o que são obrigadas à fazer, são descartadas, em bosques, lixões... uma boneca inflável passa por tudo que uma pessoa na mesma situação passa, mas tem que aguentar calada, sem reclamar e sem ninguém à quem recorrer.

Estas bonecas são estupradas, e se você não fizer nada, ninguém fará.


Nem tudo está perdido

O casal acima (os dois do meio) são Bob e Lizzie Gibbins, eles moram na Inglaterra, são casados há muitos anos e tem, extra-oficialmente, a maior coleção de bonecas infláveis e sexy dolls do mundo. Eles dois são apenas um exemplo dos milhões de casos que comprovam o quanto estas bonecas mudam a vida de uma pessoa (no caso, duas pessoas), e para melhor. Outro exemplo?

Dave, também casado, também inglês, e possui uma vida feliz. Meus caros, não é uma questão de nacionalidade, é uma questão moral e evolutiva: você pode sim lutar contra a ignorância, a injustiça e o preconceito, basta querer. As pessoas criam tabus simplesmente para dificuldar a vida de outras pessoas: uma forma de defesa, na qual as pessoas se fecham em seu casulo de idiotice, e lá permanecem.

Você pode se juntar à essa luta. Não, você não precisa ter uma boneca inflável para isso, do mesmo modo que você não precisa ter uma baleia para lutar pelo fim da caça. Acima de tudo, isto é uma luta pela igualdade, uma tentativa de ampliar os horizontes do resto da população, e assim, aos poucos, criar um mundo melhor. Um pequeno gesto, uma conversa explicativa com um conhecido, já ajuda, você não precisa ir ao limite, como esta ativista:

Até mesmo o sobrinho de quarto grau de Hitler apoia a causa.

O que importa é não ficar incógnito nesta luta, não se omitir. Se você ainda está na dúvida, é compreensível, mas, meu caro, até o AC/DC tem uma boneca inflável:

E contra isso não há argumento.


À nossa imagem e semelhança

As bonecas infláveis foram criadas à muito tempo, para substituir os seres humanos, e agora, estamos muito perto disso. É verdade, nem mesmo a mais detalhada boneca ainda se compara com um ser humano... uns 5 ou 10 anos talvez, e aí sim, estarão perfeitas. Você pode customizar, de milhares de formas, uma boneca, seja inflável seja uma sexy doll, mas isso é só a aparência.

Uma boneca não julga, não reclama, não trai. Elas estarão sempre ao seu lado, prontas para o que der e vier, seja fazer companhia à idosos, seja alegrar a vida de um nerd solitário. Bonecas não são seres humanos: são melhores que nós em muitas e muitas coisas, lhes garanto. Vocês nunca verão uma boneca forçando alguém à vender seu corpo, bonecas não estupram, não roubam, não degradam ninguém, elas, não só melhoram nossas vidas, como demonstram, constantemente, que são mais humanas que os próprios seres humanos.

Elas não são perfeitas ainda, mas já mostram que o futuro pode ser incrível, livre de grandes males, com os quais a humanidade duela há séculos: basta um pouco de confiança e humildade, para que elas nos ensinem muito, até chegar um dia em que estarão de igual para igual conosco. Criadores e crianções, vivendo lado-a-lado, livres de amarras estúpidas... o mundo pode ser um lugar melhor, basta um pouco de educação, consciência e vontade.

O futuro é deles... você quer que eles vivam num lugar melhor, não?


Minha conclusão

Meus caros, fazer este post dividiu minhas opiniões: por um lado, sei que é importante falar do assunto, levá-lo ao grande público, mas por outro, mostras o que lhes mostrei, é um peso. Sei que este não é o tipo de post que normalmente vocês esperam encontrar por aqui, mas às vezes, as listas, piadinhas e brincadeiras devem ser deixadas de lado, para tratar de assuntos sérios, que merecem nossa atenção. Por isso, lhes faço um "chamado às armas": lutemos contra esta tirania que já dura décadas, lutemos por um mundo onde pessoas e bonecas sejam iguais, perante a lei e a sociedade.

É como se estivéssemos negando a água, enquanto estamos num deserto. Não podemos e não devemos mais ignorar a situação: devemos abraçar a causa, lutar pela aceitação e por direitos, elas fariam isso por nós, e nós temos este dever com elas. Não importa se ela é inflável ou de silicone, se é loira ou ruiva, se tem olhos de vidro ou de acrílico, se é anatomicamente correta ou com proporções exageradas, elas estão aqui por nós, e mais do que honrar isso, temos de retribuir: elas nos amam, vamos fazer o mesmo por elas.

Não vai ser fácil, nem rápido, mas é necessário. Nós as criamos, nós as evoluimos, e depois de elas muito nos agradecerem, já é hora de levar as coisas para o próximo nível. Isso sempre deveria ter sido uma troca, mas distorcemos às coisas, como quase sempre fazemos, para termos apenas lucros, apenas direitos, e nos esquecemos dos deveres. Algumas pessoas já se deram conta, na Inglaterra, nos EUA, no Brasil (Acreditem ou não) e no Japão... só falta você.

Talvez as pesquisas estejam certas.

See ya!
Related Posts with Thumbnails

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Alerta Vermelho

Acaba de ser declarado o Estado de Sítio no país, a medida vinha sendo evitada, mas segundo o Ministro da Segurança, não é mais uma questão local, e sim algo que ameaça todo o território nacional, e que "se não contido, pode avançar por todo o continente". Segundo relatórios das forças militares, 99% da população já foram retiradas do estado, para que as ações militares comecem até amanhã de manhã. Entretanto, já está em 15 o número de estados que fecharam suas fronteiras, contrariando com ordens da Capital. Segundo os governos estaduais, tais medidas são preventivas, e tem apoio internacional, caso de Uruguai, Colômbia, Bolívia e Equador, que também fecharam as fronteiras com o país, além de barrarem a chegada de aviões e trens, tanto para descarga quanto para chegada de passageiros.
 
O planejamento é que até amanhã à tarde todo o estado esteja sem a presença de civis: segundo o Ministro, depois de amanhã, quarta-feira, será iniciada a invasão e bombardeio da capital do estado. Segundo relatos, diversas as criaturas já se expalharam por todo o estado, principalmente nas áreas de mata nativa. Sobe para mais de 4500 baixas entre policiais e militares, enquanto que a quantia oficial de criaturas abatidas soma apenas 270. Amostras dos espécimes já foram enviadas para diversos laboratórios, tanto dentro quanto fora do país, mas nenhum resultado foi divulgado pelo governo.

Assim como noticiamos anteontem, tropas americanas e portuguesas chegaram ao país e já se preparam para apoiar nas operações militares. Rússia, Inglaterra, Espanha e Itália confirmaram que enviarão tropas, mas apenas a primeira já declarou que enviará as tropas até sexta-feira. O presidente americano afirmou que o país "poderá contar com total apoio, num momento de tamanha necessidade" e disse ainda que tem certeza que se a situações fosse o inverso, agiríamos da mesma maneira. Em nota oficial, o porta-voz do governo agradeceu ao presidente dos Estados Unidos, e concluiu dizendo que o país será "eternamente grato" pelo apoio internacional.
 
Assim como noticiamos na manchete de ontem, o jornal não mais distribuirá os exemplares, graças à obrigação legal imposta pelo governo para manter a segurança da população. Entretanto, continuaremos noticiando todas as operações, com o mesmo compromisso de qualidade e pontualidade que mantemos desde a fundação, há 47 anos. Fica portanto o apelo, de toda a equipe, para que as pessoas que continuam na área de risco, vão diretamente para os postos de apoio: escolas públicas, delegacias de polícia, prédios governamentais e algumas igrejas estão na lista. Em nome de toda a equipe, desejamos boa sorte, tanto para civis quanto para os homens e mulheres que ajudarão à defender o país.

Related Posts with Thumbnails

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Uma análise das regatas e shortinhos

 Aaaaaaaaeeeeeeeewwwwww cambaaaaaaaaadddaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!

Sabadão é dia de post, e eis que estou aqui para mais um post, e (milagrosamente) sem nenhum atraso esse ano... ou quase, mas ainda sim nenhum fim de semana ficou sem post... ou quase... enfim, dia de post hoje.

Para manter os bons costumes deste blog de família, vamos com uma boa música:


Interessante essa falta de recados nos últimos tempos... de qualquer jeito, ao post!

Simbora!!!


Antes e depois

Como todos sabemos, o ser humano está em constante evolução. Claro, na maior parte das vezes essa evolução vai para um caminho tão estúpido que poderia ser considerada como um retrocesso, mas ainda sim não há status quo. E feliz ou infelizmente, essa constante mudança não se atém apenas à termos físicos, mas também à sociedade, alterando assim desde apêndices até sistemas de distribuição de camisinhas.

Graças à fatores como a miscigenação e a influência internacional, o Brasil é um excelente alvo para essas mudanças: é relativamente comum dentes com mais raízes do que os livros dizem, bem como é relativamente comum gente de clásse média andando pelo Leblon como se estivesse na França... não que a França seja muito melhor também.

Em suma, este maravilhoso país é uma merda. Sim, isso todos sabemos, mas é realmente impressionante o quanto a galera por aqui tem se esquecido do que é "país tropical", "samba" e "desfilar sem roupa em cima de um carro de isopor colorido". O Brasil é o Brasil, é uma porcaria, e se você não gosta daqui o problema é seu, mas agir como se estivessemos em terras internacionais é foder com o esquema, e isso nunca presta.


Preferência Nacional

Caso você se dê ao trabalho de ir no Google procurar pelo título deste tópico, o que você encontrará são centenas de milhares de dezenas de dúzias de milhões de fotos de bundas. Bundas dos mais diferentes jeitos: arredondadas, empinadas, grandes, pequenas, formato de maçã, formato de pera, caídas, com estrias, sem estrias, photoshopadas, naturais, siliconadas e algumas que poderiam ser usadas de bote salva-vidas. O fato é que o Brasil, ao mesmo tempo que idolatra o futebol idolatra as bundas... ou idolatrava.

Sabe aquela velha e já clássica frase "corpão violão"?

Então, ela resume basicamente o padrão de beleza brasileiro: bunda grande e peitos médios (ou pequenos). Como qualquer um neste país, sou suspeito para falar (com razão), mas as brasileiras são as mulheres mais bonitas do mundo. Coxas groças, panturrilhas firmes, bunda grande, peitos médios, cintura definida, cabelo comprido e pele morena: a mulher perfeita, e para o bem geral da nação, é isso que temos. Você não precisa se esforçar para ver mulher bonita neste país: pegue um ônibus ou ande pelo centro da cidade e ficará satisfeito com a visão oferecida. Acontece que isso esta mudando.

Vejam bem, não tenho nada contra suecas, romenas, canadenses, japonesas (ahhh, as japas...) e nem nenhuma das outras, mas sinceramente, troco os cabelos lisos e as pernas branquelas pelos cabelos ondulados e pernas que eu tenho certeza que não se quebrarão ao levantar. De novo: este é um país de merda, mas que eu gosto, e um dos motivos para eu gostar são as brasileiras... brasileiras do jeito que brasileiras devem ser.


Chenofobia 


Tenho uma vergonha foda dessa merda...

Antes de tudo, sim, eu sei que é com "x", mas é piada interna, e agora que expliquei isso, ao que interessa: É um fato que a grande parte dos países atuais só se formaram graças ao colonialismo, ou seja, sem exploração não haveria Brasil (um tanto quanto atual o tema...). O colonialismo se baseia simplesmente na substituição (e/ou imposição) de um modo de pensar diferente do que se tem no local, com os portugueses e espanhóis fizeram isso e criaram a base do país. Agora, alguns aninhos depois, a coisa acontece, mas de modo diferente: através da geopolítica, economia, moda, consumismo e afins, ou seja, qualquer coisa que possa ser usada como moeda de troca.

Tudo isso para uma conclusão simples: cada vez mais os países, não só o Brasil, se internacionalizam, adotando características de outros lugares no mundo, não só graças à globalização, mas porque fica muito mais fácil não ter guerra se todo mundo escolhe CT.

Acontece que, feliz ou infelizmente, o Brasil é ligeiramente mais influenciável que, digamos, a Itália, já que ela era a dona da bola e o resto da galera não tinha chuteiras. O que se vê no Brasil é a adoção de opiniões, ponto de vista e (principalmente) cultura de outros países, obviamente EUA e Europa... não creio que isso seja considerado preconceito, mas sinceramente acho impossível que as tias do funk adotem a burca por aqui.

Pare para pensar por uns momentos (mesmo sendo difícil para você) e verá a quantidade de coisas gringas por aqui: produtos eletrônicos, carros importados, marcas de roupas, comidas, tipos de móveis, isso só na parte material da coisa, ainda tem costumes adotados, como o halloween e oktoberfest, palavras em outros idiomas que são adicionados ou adaptados, enfim, os exemplos são vários, e o fato de que a grande maioria da população brasileira é descendente de estrangeiros (coisas de duas ou três gerações apenas) só acentua a expansão da coisa.


Claro, por que não?

Toda vez que uma boa ideia surge, é apenas questão de tempo até ela ser estraga. Os carros foram assim, o avião foi assim, o fast food foi assim e definitivamente o blog foi assim, e isso é uma regra que não irá mudar assim tão cedo. No começo era legal que os países (e por consequência, suas culturas) se aproximassem, mas claro, não se divide apenas a salsicha, tem que dividir o pão também (e que metáfora gay).

Basicamente, o Brasil não tinha problemas acerca de religião, política e intolerância para com muitas coisas, mas é claro que não poderia ficar assim: enquanto emprestávamos o Carnaval para gringos que não sambam porra alguma, estes nos emprestaram as disputas religiosas, as CPIs e a ignorância inerente que muitos possuem (sim, me refiro aos Estados Unidos). Sim, é injusto entregar uma festa com mulher pelada e receber pastores extremistas, mas é graças à isso que agora a galera gosta da gente e faz um descontinho nos impostos de exportação.

Além de festas idiotas e costumes toscos (tipo usar casaco de pele), recebemos as modas. Todas elas, desde as modinhas de escola, em que pivetes jogam algum TCG até a moda de grandes desfiles, com roupas que ninguém realmente usam mas que são visualmente agradáveis. E, acreditem, tudo estaria perfeitamente bem se nós, brasileiros não levássemos tudo ao limite.

Já parou para pensar nisso? Absolutamente tudo neste país serve como lona para um circo: sequestro, tiroteio, celebridades bêbadas, campanha contra a dengue, passeata pela maconha, aborto, "letras" de funk, casamentos, meningite, hit de verão, acidente de trânsito, fofoca de Twitter, problema de esgoto... a porra dum relaty show DE MERDA para o país. Tudo é levado como motivo para comoção nacional, independente da real importância, mas ainda sim está estampado em todos os lugares possíveis, e o pior é que nem pra ter uma "lealdade": são os 15 minutos e depois foda-se.

Questões importantes, eventualmente, até entram em pauta, gera-se aquele debate gigantesco por parte de quem não faz ideia do que fala, e isso até que é bom: gera mais interesse pelo assunto e talvez um dentre 190 milhões realmente vá prestar atenção naquilo. Mas claro que nada é assim tão fácil, então essas questões fundamentais são esquecidas em pouco tempo enquanto outras perduram por meses: de que importa se estão comendo seu cu se ao menos você vai gozar?

E isso tudo leva à próxima questão: Por que caralhos as pessoas tem que exagerar em tudo que é adotado? Quero dizer, cantor de axé é reverenciado feito deus por aqui, mas isso nem se compara à alguma moda estúpida que seja internacional. Não sei se a questão é a "grama do vizinho ser mais verde" ou se "é importado então é melhor", mas definitivamente as pessoas são ainda mais burras quando não se trata de algo nacional. 


O "X" marca o local

De novo: ou quase.

Venho, nos últimos tempos, prestando atenção acerca da vestimenta das mulheres atualmente, e por consequência, em suas atitudes e opiniões. E caras, que decadência do caralho. Lembram que falei de evolução alí em cima? Então, eis o caso aqui: de Greymon voltamos para Agumon... centenas de anos desenvolvendo uma raça, e depois toda uma nação, para jogar tudo no vaso e dar descarga... e nem me refiro à coisas assim:

Mas à um tipo muito mais específico, que surgiu pouco tempo atrás, derivando de uma mistura de hipsters, indies, hippies, coloridos e, em alguns casos, grunges e pop-punks:

Malandros, vamos por partes.


Óculos

Eis aqui o que eu chamo, carinhosamente, de "máscara de solda". Essa porra surgiu há uns anos, porque algum estilista, sabe-se lá caralhos porque, achou que seria legal parecer um inseto gigante, e que seria ainda mais incrível que todo mundo achasse isso também. Meus caros, nada que cubra um terço da tua fuça é legal, aliás, a burca é mais legal que essa merda pelo simples fato de que te faz parecer um ninja e não isso:

Aliás, quem foi que disse que armação de óculos cheio das texturas é legal? Porra, onça, zebra, tigre e o caralho à quatro é brega, não é porque você paga 500 reais nessa porra que automaticamente ela fica melhor. E cabe a dica: esta porra de diâmetro de rolha do Atlântico faz seu nariz parecer maior.


Camiseta

Sim, imagem propositalmente escolhida por causa disso.

Caras, nada contra, afinal é uma camiseta normal, mas caralho, por quê? Quero dizer, há centenas de tecidos diferentes, formatos, estilos, costuras e tudo mais, mas tem sempre que ser esta merda. Porra, para manchar isso aí é questão de segundos, essa porcaria estraga se você coloca de qualquer jeito pra lavar, é quente e nem sequer é algo bonito... se está molhada é outra coisa, mas ainda sim não é por mérito da roupa.

E depois, qual essa fixação que as mulheres tem de sempre pegar números menores? Ok, com calça jeans até vai, já que mulher nenhuma admite que tá gorda (quando elas dizem que estão gordas é paranóia), mas porra, se você quer que seus peitos saltem pra fora, bote a porcaria de um espartilho e não use nada por cima, afinal, já que é pra ser tosco, que seja bem feito.

Você notou o maluco com o apito que eu sei.

Não me importa o que você diga: não há porque usar esta porra, a não ser que você tenha decidido pular no Tietê e dar para o primeiro que colar os olhos nos seus peitos. E depois, que aconteceu com aquela coisa toda sobre cor pra valorizar o corpo? Branco engorda a barriga, não os peitos... isso é trabalho para o próximo item. 


Bojo

E é sempre do tipo mais vagabundo.

Já falei sobre bojo aqui, mas não custa lembrar. Bojo é tipo quando de oferecem um Halls mas na verdade é Freegells, é uma maracutaia da mais baixa classe, visando apenas ludibriar o cliente. É uma rasteira, seguida de uppercut, prensada na parede e soco rápido... é tipo escolher o personagem mais apelão do jogo, com código de especial infinito e one-hit-kill.

O pior de tudo, é que graças à regata de merda nem dá pra esconder que tem bojo naquela merda. Sério, a função dessa porra é parecer real, e usar uma roupa de delata imediatamente que seus peitos são falsos não é inteligente, sexy e nem nada disso, é burrice. Pergunte para qualquer homem que não gosta de silicone o porque disso, e ele dirá que a coisa fica muito "plástica", muito surreal, e com bojo é a mesma coisa: todos nós sabemos que peitos não são tão redondos, juntos e perto do seu queixo.


Shorts jeans

Surgiu agora essa moda escrota de usar um shorts tão curto, que a porra do bolso aparece. Cara, de forma bem simples: Não. Simplesmente "não". Essa merda é tão horrível, que faz as micro saias parecerem elegantes:

E essas porras já são horríveis.

Deixem eu lhes dizer o óbvio: estas merdas só existem porque sobre tecido de calça. Sério, isso aí eram calças com defeito, que foram devolvidas ou jogadas fora, aí elas são cortadas, fazem uma barra e botam por um preço absurdo, para que imbecis comprem-nas achando que são absolutamente incríveis. Numa frase só: nem PUTA usa isso.


Camisa

De novo: estamos no Brasil, um país entre trópicos, no qual faz 30 graus na sombra durante o inverno. Você já está de soutien, que toda mulher diz que esquenta (com bojo então...), e uma camiseta, você simplesmente NÃO PRECISA de uma merda duma camisa MASCULINA por cima. Simples assim, você não precisa dela para absolutamente nada: ela irá esquentar e ficar cheia de suor.

Senhoras, mulher com camisa de homem só é legal em uma única situação: na manhã seguinte depois de sexo. E estando apenas com a tal camisa, nada de outras roupas, brincos, pulseiras e o caralho à quatro. E para foder de vez com a situação, é claro que não seria uma camisa de respeito, tem que ser uma xadrez. Aliás, se for de flanela melhor ainda, já que além de ficar quente e suada, ainda fica pesada e fedendo. E eu sei que não se vê muitos homens falando isso, mas ferro de passar existe por uma razão.


Sandália

Apesar de sandálias serem o mais comum, há também a "versão" com as tais "rasteiras", mas na real, é tudo a mesma merda. Como eu já falei, homens gostam de pés e nesse "gostar de pés" estão inclusas duas coisas: pés descalços e saltos altos. Chinelo, sandália, meia, plafarma (A.K.A. bota ortopédica) e todo o resto é dispensável. Vai ficar em casa? Descalça, que faz bem para a saúde. Vai sair? Ótimo, salto alto.

Aliás, cabe aqui uma pequena observação: aprenda a andar de salto alto. Aliás, aprenda a andar, nada de um pé pra cada lado ou outras bizarrices: um pé na frente do outro, com firmeza, e isso significa usar um sapato decente e não ser uma idiota que acha que sabe desfilar.

Mas voltando, saldálias são só mais um jeito de espremer seus dedos por entre tiras de tecido. De verdade, não é legal saber que suas unhas adotaram um tom verde musgo, digno de filme trash de terror. Use tênis, sapato, salto alto, enfim, não pense que sandálias são legais... sandálias, num churrasco, seriam o espetinho de frango, sendo que tem picanha e costela no fogo.


Tralhas diversas

É claro que a coisa não estaria completa sem os "acessórios", que devem ser grandes e brilhantes, para alertar os marginais que tem uma mina de classe média por aí. Não sei se vocês notaram, mas o mais comum aqui é uma corrente, seguida de chapéu e pulseiras: anéis e brincos são standart. Piercing são bônus, bem como colares e tornozeleiras (puta troço inútil do caralho...), e basicamente servirão para a indentificação do corpo após o estupro e morte (não necessariamente nesta ordem).

Além disso, como já virou padrão, uma bolsa gigantesca, capaz de comportar fugitivos da prisão (provavelmente o namorado que estuprou alguém) e que não tenham nada haver com o resto da roupa. Na prática é algo à mais para as mulheres reclamarem, podendo assim entregar para outras pessoas segurarem enquanto elas entra na loja para comprar outra ainda maior. 


Como já dizia Freud, é elementar

Voltando para a questão do "internacional", nenhuma dessas coisas aí em cima foram criadas aqui, absolutamente nenhuma das infelizes que usam essas porras se preocupam com as crianças chinesas que trabalham 16 horas por dia para fazerem tais roupas, e definitivamente todas elas preferem algo que tenha uma marca estampada do lado do que uma que nem tenha etiqueta. Quero dizer, o país é ruim, mas não melhora em nada se a população não procura por isso: poderiam ser criancinhas brasileiras trabalhando 16 horas por dia, ainda é errado, mas pelo menos elas não estarão roubando ou fazendo malabarismo no semáforo.

Roupas são ótimas ideias, bem como óculos de sol, bolsas e sapatos, mas as pessoas insistem em transformar algo simples e eficiente em um monte de tralhas completamente inúteis. Porra, suas bochecas não precisam se proteger de raios UV, suas blusas podem muito bem absorver o suor, suas bolsas podem ter o tamanho certo para carregar o que foram feitas para carregar e definitivamente tênis são muito mais úteis e lógicos caso você queira proteger seu pé.

Por que alguém no Brasil deve adotar uma moda que serve para outro país, se ela é totalmente inútil por aqui? É como andar de turbante na Noruega, você vai chamar a atenção das pessoas, mas dos coiotes e dos ursos-polares também, e eles serão um poquinho menos tolerantes com você.

Sei lá, por que não adotar a aurora boreal ou o IDH, ao invés de adotar uma moda estúpida e passageira, que faz com que pessoas como eu tenham que perder um tempo do caralho para tentar botar um pouco de consciência na cabeça das pessoas? De que me importa se as americanas precisam de bojo (além do silicone) para terem peito? As brasileiras já tem, e são muito mais legais que os importados.


Da análise contemplativa

Como já falei, o Brasil é, provavelmente, o país que mais passou por miscigenação, afinal, por algumas centenas de anos aqui era terra de ninguém, e qualquer um poderia chegar, engravidar outra alguém e assim nasceria um troço que Hitler consideraria pecado. De fato, temos até nomes para as diferentes misturas de etnias, mas depois de um ponto, a zona está tão lotada que simplesmente todo mundo vira "brasileiro" e pronto.

Graças à essas misturas, as lorinhas do norte europeu, os morenos do oriente médio, as japas, os negões e todo o resto, criou-se finalmente o Padrão-Brasil-de-Qualidade-Feminina, que se representa através de um "corpo escultural", e, num bom caso, coroado com uma boa quantidade de cultura nacional. Ou seja, brasileiras são bonitas e gostosas, é isso que o Brasil produz, além de festas folclóricas e jogadores para a Europa, mas preste atenção nisso:

Nosso maravilhoso e adorável padrão de mulher vem sendo substituido por isso: garotas com peito demais, bunda de menos, pernas sem graça, cintura meia boca e com o conhecimento de um amendoim. O nosso padrão, que nas palavras do humilde infeliz que vos fala, sempre foi o melhor, está sendo substituido por um padrão estrangeiro, no qual os peitos são mais importantes que a bunda, e meus caros, isso é um ultraje!

Peitos são incríveis, mas são o número dois. Liga-se mais para o cabelo do que para as pernas, que são, literalmente, 60% do corpo, e também se esquece que "ter cintura" não é ter peito e bunda demais para "dar a impressão". Não me refiro às horríveis mulheres frutas, nem de panicats, funkeiras e nada dessas merdas, mas disso aqui:

E claro, cada mulher é especial de um jeito (que pode ser bom ou ruim), mas ainda sim, "made in Brazil". Acredite, escrever Brasil com "Z" é tão ruim para mim quanto ver que o mais sensacional tipo de corpo feminino do mundo está deixando de existir. As brasileiras estão cada vez mais internacionais, sem cintura definida, com coxas sem graça, peitos inflados à base de polímeros, bundas trabalhadas por personal trainers... tudo artificial e importado.

É tudo na base do 8 ou 80: ou são totalmente retas, no estilo Europeu, ou valorizam demais uma parte só, como nos EUA, e podem ir checar as fotos das garotas acima: todas tem peitos grandes, aumentados pelo bojo, e são totalmente desprovidas de bunda. Cadê as coxas, braços... cadê o que fez das brasileiras as melhores do mundo?

Temos pianos, trombones, tubas, baterias, saxofones, acordeons, xilofones, berimbaus, tambores e até mesmo clarinetes, mas nada de violões. E isso, caso ainda não tenha ficado claro, me preocupa muito... não quero viver num país que copia outros países até em relação às mulheres. Futebol, Carnaval, fogos de artifício e gente com celular no ônibus eu até aguento, mas coisas assim:

 Estão fora de cogitação.

Lembram desse post aqui? Então, ainda é válido. Sinceramente, não quero um Brasil em que todas as mulheres se parecem do mesmo jeito, usem as mesmas coisas e pensem igual, não quero regatas e shorts jeans, não quero 600 ml de silicone em cada peito, só para causar impressão, enquanto o resto é deixado de lado (dependendo do cirurgião, literalmente), e definitivamente não quero um bando de pseudo-moderninhas dizendo o quão "básico" e "fashion" é essa combinação.

Mas enfim, a escolha é sua.

 Toda sua.


Minha conclusão

Cambaaaaaaaaaadddaaaaaaaaa, final de post, já Domingão (são 2:59) e bem, não há muito o que falar... exceto que o post não saiu exatamente como eu esperava... mas isso já é comum por aqui.

Resumão: o padrão de beleza brasileiro, que sempre foi o mais foda, além de ter as mulheres mais bonitas do mundo, simplesmente está indo para o saco, graças às pessoas acharem que divertido é ser igual todo mundo, não ter bunda e que peitos são a melhor parte do corpo feminino. Para juntar, coloque a falta de cultura, a incapacidade de valorização do (já pouco) que temos em terras tupiniquins e a fixação estúpida em achar que absolutamente tudo que qualquer gringo empurra sua garganta à baixo, e terá o motivo pelo qual as brasileiras estão ficando mais... feias.

Caras, sei que este é um blog de merda, recheado com putaria (não naquele sentido... na maioria das vezes), ironia, reclamações e tudo que puder se dizer de ruim, mas a coisa está realmente ruim. Se as coisas continuarem como estão, em alguns anos teremos apenas garotas sem graça, magricelas, usando roupas feias e sem graças e que acharão sensacional obrigar todo mundo à olhar para dois balões de plástico que elas chamarão de peito.



Tipo isso.

 Apesar de parecer o contrário no decorrer do post, a variedade é excelente, e obviamente que não há mulher perfeita: as brasileiras são as melhores, mas ainda estão no 9,9... só espero que essa "internacionalização" não mate de vez o que a natureza levou milhares de anos para aperfeiçoar, porque aí, meus caros, quando não houver mais nenhuma representante da mulher brasileira, apenas cópias de britânicas, tchecas, canadenses, mexicanas, suecas, australianas, sul africanas e croatas, seremos obrigado à dizer que as melhores do mundo serão as argentinas, e ninguém quer isso.

See ya!
Related Posts with Thumbnails

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Atire antes, pergunte depois

Nesta manhã mais um prédio foi invadido, e já é o terceiro. O cordão de isolamento, garante o porta-voz exército, está totalmente preparado para tomar as medidas necessárias para manter as Criaturas longe de civis. Dentre a enorme quantidade de armamentos pesados, nota-se o clima de tensão entre os soldados, e os constantes protestos públicos contra a resolução armada vem se tornando cada vez mais "ousados": o que começou com cartazes e faixas já conta com fogos de artifício e até mesmo bombas caseiras. A polícia foi obrigada à contar as manifestações públicas usando bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha.

A retirada de pessoas das áreas afetadas continua, mas segundo relatórios oficiais, boa parte das famílias se recusa à abandonar suas casas. Entretanto, muitos moradores, mesmo de locais distantes do morro, já abandonaram suas moradias, muitos rumam para outros estados. Não há dados oficiais, mas estima-se que mais de 750 mil pessoas já tenham deixado a cidade. "O êxodo - explica Cornelius Oliveira - apesar de manter a população mais segura, complica o estado das cidades que recebem estas pessoas. As rodovias ficam tomadas, o trânsito fica impossível... caso haja a necessidade de um transporte de armas, o único meio possível passa à ser o aéreo".

Está marcada para esta terça-feira a chegada de tropas internacionais, para auxiliar no combate e contenção contra as Criaturas. EUA, Rússia e Portugual já comunicaram que além de tropas enviarão medicamentos, roupas e alimentos para os desabrigados. O Ministro, através de uma nota à imprenssa, agradeceu o apoio internacional e afirmou ainda que esta é "uma demonstração, acima de tudo, de humanidade". Desde que o primeiro prédio foi tomado, há pouco mais de uma semana, o Ministro não mais respondeu à perguntas, mesmo tendo sido procurado diversas vezes.

Graças ao que as tropas nomearam de "ataque aberto" os diversos casos de contrabando e violência policial foram deixados de lado, fato que divide ainda mais a opinião pública: enquanto uns apoiam o fim das revistas ao que entra na zona atingida, outros afirmam que o abuso de autoridade, tanto por parte da polícia quando do exército, é constante. Além disso, as incursões de exploração e derrubada da mata no morro foram suspensas, bem como o toque de recolher e as operações de vigias noturnas. "Todos nossos esforços estão centrados em liberar os edifícios tomados e garantir a segurança da população" afirmou o porta-voz do exército.

Nenhuma informação foi liberada acerca de novas operações, mas ficou como "aberta" o fim da retirada de civis das áreas afetadas: estima-se que menos de 100 pessoas ainda se recusam à abandonar o morro. Apesar das invasões, além dos ataques às pessoas presentes nos edifícios atacados, mais nenhuma vítima "ocasional" foi encontrada, e os vestígios, que até semanas atrás eram visíveis por todo o morro, tem desaparecido. Tanto professores da Federal quanto especialistas em vida selvagem afirmam que a sitação é algo "completamente novo e surreal" e Oliveira conclui dizendo "está no limite... depois disso, ninguém sabe". Apesar dos esforços, nenhuma das Criaturas foi capturada até agora.
Related Posts with Thumbnails